A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

12/06/2013 09:05

Residencial garante que choque em capivaras tem baixa voltagem

Viviane Oliveira
Cercado para as capivaras não entrarem na área residencial. (Foto: Cleber Gellio)Cercado para as capivaras não entrarem na área residencial. (Foto: Cleber Gellio)

O morador do Damha I, Antônio Ferreira Júnior, que faz parte da diretoria da Associação local, afirma que a cerca elétrica "com baixa voltagem" ao redor do lago artificial do residencial é para manter as capivaras no ambiente natural e não ferir os animais. 

Veja Mais
Condomínio cerca lago e revolta defensores de capivaras que sofrem com choques
Em 7 dias, choveu 56% do esperado para o mês em município do interior

Depois de denúncia, de que as capivaras levam choque elétrico ao tentar entrar no lago artificial que fica dentro do condomínio, o caso ganhou repercussão nas redes sociais. 

O condomínio de luxo está ao lado da APA (Área de Preservação Ambiental) Lageado, região do bairro Maria Aparecida Pedrossian, na saída para Três Lagoas. Na área, se concentra um grande número de roedores dessa espécie, que entram no residencial pelo córrego Lageadinho.

Além das capivaras, no local há tucanos, araras, lobinhos, jacarés, peixes, patos selvagens, macacos. Segundo Antônio, a retirada das capivaras, que hoje vivem em uma área de 45 hectares, já está sendo planejada.

De acordo com o morador, de 2005 para cá o número de capivaras aumentou muito no local e elas passaram a entrar no limite do residencial. “Nós apenas estamos seguindo a lei isolando a área para evitar o contato delas com os humanos e que o ambiente delas seja preservado”, diz, acrescentando que pelo menos 80 capivaras vivem ao lado do condomínio.

Antônio disse que os moradores já foram alertados pelas autoridades sanitárias que os roedores são vetores da leishmaniose visceral e da febre maculosa, doença transmitida por carrapatos. Por conta disso, vários órgãos ambientais foram acionados.

Inclusive, afirma Antônio, o Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) foi até o local e emitiu um relatório dizendo que não foi observado nenhum impedimento para a implantação de uma barreira para impedir o acesso das capivaras no residencial.

No relatório do órgão de 2013 consta que durante a vistoria foi localizado em torno do lago e na área residencial grande quantidade de fezes, destruição de plantas nos jardins das casas, além da invasão dos animais na piscina e em fontes ornamentais.

Quanto à cerca elétrica, o morador explica que é uma contenção para animais de pequeno porte com baixíssima corrente elétrica e totalmente inofensiva a humanos e animais. “Os animais não sofrem. Após o primeiro contanto eles não se aproximam mais”.

O MPE (Ministério Público Estadual) instaurou inquérito no mês passado para verificar se há irregularidade ambiental na construção da cerca as margens da represa do Córrego Açude. “Esse procedimento foi solicitado pelos próprios moradores para ser resolvido qualquer irregularidade no procedimento”, finaliza.

A capivara, que é um dos símbolos da cidade, é encontrada em vários pontos: como altos da Avenida Afonso Pena e Lago do Amor, na avenida Filinto Muller e no campus da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). O animal faz parte da nossa fauna nativa e é protegida por uma lei federal de crimes ambientais, que proíbe a caça, perseguição, destruição e comercialização.

Antônio diz que a cerca é uma contenção para animais de pequeno porte com baixíssima corrente elétrica e totalmente inofensiva. (Foto: Cleber Gellio)Antônio diz que a cerca é uma contenção para animais de pequeno porte com baixíssima corrente elétrica e totalmente inofensiva. (Foto: Cleber Gellio)
Segundo Antônio a retirada desses animais, que hoje vivem em uma área de 45 hectares, já está sendo planejada. (Foto: Cleber Gellio)Segundo Antônio a retirada desses animais, que hoje vivem em uma área de 45 hectares, já está sendo planejada. (Foto: Cleber Gellio)



Quem está errado??? Os animais que já viviam lá ou Ambicioso que compro a terra por preço de banana e construiu o condomínio???
Não quer a presença de animais na sua casa venda e vem mora no centro.
Por que construir o condomínio Particular pegando o córrego???
Córrego em vida já deviam saber.
Mas só querem grana grana.
Tem coisas que o dinheiro não compra como vergonha na cara e respeito.
Não sou conhecedor mas não existe alguma lei que não possa construir ou bloquear construções privadas que afetem o córrego?
 
ADRIANO ALMEIDA em 16/07/2013 08:27:54
Afff, povo tem inveja de não ter $$ pra morar em um lugar seguro como esses condomínios... HAHA
 
Fernando Andrade em 13/06/2013 17:38:03
Um passarinho me contou que o MOTIVO MAIOR não foi a preocupação em proteger as capivaras.. e demais "animaizinhos" que frequentam o condomínio!!!
A razão maior foi que os "vizinhos" estavam estragando o PAI$AGI$MO do local!!!
Sim as capivaras estavam roendo e literalmente comendo a vegetação existente no condomínio, inclusive os JARDIN$ em área privada!!!!
Esse foi o maior problema... o resto que foi dito é apenas a tentativa de justificar o ato!!!
Existe uma área de proteção ambiental próxima, portanto inevitável a presença de animais... quem OPTOU por morar em tal região já deveria saber.... PREVIAMENTE!!!
Existem soluções mais sensatas, adaptação dos moradores a presença dos animais e adequação do tipo de vegetação utilizada evitando ou minimizando o apetite voraz dos "animaizinhos".
 
Julia Dias em 12/06/2013 14:22:42
ô povinho que nao tem o que fazer. Se ha uma cerca lá é para a proteção das proprias capivaras e conservação da área do condominio para que os bichos não invadam o local.
Mas tem sempre um desocupado pra meter o bico e criar confusão. Se o poder publico não fez nada e os proprios moradores tomaram uma providencia que não mata nem fere aos animais entao cala a boca e pronto.
 
Jose Batista em 12/06/2013 13:52:52
Os moradores do Damha estão cobertos de razão por não quererem as belas e queridas capivaras em seu residencial. O carrapato que parasita esse animal pode transmitir doença de difícil diagnóstico em sua fase inicial, e se demora a descobrir, pode matar. E lá, as crianças brinca despreocupadas, popis sentem-se seguras pelo tipo de moradia que seus pais escolheram. Também os adultos, com atenção aos jardineiros, podem contrair a enfermidade chada de febre maculosa.
Zelem pelo que é de vocês. Sempre há jeito de deixar os animais silvestres filizes e livres nas reservas de nossa capital, sem o envolvimento direto com nossas moradias.
Ilda Francisca NevesBottene
 
Ilda Francisca Neves Bottene em 12/06/2013 13:19:01
Então vamos lá, se a área é tão cheia de animais silvestres e selvagens, não deveriam ter construido um condominio no local, tem que ver quem assinou a autorização que deve ser a mesma pessoa que recebeu para deixar construir ali, segundo ponto é que há outros meios de se evitar que um animal invada uma área, não precisa dar choque, se for assim por favor eduquem seus filhos com choque ja que acham que isso funciona, e o terceiro ponto é que o local fica ao lado da APA, se nada é feito não tem porque existir nem APA nem Imasul, libera tudo, fechem os órgãos e seja o que Deus quiser, não podemos ficar pagando uma secretaria inteira, no caso do Imasul, para que na hora deles agirem nada aconteça, manda todo mundo embora, fecha tudo e deixem os ricos construirem onde quiserem.
 
MAXIMILIANO RODRIGO ANTONIO NAHAS em 12/06/2013 12:31:31
Por acaso alguém botou o dedinho prá saber se realmente o CHOQUE BAIXO não machuca oas animais? se os animais caem como não machuca? Este condomínio perdeu muito valor pois é ecologicamente incorreto.
 
Meire Pereira de Souza em 12/06/2013 11:59:14
Vocês que invadiram uma area de preservação e ainda querem demarcar limites para os animais... Esse morador que aparece de TERNO e GRAVATA deveria cercar a casa dele para dar choques como ele mesmo diz de "baixa voltagem e inofencivo" nos filhos deles, assim eles não vao ter contato com o lago e muito menos chegar perto das capivaras! Moro ao lado do parque das nações e convivo em meio a capivaras a muito tempo... A burguesia fede!
 
Diogo Ribeiro em 12/06/2013 11:38:38
Qual o problema de deixar as capivaras aí onde sempre estiveram? Parece que toda gente rica vem com ignorância como item de fábrica.
 
antonio cesar em 12/06/2013 11:36:51
Nossa, as capivaras alem de destruir as plantações, jardins ainda transmite muitas doenças. E são perigosas, atacaram um cachorro que apareceu em casa, não demorou muito o cachorro não resistiu, apesar de não ser meu ele foi medicado e cuidado pelo veterinário. Tem como mante los longe?
 
Wan Paula em 12/06/2013 11:22:33
ELES ESTAO OCUPANDO O LUGAR DOS ANIMAIS E AINDA DAO CHOQUE É COVARDIA PURA ......
 
daniel macedo em 12/06/2013 10:21:52
A retirada dos animais já está sendo planejada. Por quem? Que todos saibamos nenhum órgão sanitario pode afirmar que estas capivaras estão sendo vetores. Febre maculosa foi um caso isolado no interior de SP. Isso não significa que todas as capivaras estão contaminadas. Por favor me mostre onde está provado que elas são transmissoras de leishimaniose.
Invadem a área dos animais depois ficam se queixando do que???
 
Klebber Silva em 12/06/2013 10:01:01
E se uma criança chegar perto dessa cerca, também será uma descarga de baixa voltagem? Não vai afetar a saúde dessa criança?
 
Jéssica Santos em 12/06/2013 09:34:35
estou me oferecendo para dar um choque de baixa voltagem a quem acha que é certo fazer isso.. e aí?.. aguenta?????????
 
Rodrigo Rocha em 12/06/2013 09:18:50
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions