A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

20/06/2011 12:36

Sob exploração excessiva, Aquífero Guarani dura só mais 50 anos

Fabiano Arruda

A falta de ações efetivas para evitar a atual superexploração do Aquífero Guarani, um dos maiores do mundo e que fica em boa parte em Mato Grosso do Sul, pode tornar o uso da água do manancial inviável dentro de meio século. Pelo menos cem cidades brasileiras são abastecidas pelo Guarani, segundo a Agência Nacional de Águas.

Segundo informações de matéria publicada pela Folha de São Paulo, a conclusão é dos especialistas Ricardo Hirata, da USP, e Paulo Finotti, presidente da Sociedade de Defesa Regional do Meio Ambiente.

"Existe uma voracidade pelo consumo que, sem controle, pode acarretar em problemas sérios nos próximos 50 anos em cidades que são abastecidas pelo manancial", afirma Hirata, diretor do Centro de Pesquisas de Água Subterrânea do Instituto de Geociências da USP.

As cidades, conforme a publicação, em zonas de risco ficam, além de Mato Grosso do Sul, nos Estados de São Paulo, Minas, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, bem como Uruguai e Paraguai.

Para o especialista, diferentemente de anos atrás, hoje, os grandes usuários particulares são indústrias ligadas ao agronegócio, que têm capacidade de perfuração de grandes poços artesianos.

Didier Gastmans, pesquisador do Laboratório de Estudos de Bacias da Unesp de Rio Claro, culpa a falta de gestão adequada pelas cidades que exploram o aquífero.

Aquífero - O Aquífero Guarani é um reservatório de água subterrânea, um conjunto de rochas arenosas e porosas. Esses materiais depositaram-se neste lugar entre aproximadamente 245 e 144 milhões de anos.

O aqüífero é transfronteiriço, pois está localizado por baixo do território de quatro países sul-americanos: na Argentina a extensão é de 225,5 mil quilômetros, no Brasil, de 840 mil, no Paraguai de 71, 7 mil e no Uruguai 58,5 mil quilômetros. O que totaliza 1,2 milhão de quilômetros ao sudeste da América do Sul. (Com informações da Folha de São Paulo)

Grupo nacional fiscalizará proteção de Aquífero Guarani
O Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH) aprovou recomendação para a formação de uma estrutura nacional que possibilite o acompanhamento das a...
Técnico quer gestão compartilhada do Aqüífero Guarani
Foz do Iguaçu - Representantes do Paraguai, Brasil, Uruguai e Argentina decidem hoje (25), em Foz do Iguaçu, os próximos passos para a gestão compart...
Agrotóxicos contrabandeados ameaçam aqüíferos em MS
Os pesticidas contrabandeados ameaçam os aqüíferos Serra Geral e Guarani no Estado. De acordo com o geólogo e professor da UFMS (Universidade Federal...
Estudo revela que aqüífero Guarani pode ser 10% menor
Um novo mapeamento do aqüífero Guarani, localizado em boa parte em Mato Grosso do Sul, revela que a maior reserva subterrânea de água doce das Améric...



É INFELIZMENTE ESSA VAI SER A REALIDADE DAQUI UM TEMPO O AQUÍFERO GUARANI NÃO EXISTIRÁ MAIS E ISSO É MUITO TRISTE .SE SOU CRIANÇA QUEM É ADULTO DEVIA TOMAR VERGONHA NA CARA E TOMAR ALGUMA PROVIDENCIA RÁPIDA
 
DABRYELLEN CAROLINA em 26/08/2013 15:45:16
Infelizmente não tenho estudado a fundo esta questão do aquífero Guarani, mas o que me espanta é.
A Europa ser muito mais populosa, não contar com um aquifero como o Guarani e lá ninguém falar em falta d'água. Aliás, água lá é o que menos falta...
 
Lucas Botelho em 21/06/2011 10:10:17
Ótima essa matéria. Deveria esse assunto ser levado mais vezes pelos meios de comunicação, pois se ninguém alertar e mantiver a discussão não darão bolo para esse furto generalizado do povo.
 
Joaquim Guilherme em 20/06/2011 03:23:42
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions