A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

23/10/2013 09:53

Com maioria dos acidentes no Centro, Capital registra 460 por mês

Aliny Mary Dias
Capital já registrou 4.358 mil acidentes este ano (Foto: Marcos Ermínio)Capital já registrou 4.358 mil acidentes este ano (Foto: Marcos Ermínio)

Do início deste ano até meados de outubro, Campo Grande já registrou 4.358 mil acidentes de trânsito com vítimas. O balanço divulgado pelo Corpo de Bombeiros leva em conta todos os tipos de acidentes que ocorrem nas ruas e precisam de intervenção dos socorristas.

Veja Mais
Carro capota após colisão no cruzamento da Bahia com a Barão do Rio Branco
Motorista escapa de capotamento com ferimentos leves

A média de acidentes registrados a cada mês na cidade chega a 460, por semana, a Capital registra pelo menos 115 acidentes com vítimas.

Outro número que chama a atenção é o registro de acidente por áreas da cidade. De acordo com o coronel Jairo Shoitiro Kamimura, comandante metropolitano dos bombeiros, a cidade é dividida em sete áreas e a que mais registra acidentes é a central.

No Centro, até o dia 13 de outubro deste ano foram registrados 1.165 mil acidentes com vítimas. De todas as áreas, a que menos registrou acidentes em 2013 é a região do Prosa que compreende bairros como Chácara Cachoeira, Carandá, Estrela Dalva, Santa Fé, Mata do Jacinto e Noroeste.

Segundo o comandante metropolitano, os acidentes geram alto custo ao Estado, já que em cada ocorrência, ao menos 10 militares são empenhados. “Primeiro acionamos a viatura de resgate que vai com três homens, temos a de salvamento com outros três e além do Batalhão de Trânsito. Quando tem vítima fatal, a situação é mais complicada porque temos que acionar a Polícia Civil”.

A maioria dos acidentes, segundo o coronel, ocorre no horário de pico. No período da manhã das 7h às 8h e no fim da tarde, a partir das 18 horas. Em razão da estrutura deficitária dos bombeiros, não há como destinar um “reforço” nesses horários.

Outra área com menos acidentes em relação ao restante dos bairros é a do Segredo, segundo o Corpo de Bombeiros, foram 386 acidentes até meados de Outubro. A área compreende os bairros Coronel Antonino, José Abrão, Seminário, Nova Lima, Nasser, Monte Castelo e Cerejeiras.

Além dessas regiões, a do Bandeira com 586 acidentes, Anhanduizinho com 975, Lagoa com 439 e Imbirussu com 408 acidentes completam a lista.

Uma das saídas encontrada pelo Corpo de Bombeiros para diminuir os acidentes é a conscientização dos motoristas. Palestras e ações realizadas em conjunto com os órgãos integrantes do GGIT (Gabinete de Gestão Integrada de Trânsito) se tornaram rotina.

“Sempre estamos nessa parceria, nós fazemos reuniões e palestras para conscientizar os motoristas com objetivo de diminuir os acidentes. Também focamos em motociclistas, já que o número crescente desses veículos também aumento o número de ocorrências”, explica o comandante metropolitano.

Mês a mês – O mês de 2013 com maior número de acidentes em Campo Grande foi mario, com 540 ocorrências. Na sequência, aparecem Agosto com 532, Setembro com 523, Julho com 478, Junho com 477, Abril com 461, Março com 390, Janeiro com 381 e Fevereiro com 353.




Tem muito motorista irresponsável na cidade, por conta de vários fatores, motoristas alcoolizados, Detran exige mais teoria que prática, falta de monitoramento, fiscalização e punição, faz com que cada vez piore o comportamento de certos motoristas que fazem errado e se acham donos da razão.
 
Sandro Lima em 23/10/2013 14:24:51
Sera que os comandantes não sabem , o que falta é uma fiscalização , muitos motorista com carros irregulares e sem habilitação; Autos escolas com intrutores mau preparados, motorista sem educação nemhuma , e só voçe andar nas ruas de mão dupla para verificar a verdadeira ziz zaz que se formam, não respeitam e só sabem andar encima das faixas, permitindo assim que motociclista fiquem fazendo malabarismo entre os carros. A verdadeira educação para os motoristas de Campo Grande e fiscalização que infelismente voçe não ve .
 
claudinei aquino em 23/10/2013 14:04:03
Não é somente de imprudências que vivem os motoristas de nossa cidade, é um misto de incompetência também, motoristas despreparados, sem noção nenhuma de direção ou educação no trânsito... Pessoas inaptas a seguirem na direção de um veículo, sem condição neurológica e psicológica para conviver nas ruas ao volante de seu possante...

 
Odracir Siarom em 23/10/2013 14:03:19
"Segundo o comandante metropolitano, os acidentes geram alto custo ao Estado"
Pelo menos usam o dinheiro que pagamos em imposto para alguma coisa, se dissessem que vai para outro lugar, mais bem sabemos que isso não ocorre.. caos na saúde, caos na educação. Cadê o policiamento? não vejo polícia na rua em determinados horários, ahh não tem policiais, tem que fazer mais e mais concursos. Onde estão os que tem?
 
Edivaldo Alves Silva em 23/10/2013 12:42:35
Coincidentemente, o centro também é a area onde menos dá para correr (o transito sempre engarrafado) e onde está a maioria dos sinaleiros. Mesmo assim sendo recordista de acidentes mostra que embora a maioria das multas em Campo Grande esteja por excesso de velocidade, a maioria dos acidentes ocorre por furar sinal e/ou invadir preferencial (entre sexta noite e domingo muitas vezes em relação com álcool).
Mais do que campanhas educativas, o que deve resolver são mais câmeras nos sinaleiros e mais blitz. Afinal, motorista que tem CNH (bom, ai tem um problema, um em três, principalmente motociclistas, não tem...) não precisa de campanha educativa para saber que não pode furar sinal ou dirigir embriagado...
 
Marcos da Silva em 23/10/2013 11:29:09
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions