A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 02 de Maio de 2016

18/06/2013 14:06

Deputados afirmam que Força Tarefa está a “serviço” de indígenas em MS

Leonardo Rocha
Deputado afirma que Força Tarefa está a serviço dos indígenas em MS (Foto: divulgação)Deputado afirma que Força Tarefa está a serviço dos indígenas em MS (Foto: divulgação)

Os deputados Márcio Monteiro (PSDB) e Zé Teixeira (DEM) foram à tribuna denunciar que a Força Tarefa, enviada pelo governo federal para garantir “estabilidade” em áreas de conflito, está a serviço dos indígenas em Mato Grosso do Sul. Segundo eles, a corporação está “assegurando” as terras invadidas aos índios, e que este cenário está evidente nas ações realizadas em Sidrolândia.

Veja Mais
A falta do WhatsApp atrapalha até vereador a despachar
Lei da bolsa universitária completa quatro anos sem nenhum jovem beneficiado

“A Força Tarefa deveria defender a legalidade e a constitucionalidade, porém estão assegurando as terras invadidas aos indígenas, apesar da justiça ter dado parecer favorável aos produtores”, destacou Márcio Monteiro. Segundo ele, se esta situação continuar será um “desrespeito” aqueles que acreditam nas leis no país. “Desta forma os indígenas vão fazer o que quiserem, nem o meio ambiente eles estão respeitando, destruindo tudo que tiver pela frente, esta foi à contribuição do governo federal até agora”, ressaltou.

Já Zé Teixeira destacou que os produtores continuam suas atividades em pleno vigor no Estado, porém não recebem a devida atenção e tratamento pela União. “A justiça define as regras do jogo, no entanto não há comando no Estado, os produtores estão unidos sem qualquer ato de vandalismo, os índios não devem dar as ordens por aqui”, destacou.

Os deputados também criticaram a ação da Funai (Fundação Nacional do Índio) que abre demarcações sem analisar os critérios técnicos. “Ela simplesmente questiona a legitimidade das áreas, sem qualquer estudo embasado”, apontou Monteiro.

Reunião – O deputado estadual Laerte Tetila (PT) está em Brasília participando de audiência pública, destinada a debater medidas que permitam a União indenizar os proprietários de terras que estão sobre áreas indígenas. Tetila enviou uma carta com dez propostas ao Governo Federal, contendo sugestões para “amenizar” os conflitos agrários.

Veja Também
Lei da bolsa universitária completa quatro anos sem nenhum jovem beneficiado
Nesta terça-feira (3) completará quatro anos que o Executivo de Campo Grande se comprometeu em garantir bolsas universitárias para jovens de baixa re...
Sem acordo, professores em greve vão à Câmara pedir ajuda aos vereadores
Apesar da baixa adesão, a greve dos professores da rede municipal de Campo Grande seguirá nesta terça-feira (3) com visita dos docentes à Câmara Muni...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions