A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

25/10/2016 22:58

Prefeito vai recorrer de cassação e já aguarda próxima eleição em 90 dias

Nyelder Rodrigues

Eronivaldo da Silva Vasconcelos Junior, o Junior Vasconcelos (PSDB), atual prefeito de Fátima do Sul - cidade localizada a 246 km de Campo Grande -, vai recorrer da decisão da Justiça Eleitoral de Mato Grosso do Sul que cassou seu registro de candidatura nas eleições realizadas este ano.

Veja Mais
Mais votado em lista da OAB, Alexandre Bastos é nomeado desembargador
Com relatora do MS, projeto contra trabalho infantil é aprovado na CCJ

No dia 2 deste mês, o peesedebista foi derrotado pela ex-prefeita Ilda Machado (PR), que também foi denunciada por irregularidades na campanha, mas ainda não foi julgada. A situação fez com que a chance de que ocorra uma nova eleição em Fátima do Sul aumentasse, animando os adversários da candidata eleita, entre eles Junior Vasconcelos.

O prefeito foi denunciado por realizar um evento com entrega de contratos de 300 casas populares para os moradores, ato considerado eleitoreiro, mesmo que fora do prazo de campanha - iniciado em 16 de agosto -, já que os contratos estavam prontos a mais quase dois anos e meio. Ele também teria feito promessas de construção de mais casas.

"É algo que não imaginaríamos que daria esse teor, teria essa gravidade. Não entendemos que seja tão grave a ponto de haver cassação de pleito eleitoral. Os contratos já estavam assinados e apenas fiz a entrega deles. Quem define as datas é a Caixa Econômica, então fizemos o evento porque não era inauguração, não pedi um voto, nada", explica Junior.

Vasconcelos também diz que já entrou com recursos visando não ficar inelegível por oito anos, como também determinou a decisão da juíza Rosângela Alves de Lima Fávero. "Espero poder concorrer já no próximo pleito, que creio que aconteça em 90 dias", destaca o atual prefeito, ao projetar também a cassação de Ilda.

"Tudo indica que haverá cassação também. Se comigo foi assim porque participei de um evento que nem pedi votos, imagina com ela que envolve uma questão de sufrágio. Como o ministro Gilmar Mendes já disse que as ações eleitorais não devem se estender para 2017, creio que logo tudo será julgado e as novas eleições marcadas", comenta.

Ilda Machado, que é mulher do ex-presidente da Assembleia Legislativa, Londres Machado, e mãe da deputada estadual Grazielle Machado, aparece em vídeo gravado às vésperas da eleição supostamente oferecendo dinheiro a um eleitor e sugerindo que ele faça "um churrasquinho bem gostoso" com o dinheiro. A situação foi divulgada em várias redes sociais.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions