A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

09/09/2016 06:55

Aos 77 anos, Agnaldo morreu quando ia para o hospital visitar a esposa

Viviane Oliveira
Marcas do acidente no carro; vítima morreu ao tentar atravessar a rua (Foto: Marcos Ermínio)Marcas do acidente no carro; vítima morreu ao tentar atravessar a rua (Foto: Marcos Ermínio)
Local onde ocorreu o acidente que terminou em morte. (Foto: Marcos Ermínio) Local onde ocorreu o acidente que terminou em morte. (Foto: Marcos Ermínio)

Morreu por volta das 12h45 de quinta-feira (8) na Santa Casa, Agnaldo Farias, 77 anos, em decorrência de um atropelamento ocorrido por volta das 7h do mesmo dia, na Avenida Mascarenhas de Moraes esquina com a Rua do Livramento, no Bairro Monte Castelo, em Campo Grande.

Veja Mais
Idoso de 77 anos atropelado na Mascarenhas de Morais é identificado
Homem de 77 anos sofre traumatismo craniano após ser atropelado

Conforme boletim de ocorrência, registrado por Zilda Guimarães Fonseca, 61 anos, irmã da vítima, Agnaldo morava em Miranda e estava na cidade para acompanhar a esposa internada na Santa Casa.

Ainda de acordo com registro policial, Zilda contou que a vítima acordou cedo para visitar a mulher e esqueceu o celular em casa. Ela foi atrás do irmão para levar o aparelho, mas quando chegou no ponto de ônibus encontrou apenas o sapato dele no asfalto e uma viatura do Corpo de Bombeiros, que já tinha socorrido o idoso.

Acidente - Conforme o Corpo de Bombeiros, testemunhas contaram que a vítima atravessava a via para ir até o ponto de ônibus, quando foi atropelada por um veículo Gol, de cor branca, conduzido por Leandro Antônio Bichara, 32 anos. Ele contou que seguia com a esposa para o trabalho e não viu o homem. “Ele saiu de trás de uma caminhonete. Tentei evitar o acidente, mas não consegui”, lamenta.

Agnaldo sofreu vários ferimentos, fratura exposta na região da tíbia e fíbula, luxação na região do tornozelo e TCE (Traumatismo Craniano Encefálico).




O problema das pessoas é que elas acham que podem ir se enfiando no meio das ruas e avenidas de qualquer jeito, sem prestar atenção, sem esperar, apenas porque são pedestres e acham que tem a preferência. A Avenida Mascarenhas de Moraes tem um tráfego intenso, de fluxo muito rápido, não tem como prever que alguém vai se meter no meio da rua e tampouco dá tempo de parar... Os pedestres de Campo Grande precisam receber educação de trânsito, para aprenderem a se comportar devidamente porque são eles que estão mais vulneráveis...
 
Mariana Carvalho em 09/09/2016 10:02:48
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions