A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

04/11/2016 11:51

Relator de reforma, senador de MS critica invasões em escolas

Pedro Chaves diz que reforma será um avanço para educação

Leonardo Rocha
Pedro Chaves critica invasões em escolas e diz que reforma será um avanço (Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)Pedro Chaves critica invasões em escolas e diz que reforma será um avanço (Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)

O senador Pedro Chaves (PSC), relator da Comissão Mista que discute a reforma do Ensino Médio, disse ser favorável às manifestações feitas pelos estudantes nas ruas, mas não concorda com as invasões em escolas. "Todo o protesto é valido, mas não deve ser em prédios públicos, porque prejudica e atrapalha os demais alunos", disse ele.

Veja Mais
Ministério divulga lista do Enem e Paranaíba segue com data adiada
Justiça Federal nega pedido do MPF para adiar provas do Enem

Chaves lembrou que já foi um "militante educacional", porém entende que as manifestações deixam de ser válidas, quando prejudica outras pessoas. "Também fui jovem e idealista, querendo ajudar a resolver os problemas da educação, mas as manifestações devem ser nas ruas e não ao invadir escolas", ponderou.

Ele ressaltou que apesar de 240 mil alunos terem que fazer a prova do Enem (Exame Nacional do Ensino), nos dias 3 e 4 de dezembro, em função das invasões nas escolas, ainda representa um número pequeno, em relação aos candidatos em geral. "Houve esta situação, mas 97% dos estudantes farão a prova no dia previsto".

Reforma - O senador diz que na condição relator da reforma do Ensino Médio, está ouvindo diversos setores e representantes da educação, antes de emitir seu parecer sobre a Medida Provisória, do presidente Michel Temer (PMDB). "Sempre digo que ao invés do problema, pode ser uma oportunidade e solução".

Chaves diz que vai ouvir mais de 50 entidades, órgãos e segmentos da educação, desde conselhos estaduais e municipais, associações, fóruns, instituições, assim como a UNE (União Nacional dos Estudantes) e o ministro da Educação, Mendonça Filho. "Estamos incluindo mudanças e alternativas e avaliando as 567 emendas, que recebemos de deputados e senadores".

Ele explicou que o projeto tem a "Base Nacional Curricular", com as matérias de português, matemática e inglês, assim como a "Base Itinerários Formativos", onde o estudante poderá escolher que área pretende seguir. "Nesta parte estará a Linguagem, Matemática, Ciências Naturais, Humanas e a Formação Profissional".

Avanço - O senador ressaltou que cada estado poderá ter áreas específicas de formação profissional. "O aluno faz a base obrigatória e depois segue para sua área de interesse, isto se trata de um grande avanço, que já é feito em países da Europa e nos Estados Unidos, pois deixa o estudante mais motivado".

Chaves entende que no começo houve um "susto" da sociedade em geral, pelo fato de ter sido feita por meio de uma Medida Provisória, mas que agora o tema está sendo amplamente debatido. "Quando terminarmos as audiências, entrego o parecer para comissão, depois segue para votação na Câmara Federal e por fim no Senado".




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions