A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

21/10/2011 16:08

Visita de jiboia na Casa Civil quebra rotina de servidores na Governadoria

Viviane Oliveira

É comum a presença de animais silvestres no local, atraídos, principalmente, pelos restos de comida deixados por funcionários

A visita foi registrada pelo telefone celular de uma servidora, por volta das 13h desta sexta-feira. A visita foi registrada pelo telefone celular de uma servidora, por volta das 13h desta sexta-feira.

Servidores do Parque dos Poderes, que estão acostumados a visitas inesperadas de animais silvestres que habitam o Parque do Prosa, hoje se surpreenderam com a espécie de 'penetras'. Ao invés da costumeira visita dos quatis, servidores se depararam com a aproximação no prédio de uma jiboia. Logo, também chegou um mutum.

A visita foi registrada pelo telefone celular de uma servidora, por volta das 13h desta sexta-feira (21), no fundo do gabinete do secretário de Governo, Osmar Jerônnymo, no Parque dos Poderes, em Campo Grande.

O responsável pela manutenção do prédio, Alcides Cláudio de Souza Junior, 45 anos, foi o primeiro a avistar o réptil e chamou os colegas para observarem o animal. É comum a presença de animais silvestres no local, atraídos, principalmente, pela comida ofertada por servidores na tentativa de tocarem os animais ou mesmo pelos restos de comidas deixados por funcionários. Os animais também reviram o lixo.

De acordo com Alcides, um guarda do prédio toda vez que vai embora coloca milho e água para os animais que já estão acostumados a se alimentarem no parque. “Nós colocamos alimentos para os quatis, mutuns, lobinhos e outros que aparecem no local".

Alcides comenta que não é a primeira vez que a cobra aparece. “De vez enquando ela vem aqui fazer uma visita”.

Os servidores dizem que durante o expediente é possível contemplar nas matas no entorno dos prédios das secretarias tatus, capivaras, quatis, lobinhos e tamanduás.

De acordo com a PMA (Polícia Militar Ambiental) há uma orientação para os funcionários não alimentarem os animais silvestres com restos de comida e qualquer outro tipo de alimento. Além do risco de intoxicação, os bichos perdem o instinto de caça e podem morrer de inanição.

Muitos animais são atropelados diariamente no Parque dos Poderes. Mesmo com a sinalização específica, diariamente são registrados atroplamentos, principalmente de quatis.




Sr Ezio, com todo respeito, mas em qual pesquisa científica o senhor se embasou pra dizer que os alimentos naturais não os satisfazem? Isso é um grande equívoco.
Sugiro ao Campo Grande News, um entrevista com o pessoal do IMASUL sobre o assunto, pois percebo que está faltando muita informação a respeito a população de Campo Grande. Temos que aprender a conviver com os animais e não domesticá-los.
 
Cintia Bezerra Possas em 23/10/2011 12:46:24
atrasados circulam acima de 80km/h onde o permitido é 60km/h, anida acho muito pelo local).
Semana passada um carro preto com autoridades(???) em alta velocidade, ultrapassava tudo e todos até chegar na governadoria. Observei aquilo irada, só não filmei pq estava s/ câmera. Qual seria a desculpa?
 
neyde de oliveria em 23/10/2011 01:17:00
Concordo com a Cíntia Bezerra, mas a gente acaba cometendo esse pecado.
Essa Jibóia deve ter vindo pelos fundos, não atravessado a pista, senão já teria virado asfalto.
Semana passada foram morto(só que vi) três quatis(dois filhotes e um adulto). O tal ser humano, não respeita a natureza. Ainda inventam, em plena ÁREA de preservação, condomínios e Universidades próxima(os alunos e PROFESSORES
 
neyde de oliveira em 23/10/2011 01:11:50
Os bichinhos tem que comer.
Nos é que interferimos no ambiente deles.
 
AGNALDO OLIVEIRA em 22/10/2011 07:55:44
Mas se não alimentarem aí é que os bichos vão morrer de fome. A cada dia a área de mata nativa dá lugar a novos empreendimentos imobiliários, inclusive prédios do governo.
Essa área não deveria ser preservada?
 
ricardo griao em 22/10/2011 05:43:39
A reserva que abriga os animais no Parque dos Poderes é palco de um cenário muto bonito e desperta muita curiosidade daqueles que não conhece nosso Estado. Apesar de ser um espaço não tão grande onde as espécieis se reproduzem e os alimentos naturais não os satisfazem, temos pessoas que ainda tem um coração grande e os alimentam de alguma forma. Seria reprovável num habitat natural em meio as florestas, longe do perímetro urbano.
 
Ezio Jose em 21/10/2011 11:23:17
Me preocupa muito o fato das pessoas, principalmente servidores do Parque dos Poderes alimentarem os animais. Para informá-los esse tipo de costume é crime ambiental, já que prejudica o desenvolvimento da vida silvestre. Qualquer interferência humana na vida silvestre é prejudicial. A alimentação deixa os animais obesos e doentes além de aprox. da população, um ex que deu errado são as pombas.
 
Cintia Bezerra Possas em 21/10/2011 05:40:26
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions