A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

03/11/2014 17:01

Técnicos vão percorrer 700 km do rio Paraguai para elaborar estudo

Priscilla Peres
O resultado será um quadro completo da área de estudo para proporcionar uma Hidrovia econômica e ambientalmente viável. (Foto: Divulgação ITTI)O resultado será um quadro completo da área de estudo para proporcionar uma Hidrovia econômica e ambientalmente viável. (Foto: Divulgação ITTI)

O estudo de navegabilidade que está sendo feito no rio Paraguai entrará em uma segunda fase em novembro. De 4 a 20 deste mês, engenheiros civis e cartógrafos irão percorrer o Tramo Norte da Hidrovia entre Corumbá e Cáceres para complementação da batimetria do rio, que é a medição da profundidade do canal para avaliar a possibilidade de navegação.

Veja Mais
Fim de semana em MS terá tempo instável com possibilidade de chuva
Quatro cidades de MS estão entre as 100 que mais desmatam florestas

O trabalho está sendo realizado pela UFPR (Universidade Federal do Paraná), por meio ITTI (Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura), e percorrerá 700 km do rio Paraguai. A viagem foi definida em reunião com o 6º Comando do Distrito Naval, de Corumbá, que dará apoio logístico a equipe.

Os profissionais ainda vão fazer a medição dos sedimentos em suspensão nas áreas mais críticas de navegação, que representam no mínimo dez pontos, além da instalação de marcos geodésicos, essencial para avaliar a necessidade de dragagem do rio para melhorar a navegação e o transporte de cargas.

O levantamento deste mês, faz parte do EVTEA (Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental) da Hidrovia do rio Paraguai, que está sendo elaborado por solicitação do governo federal, por intermédio da DAQ (Diretoria de Infraestrutura Aquaviária ), órgão do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).

“Além das características físicas, serão estudadas todas as diretrizes de ordem econômica que interagem com o entorno da Hidrovia, conhecendo as questões, socioeconômicas e ambientais da região”, explica Eduardo Ratton, coordenador de projetos do ITTI.

O resultado será um quadro completo da área de estudo para proporcionar uma Hidrovia econômica e ambientalmente viável, segura e com um uso pleno como corredor hidroviário, capacitando-a para transportar cargas consideradas nas projeções das demandas, até o cenário de 2035.

Rio Paraguai - Atualmente no Brasil, a bacia do rio Paraguai é uma das hidrovias com melhores condições de navegação. Ela vai de Cáceres, no Mato Grosso, até Nova Palmira, no Uruguai. São 3.442 km que servem Brasil, Bolívia, Paraguai, Argentina e Uruguai, dos quais 1.270 km ficam em território brasileiro.

De acordo com dados da AHIPAR (Administração da Hidrovia do Paraguai ), mais de 6 milhões de toneladas de cargas são transportadas pela Hidrovia todos os anos. São transportados principalmente minérios de ferro e manganês a longa distância.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions