A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

15/05/2014 12:34

Sistema inagurado no Imasul vai prever cheias e secas em áreas críticas de MS

Luciana Brazil
Sala de Situação foi inaugurada hoje no Imassul. (Fotos:Marcos Ermínio)Sala de Situação foi inaugurada hoje no Imassul. (Fotos:Marcos Ermínio)
Especialista da ANA diz que MS se destaca no cenário nacional. Especialista da ANA diz que MS se destaca no cenário nacional.

Um espaço de monitoramento de dados hidrológicos em Mato Grosso do Sul foi inagurado na manhã de hoje (15) na sede do Imasul (Instituto Estadual de Meio Ambiente), em Campo Grande. Com tecnologia importada, a “Sala de Situação” fará a previsão de cheias e secas em várias regiões do Estado. São 12 estações de coletas de dados, instaladas em vários municípios, e uma sala com computadores e equipamentos responsáveis por gerenciar as informações.

Veja Mais
No primeiro mês de piracema, PMA registra aumento de 100% nas apreensões
Segunda-feira de tempo claro e com possibilidades de chuvas à tarde, em MS

“A principal função é detectar cheias e secas. O sistema não trata de drenagem urbana. É uma sala de monitoramento que receberá as informações das 12 plataformas de coletas de dados instaladas em pontos críticos do Estado”, explicou a fiscal ambiental e coordenadora da ação, Elisabeth Arndt.

O número de plataformas pode ser ampliado a medida que haja necessidade, conforme Elisabeth. “A ampliação vai acontecer de acordo com a necessidade ao longo do tempo. Por enquanto, são 12 cidades”, garantiu.

Porto Murtinho, Ladário, Cassilândia, Coxim, Bataguassu e Aquidauana estão entre as cidades onde a plataforma já está em funcionamento. Para Bela Vista e Nioaque, a Embrapa já prevê a instalação.

A Sala de Situação, uma iniciativa da ANA (Agência Nacional de Águas) em todo o País, funcionará como um centro de gestão de situações críticas, com o objetivo de identificar possíveis ocorrências de risco, minimizando os efeitos de secas e inundações.

“Mato Grosso do Sul se destaca no cenário nacional porque tem mantido a rede de eventos críticos em alto grau de manutenção, e isso não é fácil”, disse o especialista da ANA, João Augusto de Pessoa. Segundo ele, a agência tem a função de apoiar a execução da ação e dar capacitação aos profissionais. Ele ainda lembrou que a sociedade será beneficiada com as previsões.

Parcerias serão firmadas para agilizar a divulgação dos dados hidrológicos, adiantou a coordenadora Elisabeth. Entre elas estão órgãos como a Defesa Civil, Cemtec (Centro de Monitoramento de Tempo, do Clima e dos Recursos Hídricos de Mato Grosso do Sul) e universidades, que deverão desenvolver pesquisas.

 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions