A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

03/08/2011 20:50

Com mais de 400 mil veículos, Campo Grande já enfrenta caos no trânsito

Ana Paula Carvalho
Congestinamentos na rua 15 de Novembro já se tronaram comuns. (Foto: João garrigó)Congestinamentos na rua 15 de Novembro já se tronaram comuns. (Foto: João garrigó)
Dono Aparecida diz que mal consegue atravessar a 15 de Novembro. (Foto: João garrigó)Dono Aparecida diz que mal consegue atravessar a 15 de Novembro. (Foto: João garrigó)

Cláudia Rocha, 36 anos, comerciante, passa pela rua 15 de Novembro no centro de Campo Grande sempre que precisa fazer compras em uma casa de frios próximo ao Mercado Municipal, o problema é que ela tem que exercitar a paciência toda vez que faz esse caminho. “Fica muito congestionado e para chegar à loja eu ainda preciso dar a volta, o que demora mais”, diz.

A rua 15 de Novembro já foi uma das rotas alternativas para quem queria fugir dos congestionamentos nos horários de pico, mas, hoje, trafegar por ela não é mais tão fácil.

Mas não são apenas os condutores que estão tendo dificuldades com o trânsito caótico da Capital. Para atravessar a rua, os pedestres precisam contar com o bom senso dos motoristas.

A costureira Aparecida da Silva, 47 anos, vai ao Mercado Municipal pelo menos duas vezes por semana e, segundo ela, se não fosse à generosidade de alguns condutores, o pedestres não conseguiriam atravessar a rua. “Aqui é um lugar que precisa de um semáforo, porque se não for à generosidade dos motoristas, a gente não atravessa”, reforça.

Das 07h30 às 08h, das 12h às 13h e das 17h30 às 18h15, trafegar por muitos pontos de Campo Grande virou motivo de dor de cabeça, isso por que é cada vez mais comum vermos congestionamentos pela cidade.

Os lugares mais caóticos são a Rua Rui Barbosa da praça dos imigrantes até a avenida Afonso Pena, a rotatória da avenida Interlagos com a Gury Marques e da Rua Joaquim Murtinho com a Ceará. Mas outras vias estão ficando caóticas. É o caso da Avenida Duque de Caxias, da Fernando Correa da Costa e da Eduardo Elias Zahran.

Por volta das 17h40 trafegar pela rotatória da Ceará com a Joaquim Murtinho é praticamente insuportável.

Quem vem da Joaquim Murtinho e quer entrar na Ceará sentido Shopping Campo Grande tem que fazer um verdadeiro malabarismo para conseguir passar pelos carros.

Faixa de pedestres no local não existe.Quem precisa atravessar de um lado da pista para o outro precisa se arriscar entre os veículos.

Dona Maria Conceição, 53 anos, desce do ônibus todos os dias na Joaquim Murtinho e precisa atravessar a rotatória para chegar em casa. Ela já passou por alguns sustos. “Eu quase fui atropelada por três vezes. Fica uma montoeira de carros aqui que nem dá para atravessar”, afirma.

O advogado Anderson Pasqualeto, 38 anos, leva de oito a 10 minutos para conseguir fazer a rotatória e atravessar a Ceará em horário de grande fluxo de carros. Ele passa pelo local quatro vezes por dia. Segundo ele, em horário de pouco movimento o tempo de espera para conseguir fazer a travessia, é quase nada.

Rotatória da Joaquim Murtinho com a Ceará fica congestionada em horários de pico; Pedestre se arrisca tentando atravessar Joaquim Murtinho entre os carros. (Foto: João Garrigó)Rotatória da Joaquim Murtinho com a Ceará fica congestionada em horários de pico; Pedestre se arrisca tentando atravessar Joaquim Murtinho entre os carros. (Foto: João Garrigó)

Muitos carros - Para o diretor-presidente da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Rudel Trindade, os congestionamentos são decorrentes do aumento da demanda de veículos em circulação. A frota é de aproximadamente 415 mil, entre motocicletas e carros, sem contar os veículos de outras cidades que circulam pela Capital.

Ainda de acordo com ele, os congestionamentos acontecem principalmente nos horário de pico. “Nós ainda temos o beneficio de que Campo Grande tem um horário de pico curto. Não passa de 45 minutos. Em outras cidades do país isso é muito maior”, diz.

“Nós vamos ter que conviver com os congestionamento porque a cidade está crescendo”, afirma o diretor-presidente da Agetran.

Ainda de acordo com ele, o aumento na frota de veículos e os congestionamentos também dificultam o trabalho dos agentes de trânsito, principalmente em pontos como a rotatória da Interlagos com a Gury Marques, onde é comum acontecerem pequenos acidentes. “Se acontece uma pequena batidinha para tudo, porque até você conseguir chegar lá e atender a ocorrência o trânsito já ficou todo parado”, relata.

Alternativas - Para Rudel Trindade, existem alternativas para tentar diminuir os congestionamentos.Uma delas é a retirada do estacionamento de um lado da via para o trânsito circular melhor. “Na Rui Barbosa tem um lado que tem estacionamento, você pode tirar para o fluxo de veículos fluir, mas ali seria mais difícil porque atrapalharia o comércio”, pondera.

Ainda de acordo com ele, outra opção é proibir a circulação de caminhões em determinados horários. Melhorar a questão semafórica também ajuda.




O que acontece em Campo Grande, é sem dúvida, o grande crescimento da população em contraste com a falta de infra-estrutura.
Mas há um outro problema: a maioria dos condutores daqui são piores que analfabetos, são psicopatas. NÃO ESTÃO NEM AÍ PARA A DOR DOS OUTROS. Principalmente quem tem carrão, são os que mais cometem atrocidades.
TINHA QUE HAVER UM TIPO DE TESTE JUNTO AO PSICOTÉCNICO, PARA DETECTAR OS PSICOPATAS E NÃO LIBERAR A HABILITAÇÃO.
O pior é que geralmente todos os psicopatas passam no primeiro teste, nunca reprovam. REPAREM NISSO. É I N C R Í V E L.
 
Angélica Nunes Dourado em 14/08/2011 03:29:52
Avenida sem canteiros passa ser via expressa e via expressa não pode ter semáfaro, para não ter semafaro não pode existir cruzamentos, para isso terá que criar pontes, Campo Grande tem condições de fazer isso? O problema é o crescimento da população ns cidades vizinhas que circulam na Capital, o numero de habitantes é o mesmo.
 
Roberto Marinho Villas em 04/08/2011 12:16:05
Sr. Secretário, Campo Grande necessita de um projeto arrojado para minimizar os graves problemas de seu trânsito. Caso não haja investimentos pesados na parte de engenharia, tais como: construção de pontes, viadutos, pequenos túneis, eliminação de estacionamentos em canteiros centras em avenidas importantes, etc.. nada será resolvido. Medidas paliativas apenas resolverão momentaneamente o problema. Dinheiro para esses investimentos existe, até mesmo porque Campo Grande é uma das cidades que cobra o IPTU mais caro do país. Portanto, além de uma adminstração corajosa há a necessidade de bem aplicar o dinheiro recolhido aos cofres públicos. Deve-se ainda investir em campanhas de conscientização do cidadão no sentido de se evitar ao máximo o uso de veículos particulares, para tanto a prefeitura deve oferecer e exigir um transporte público de qualidade.
 
Geraldo Moretzsohn em 04/08/2011 12:12:35
olha pessoal exercitar a paciência é até comico escutar isso, vão para São Paulo para vcs verem o que é transito, o problema é que Campo Grande tem estrutura de cidade do interior e não vai crescer pois ja fazem 10 anos que continua com 900 mil habitantes mais o interior de MS esta com 2 milhoes de habitantes há mais no mesmo periodo, com isso o fluxo de carro tem almentado na Capital. Meu conselho é, a tendencia do transito é sempre piorar pois a cidade nao vai crescer para a infraestrutura mudar, pois nao iram tão cedo colocar metro e nem ampliação nas ruas, então mude da Cidade paciencia, pois vocês acham que a cidade esta crescendo? A cidade só gira em torno do setor publico e pecuária, quem não é concursado ta enrrolado, acorda Campo Grande. Abraços a todos
 
Alexandre Santiago em 04/08/2011 12:11:37
Parabéns ao governo Lula em oferecer mais créditos, mais financiamentos para os mais pobres, isso sim que é governar para todos, sem discrimição das classes pobres e ricos. Se todos politicos fossem igual o ex Lula esse pais seria bem diferente.

 
cido soares em 04/08/2011 10:48:53
Oi, concordo com a lauci roriz, sou de outro estado estou aqui a 2 anos, olha as ruas aqui pra trafegar tem que ser esperto senao voce entra na contra mao e bate de frente, todas mal sinalidadas, os semaforos voce fica com dor no pescoço pois voce para antes da faixa e o semaforo fica em cima do carro, acho que o cara que fez isso andava de carroça pois não tem teto.... isso quando a luz nao esta queimada. E o seu Wiliam silva sera que voce nao é mais um ze de esquina. ou anda só de bicicleta mesmo.....
 
thiago souza em 04/08/2011 09:59:41
O trânsito vai ficar cada dia pior, uma vez que os técnicos da AGETRAN ainda tem uma visão de cidade pequena, haja vista a declaração do funcionário acima, de que a retirada do estacionamento de uma lado da rua Rui Barbosa atrapalharia o comércio.
 
Marco Stuani de CG em 04/08/2011 08:37:53
O QUE ESTA FALTANDO É POLICIAIS OU AGENTES DE TRANSITO NAS HORAS DE RUSH. SE VOCE TRAFEGAR NOS HORARIOS DE "PIQUE" NÃO ENCONTRA POLICIAIS PARA ORGANIZAR O TRANSITO. EX: 15 DE NOVEMBRO COM A RUI BARBOSA; TREZE COM A SETE; 26 DE AGOSTO COM A RUI BARBOSA; QUINZE COM A CALÓGERAS. OS MOTORISTAS SE VIRAM COMO PODEM, ALEM DE TRAFEGAREM EM RUAS DILACERADAS.
 
LUIZ SILVEIRA em 04/08/2011 08:26:41
Investir em transporte público de qualidade ninguém quer né senhor Rudel?
Não adianta ficar tapando o sol com a peneira, se não melhora o transporte coletivo, estamos fadados a sofrer com congestionamentos cada vez maiores...
 
Roberto Inzagaki em 04/08/2011 08:24:52
NAO SO NO CENTRO QUE ESTA CAOTICO O TRANSITO E POR TODA CIDADE A RUA DA DIVISAO ALEM DE ESTA CAOTICO ESTA MUITO PERIGOSO AS PESSOAS NAO RESPEITAO NADA EM QUANTO AS AUTORIDADE NAO COLOCAR UM SEMAFARO E REDUTOR DE VELOCIDADE IGUAL E QUE TEM PROXIMO AO RADIO CLUB CAMPOS .
 
MARIA RITA em 04/08/2011 07:53:39
QUEM DIRIA QUE HA UNS TRINTA ANOS ATRÁS, NEM O MAIS OTIMISTA PODERIA PREVER QUE O SENHOR DEUS, ABENÇOASSE OS MENOS FAVORECIDOS, DANDO - NOS CONDIÇÕES DE TERMOS CARROS, PRATICAMENTE NOVOS, AGORA PRECISAMOS FAZERMOS RECICLAGEM PARA DIRIGIR EM NOSSA MARAVILHOSA CIDADE , TERMOS PACIENCIA, EDUCAÇÃO, DANDO-NOS A PREFERENCIA PELA VIDA.MAS ESTAS AVENIDAS DE CAMPO GRANDE É MUITO CONFUSA. NO CENTRO TEM RUAS QUE COMEÇA COM MÃO UNICA DERREPENTE FICA , DUPLA.
 
lauci roriz em 04/08/2011 07:13:39
ola pessoal concordo q a frota esta aumentando mas caos congestionamento de 100;200 metros isso nao e congestionamento campo grande ainda nao e nem metropole falta muito para isso 900 mil habitantes 400 mil veiculos circulando e muito pouco pra uma cidade com varias avenidas nao falo nem de sao paulo pode se dizer quem ja foi para goiania go que tem ruas estreitas e milhoes de veiculos bem maior q campo grande e la tem congestionamento aki isso nao e congestionamento falta muito respeito para outras pessoas entre motoqueiros e motoristas principalmente eu ando de carro e moto tambem as pessoas parecem q semtem raiva umas das outras vamos mudar os habitos primeiro e depois critiquem FASSA SUA PARTE PRIMEIRO COM RESPEITO E EDUCAÇAO abraço a todos e fiquem com deus e vamos ser cordial no transito
 
marcio domingos em 04/08/2011 06:52:31
culpa do governo lulla: mais crédito, mais financiamento....agora qualquer zé de esquina financia um veículo em 500 vezes, vende a alma para as financiadoras, paga no final o preço de 2 veículos, mas sai feliz da vida.

Isso num país que não tem estrutura viária muito menos transporte público decente só pode gerar o caos mesmo.
 
wilian silva em 04/08/2011 06:50:46
Todas as grandes cidades desenvolvidas do mundo já passaram por esses problemas e a prefeitura de Campo Grande não precisa pensar muito: basta observar o que funcionou em outros lugares. A solução passa por investimentos pesados no transporte coletivo, incentivo e prioridade a pedestres e ciclistas e restrições ao uso de carros. Quem semeia avenidas colhe congestionamentos! Pontes e viadutos são soluções caríssimas e atrasadas, que degradam a cidade!
 
Luiz Pereira em 04/08/2011 04:49:32
Isso não vai mudar.
As cidades devem crescer em infra-estrutura para absorver exatamente esse crescimento de veículos, de pessoas e consequentemente de necessidades.
O número de veículos não saltou de um ano pra outro, é um aumento gradativo, que o Detran, tenho certeza, viu acontecer basicamente pelo aumento da conta bancária por causa do ipva e licenciamento.
Porém olha essa nossa malha, essas ruas esburacadas, sinais mal temporizados, vias estreitas, uma zona.
É um absurdo realmente uma cidade pequena como a nossa ter engarrafamentos como os que temos, porém é muito justo, afinal não tem investimento algum.
Meu carro sofre nessas ruas esburacadas daqui, a suspensão reclama o ano inteiro porque é impossível fugir das más condições.
Não falta agente pra organizar o trânsito não, isso é reflexo.
Faltou investimento que acompanhasse o crescimento, é lição de casa isso.
 
Eder Lima em 04/08/2011 04:39:34
Campo Grande necessita sabe do que? De condutores! Sim, porque o que temos aqui são verdadeiros pilotos, assassinos em potencial. Primeiro, vocês não sabem o que é congestionamento. Segundo, vocês não sabem o que é rua estreita. Terceiro, vocês não sabem o que é caos no trânsito. E quarto: TUDO isso melhora se o condutor simplesmente dirigir mais devagar e com mais prudência.
 
Talita Rebouças em 04/08/2011 04:33:44
CAMPO GRANDE NECESSITA URGENTE DE "VIADUTOS" PARA DESAFOGAR O TRÂNSITO!
AV. MATO GROSSO COM VIA PARQUE, AFONSO PENA COM VIA PARQUE ETC...
 
Paulenir Barros em 04/08/2011 01:30:39
Investimento todo mundo fala que deve ter, mas o que falta mesmo é planejamento com a arrecadação, se esta aumentando a frota tambem aumenta a arrecadaçao, isto sim é uma mina de ouro, falta aumentar a temporizaçao dos semaforos e investir em vias coletoras que ja existe, para sanar os engarrafamentos, ha varios trechos cujo os nomes em outras circunstancias serao citados.
 
Alexandre Rodrigues em 04/08/2011 01:22:44
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions