A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

06/11/2014 14:24

Uso correto da vinhaça é debatido durante a tarde por pesquisadores

Priscilla Peres e Liana Feitosa
Audiência Pública acontece durante toda a tarde em Campo Grande. (Foto: Marcos Ermínio)Audiência Pública acontece durante toda a tarde em Campo Grande. (Foto: Marcos Ermínio)

Produtores rurais, pesquisadores e autoridades ligadas ao Meio Ambiente e ao Agronegócio estão reunidos desde às 13h para debater sobre problemas ambientais decorrentes do uso da vinhaça e sua aplicação no solo. A Audiência Pública acontece até às 18h no MPF/MS (Ministério Público Federal).

Veja Mais
Jiboia de 1,5 metro é encontrada dentro de armário no Monte Líbano
Sucuri de 4 metros é encontrada em hotel, enrolada a filhote de cachorro

Durante toda a tarde haverá várias apresentações de pessoas ligadas ao uso da vinhaça, que é um resíduo pastoso que sobra da destilação do caldo de cana-de-açúcar, para a obtenção do etanol. Acontece que da vinhaça surge a mosca de estábulo que prejudica o rebanho.

De acordo com o procurador da República responsável pelo caso, o objetivo é propor soluções para a questão do uso da vinhaça. "Isso por que produtores rurais estão tendo prejuízos e como existe interesse na questão, ha muita paixão no debate. Queremos ter acesso a soluções ponto de vista técnico, por isso trouxemos pesquisadores de órgãos ambientais para discutir a questão", explica Marco Antonio Delfino.

De acordo com José Maria Morandini, engenheiro da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) existe uma dosagem racional do resíduo da vinhaça que pode ser aplicada. "Tudo depende da natureza do solo, das questão biológicas e geológicas. Mas a vinhaça pode sim ser utilizada como fertilizante. Esse é o benefício dela", diz.

No entanto, existe a parcela prejudicial, pois o uso inadequado na vinhaça pode causar prejuízos ao solo e ao Meio Ambiente. Das 14h ate às 18h, serão realizadas apresentações de técnicas já utilizadas fora do Estado, além de mesa redonda, e espaço para perguntas do público.

A doutoranda em Ecologia e Conservação pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) vai falar sobre os aspectos biológicos e ecológicos da mosca de estábulo. "É preciso existir controle no uso da vinhaça, por que sempre que ela for utilizada, haverá incidência de mosca", destaca ela sobre a importância de o assunto ser debatido.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions