A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

11/11/2013 15:17

Tribunal reduz valor, mas mantém indenização por contaminação de ar

Edivaldo Bitencourt

O TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) manteve a condenação da Simasul Siderurgia Ltda, de Aquidauana, a 130 quilômetros da Capital, a pagar indenização por poluir o meio ambiente. No entanto, os desembargadores reduziram o valor da compensação de R$ 27 mil para R$ 5 mil.

Veja Mais
Justiça manda siderúrgica adequar norma de trabalho e condições de segurança
Imasul disponibiliza relatório sobre ampliação de siderúrgica em Ribas

A 1ª Câmara Cível aprovou, por unanimidade, o recurso parcial da empresa e do Imasul (Instituto Estadual de Meio Ambiente) e reviu a indenização prevista em primeira instância. A empresa deve pagar a indenização para Rivelino Botelho Bueno, Eunice Mariano do Nascimento, Lucas Mariano Bueno e Luana Mariano Bueno.

Eles ingressaram com pedido de indenização porque a siderúrgica despejava fuligem no ar com a produção de ferro gusa em 2005 e 2006. Vizinhos da empresa, eles alegaram que os resíduos caem sobre as casas, móveis, roupas, plantas e pessoas.

A Simasul Siderurgia alegou que já tomou todas as medidas para impedir a contaminação do ar. Alegou que 38 pessoas aproveitaram as condenações judiciais para tentar obter indenização apesar do problema já ter sido solucionado.

Para o relator do processo, desembargador Divoncir Schreiner Maran, o recurso merece parcial provimento e o valor da indenização deve ser reduzido para cada apelado, levando em consideração os critérios como: intensidade de seu sofrimento, situação econômica do ofensor, a gravidade e a repercussão da ofensa e a condição social, educacional, profissional e econômica do lesado.

“Posto isto, em parte com o parecer ministerial, dou parcial provimento aos recursos, com o fito de reduzir o valor da indenização para R$ 5.000,00 (cinco mil reais) em favor de cada um dos requerentes e determinar, quanto aos juros moratórios e à correção monetária, que se observe o disposto no artigo 1º-F da Lei 9.494/97”, votou o relator.

Uso de córrego por siderúrgica revolta a vizinhança
Vizinhos à mineradora Vetorial, que conseguiu esta semana o direito de usar água do Córrego em Piraputanga, em Corumbá, atribuem à atividade da empre...
Siderúrgicas proibidas de comprar carvão vegetal de MS
As siderúrgicas com mais de dez anos de atividade no Brasil não poderão mais adquirir carvão vegetal nativo, lenha ou matéria-prima florestal produzi...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions