A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

18/09/2014 12:57

Trio que perseguiu sucuri deve ser localizado e multado ainda hoje

Luciana Brazil
Animal é segurado pelo rabo e tenta fugir. (Foto: Divulgação)Animal é segurado pelo rabo e tenta fugir. (Foto: Divulgação)

O trio que perseguiu uma sucuri no Rio Santa Maria, em Maracaju, a 160 quilômetros de Campo Grande, e filmou toda a ação, deve ser autuado ainda hoje (18), de acordo com a PMA (Polícia Militar Ambiental). As três pessoas no barco serão autuadas administrativamente em R$ 5 mil cada e ainda vão responder por crime ambiental, com pena de até uma no de detenção.

Veja Mais
Vídeo mostra perseguição a sucuri de 5 metros que engoliu capivara
No primeiro mês de piracema, PMA registra aumento de 100% nas apreensões

Segundo o major Edmílson Queiroz, o município de Maracaju está vinculado a cidade de Jardim, a 233 quilômetros da Capital, e é de lá que serão feitos os procedimentos para autuação do grupo. “Nós estamos aguardando o responsável pelo comando chegar para localizar os responsáveis pelo vídeo”, disse o major na manhã de hoje.

O vídeo publicado na rede social Facebook e divulgado na noite de terça-feira, mostra três pessoas perseguindo uma cobra sucuri de cinco metros, aproximadamente, no último domingo (14). Um deles chega a puxar o animal pelo rabo várias vezes e cutucar a cobra com o remo do barco onde estão.

Nas imagens, é possível ver que a sucuri, acabou de se alimentar e está com a barriga cheia, o que evitou um possível ataque do animal, já que quando estão com fome costumam ficar mais agressivas. A cobra tenta se esconder do barco nas margens do Rio, mas, pelas imagens, o grupo insiste em perturbar o animal.

O vídeo teve mais de 16 mil compartilhamentos, em menos de 24 horas. Logo após a publicação da matéria na tarde de ontem (17), o vídeo foi excluído da página pessoal de Sirlei Oliveira, a mulher que filmou a ação.

Crime- Conforme a Lei de Crimes Ambientais de 1998, é crime matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida. A pena pode varia de seis a um ano de detenção, podendo ser revertida em penas alternativas.

Segundo o major Queiroz, no ano passado, um homem foi multado em R$ 5 mil e teve que cumprir penas alternativas depois de divulgar um vídeo onde aparece manipulando uma sucuri, também em Maracaju.

Veja o vídeo novamente: 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions