A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

25/07/2012 20:41

A coragem da mãe que tirou de uma tragédia o impulso para ajudar

Elverson Cardozo
Maria Amélia ao lado do retrato do filho. Quadro foi pintado pela irmã do adolescente, a advogada Ana Carolina Cunha de Figueiredo, que desenvolveu o lado artístico após a tragédia. (Foto: Elverson Cardozo)Maria Amélia ao lado do retrato do filho. Quadro foi pintado pela irmã do adolescente, a advogada Ana Carolina Cunha de Figueiredo, que desenvolveu o lado artístico após a tragédia. (Foto: Elverson Cardozo)

O sorriso aberto denuncia, logo de cara, que na casa de Maria Amélia Cunha Figueiredo, de 58 anos, tristeza não tem vez. “Não posso parecer triste”, disse, ao posar para fotografia ao lado do retrato do filho, José Eduardo Cunha de Figueiredo, que morreu aos 16 anos, carbonizado, em um grave acidente de trânsito.

Veja Mais
A dor da esposa que perdeu o marido no caminho de volta para casa
Um minuto de bobeira e Kelvin passa no hospital o dia de festejar 21 anos

“Eu nunca estou triste”, garantiu a aposentada, após a entrevista em que relembrou o dia da tragédia. O motivo de tamanha felicidade está na religiosidade, na fé em Deus e na paixão pela vida. “O cemitério para mim é muito pequeno”, justifica

A perda do filho, declarou, já era esperada. Naquela madrugada, dentro do quarto de um retiro, onde estava com um grupo católico há 4 dias, foi ela mesma quem anunciou, de maneira inexeplicável, a morte do adolescente.

“Apareceu uma pessoa no quarto para me chamar, eu levantei da cama e pronunciei: Veio dar a notícia de que meu filho morreu”, contou. 'Eu já tinha sonhado que ele iria morrer no meio de desconhecidos", completou.

“Eu entrei dentro do quarto, me ajoelhei e falei: Senhor, entrego de todo o meu coração, de toda a minha alma, com todo o meu ser, o meu filho. Dai-me força para continuar vivendo”, relatou.

José Eduardo Cunha de Figueiredo faleceu no dia 28 de agosto de 1999. Era um dos passageiros de um Astra que colidiu contra um caminhão basculante Mercedez-Benz, na BR-262, saída para Três Lagoas, em Campo Grande.

No carro, além de José Eduardo, outros quatro jovens. Todos morreram após a explosão do veículo. Na época, o excesso de velocidade foi apontado como a principal causa do acidente.

Quarto do filho virou escritório, mas as fotos do garoto ainda permanecem no cômodo. (Foto: Elverson Cardozo)Quarto do filho virou escritório, mas as fotos do garoto ainda permanecem no cômodo. (Foto: Elverson Cardozo)

E pensar que naquela sexta-feira José Eduardo só queria montar a cavalo, uma de suas paixões. Enquanto a mãe estava no retiro de silêncio na saída para São Paulo ele resolveu ir até o rancho, mas não chegou a ficar 30 minutos no local.

A filha do proprietário havia atolado o carro em um areial próximo. O adolescente resolveu ajudar e, no impulso, entrou no carro de desconhecidos. Na volta, a jovem que conduzia o veículo ultrapassou o limite de velocidade.

“A moça que dirigia correu a 180 km/h, bateu no meio-fio, colidiu contra um poste e acertou o caminhão basculante que estava na pista contrária”, relatou a mãe do jovem, acrescentando que, com o impacto, o carro explodiu.

Das cinco vítimas, três morreram carbonizados. Um deles era José Eduardo, que teve o caixão lacrado. Maria Amélia diz que não derramou “uma lágrima” durante o velório do filho, mas o coração sangrava incessantemente.

Embora tenha sido criticada, explicou, na época “algo sobrenatural” a confortou. “Não era eu que estava em mim”, disse. A força que recebeu naquele momento se intensificou nos dias que sucederam à morte do filho, mas a vida havia lhe reservado outra surpresa nada agradável.

Cinco meses depois do acidente que resultou na morte de José Eduardo, Maria Amélia perdeu a mãe. Marcolina de Souza Castro, de 62 anos, se afogou no Rio Formoso, durante um encontro da melhor idade realizado no município de Bonito. “Ela foi porque estava muito depressiva com a morte do único neto”, contou a filha.

José Eduardo morreu aos 16 anos. (Foto: Reprodução)José Eduardo morreu aos 16 anos. (Foto: Reprodução)

Que as duas tragédias a abalaram, disso não restam dúvidas, mas foi justamente neste período que Maria Amélia diz ter se tornado ainda mais forte. Com o tempo, os trabalhos voluntários que fazia se tornaram a atividade principal.

Hoje é uma das voluntárias da Santa Casa e visita de 300 a 400 enfermos todos as semanas. O trabalho é puxado, começa às 14h e vai até às 18h, 19h, mas a satisfação fala mais alto.

“Se aparecer alguém meia noite eu vou lá”, afirmou. “Aprendi a viver mais para Deus e para o próximo”, completou.

A saudade do filho ainda bate à porta. A casa onde vive é tomada por fotos do garoto “tranquilo e caseiro” que se foi cedo demais, antes mesmo de cursar as “três universidades” que pretendia.

Não sabia quais os cursos que queria fazer, mas tinha certeza de que eram todos na área rural. “Era um garoto muito sonhador”, revela a mãe. “Até hoje meu filho é um lindo sonho de amor que passou pela terra e vai se realizar no céu”, finaliza.




Quando eu terminei di ler esta matéria as lágrimas escorria por todo meu rosto e um soluço que estancava minha Garganta.... é dificil de explicar a censação que a gente cente neste momento...emoção dor saldade amor vontade de gritar sair pelo mundo dizendo que bonito é a Grandeza di Deus !!!!!! quem ama a Deus intensamente não morre e sim nasce di novo.....senhor és tu a razão de todo meu ser
 
Diogenes Rosa da Silva em 28/07/2012 08:36:54
que triste esta historia ,por pouco nao chorei. so Deus mesmo p dar força a essa mae.
 
alexsandro lino aristimunho em 26/07/2012 12:56:05
Maria Amélia, minha amiga. sou sua fã!
 
Esther Cardoso em 26/07/2012 12:43:15
Nossa lendo essa linda reportagem "mensagem" é impressionante ver como a fé dessa mãe é inabalável, pois passou por provações tanto quanto mãe e como filha a perder a mãe tragicamente. Para mim ficou a lição somente Deus pode nos dar o consolo.
Parabéns pela garra e pelo voluntariado, que vc seja sempre esse bom exemplo.
 
Luciene Lopes em 26/07/2012 11:12:30
Saber aceitar assim não é pra qualquer um. Essa grandeza demonstra realmente sua intimidade com Deus.
A sua missão é muito bonita. Parabéns
 
Fabiano Pontes em 26/07/2012 10:43:41
" MARIA AMÉLIA" parabêns por ter "DEUS" no seu coração, si todo o ser humano tivesse um terço desse seu coração nos tinhamos um mundo melhor, eu te digo todo mundo que tem "DEUS" no coração consegue tudo na vida, eu tenho certeza de tudo isso que a senhora disse, porque ja passei por uma situação parecida e "DEUS" me confortou.
 
ILZA DE OLIVEIRA em 26/07/2012 09:36:59
Esta mulher é um exemplo de fé e coragem. Todos sabem que a pior dor do mundo é a perda de um filho. Mas o sentimento, verdadeiramente cristão, desta mulher é de uma determinação inexplicável. Sra. Amélia sou sua fã. Que Deus possa abençoar sua passagem pela terra. Seu filho lhe aguarda. Vai recebe-lá de braços abertos!
Um fraterno abraço.
 
Paula Lutero em 26/07/2012 09:30:33
Grande amigo e companheiro, semana passada ainda lembrei dele, estava com outro amigo e relembramos por tempo, tantos momentos bons e divertidos que tivemos naquela época, zé eduardo é como a mãe dele sempre sorridente, e feliz com a vida pena que Deus quis ele ao seu lado.
#SAUDADES
 
YGOR FABRICIO BAICERE em 26/07/2012 09:18:45
Seu nome já diz tudo, eu até poderia dizer: a cheia de graça, fé, alegria; quem te conhece e não sabe da sua história, imagina que você é a pessoa mais feliz do mundo, que nunca teve um problema sequer na vida e no seu caso foi o maior de todos, perder um filho! Que suas palavras seja um alerta a todos que ainda não encontraram na vida o sentido de viver, amar, ser feliz!
Vc é especial D+
Divina
 
Divina Lemos em 26/07/2012 09:01:40
Eu nunca vou apagar da memória aquele dia, ele era da minha sala, o colegio Dom Bosco parou, foi una tragédia, muito triste, tomo mundo ficou muito abalado não dava nem pra acreditar que aquilo estava acontecendo. Admiro a mãe dele.
 
Talyta Abbass em 26/07/2012 08:52:18
a passagem por esse mundo é rapida e transitoria,nada é por acaso,tudo tem um por que,creia na sua fé e em Deus,peça sempre forças a nosso mestre jesus,breve estara com ele em espirito!!
 
roberto perez em 26/07/2012 08:28:27
Meu Deus, que mulher forte. Ou melhor, que força Divina que anima esse ser!
Impossível não acreditar na mão de Deus operando nessa mãe.
 
Mirian Costa em 26/07/2012 08:03:48
É possível ver e sentir a paz interior que a Maria Amélia tem, mesmo depois de uma perda prematura e tão trágica.
É admirável sua FÉ e ENTREGA, acredito que essa foi a melhor escolha para continuar vivendo e lutando pela vida. Parabenizo pela escolha!
 
Cláudia Pael em 26/07/2012 07:36:10
Por pouco não chorei com essa reportagem, perdi minha sobrinha em 2010, ela tinha 4 anos de idade quando se afogou em uma piscina. Só eu sei o que essa mãe passou com a morte do filho. No meu caso, não consegui chorar no velório mas, meu coração se partia por dentro.
MÃE, VOCÊ É ESPECIAL PARA DEUS. FOI ASSIM QUE TINHA DE ACONTECER.
 
Amilton Almeida em 26/07/2012 07:06:07
historia emocionante, força e coragem a certeza de que existe um DEUS falou bem mais alto que a dor, seu filho esta em melhor companhia e esta visão voce ja teve, o emprestimo dele a voce foi por pouco tempo mais muito bom e muitas lições voce aprendeu... com adimiração gisele
 
gisele araujo em 26/07/2012 05:14:16
Minha querida! Admiro sua fé, sua coragem de enfrentar tantos obstáculos e fazerd sua dor um motor para levar o consolo para tantos que precisam. Bjo no seu coração...
 
Maíla Aguiar em 26/07/2012 04:43:23
Um exemplo de fé e coragem, em meio a tragédia encontrou forças para ajudar o próximo, é o segredo da sua alegria.
 
Krishna Riqueline em 26/07/2012 03:47:44
Maria Amélia receba meu abraço, talvez vc nem se lembre mais de mim, mas nos conhecemos a tempos atrás, quando trabalhei na antiga CONSTRUMAT, com seu irmão Cláudio Eduardo de Souza Cunha (in memorian), reconheço o quão forte és, para suportar essas 03 perdas (Cláudio, Zé Eduardo e Marcolina), Deus continue sempre ao seu lado te dando forças e com seu trabalho amparar outras pessoas e famílias..
 
Ana Maria Pinto Benites em 26/07/2012 03:40:13
Que história emocionante, uma verdadeira lição de vida.
Lembro dessa tragédia, foi muito comentada.
Essa mãe é uma heroína...muito evoluida espiritualmente.
 
Neyde de Oliveira em 26/07/2012 03:26:43
maria amelia jesus e contigo,se deus permitiu esta prova;e pque ele tem planos imenso na sua vida.eu perdi meu filho,hoje faz 8 meses,e conheçooooooooo esta dor.fique com jesus,um abraço de paz.
 
marli angela santos em 26/07/2012 02:36:00
Maria Amelia. Como vc é forte, vc esta preparada espiritualmente, enfrentou de cabeça erguida essas duas mortes eu me lembro, só Deus nos consola, e vc firme, voluntária, dedicada as coisas de Deus. Que Deus vos abençoe.


Ramao Marcondes
 
Ramao Marcondes em 25/07/2012 11:07:16
Que Deus continue dando essa força maravilhosa para a senhora e que seja exemplos para muitas familias. Um abraço
 
rose cardoso em 25/07/2012 10:42:17
Maria Amélia, que linda reportagem sobre sua história! Fiquei emocionada...
Com certeza isso é obra de Deus, e você está bem porque sabe onde está o seu filho anjo...junto do pai do céu.
Você é um exemplo de superação pela fé em Deus, uma dor dessas, da perda de um filho de forma trágica só através de Deus para superar.
Você esta servindo, este era o plano de Deus para você...mulher de Deus
 
Regina Santana em 25/07/2012 09:35:09
Deus abençoe e ilumine essa família! Jesus ampare a Sra. Maria Amélia e toda a família, pelo exemplo de amor e fé numa prova tão difícil nesta existência. Jesus acolha seu filho José Eduardo com muita paz e luz. Mais notícias assim deveriam ser veiculadas, há coisas bonitas que merecem ser de todos conhecidas.
 
Ivan Gibim Lacerda em 25/07/2012 09:26:26
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions