A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

25/05/2011 11:32

Com nova estatística, número de mortes no trânsito da Capital assusta

Aline dos Santos

A tragédia urbana já levou 11 vidas neste mês

Mulher de 60 anos morreu no hospital após ser atropelada na Afonso Pena. (Foto: João Garrigó)Mulher de 60 anos morreu no hospital após ser atropelada na Afonso Pena. (Foto: João Garrigó)

No mês em que foi inaugurado um placar para celebrar a vida, é o número de mortes que chama atenção no trânsito de Campo Grande. A tragédia urbana já levou 11 vidas e não faz distinção: morreram criança, adolescentes, jovens, adultos e idosos.

Até meados deste mês, as estatísticas oficiais da violência no trânsito contabilizavam somente mortes no local. Agora, para se chegar ao retrato real também entra no cálculo vítimas que falecerem até 30 dias após o acidente.

Neste mês, foram quatro mortes de vítimas que chegaram a ser internadas na Santa Casa, mas não resistiram. Uma delas foi Irotildes Floriano da Silva, de 60 anos. Ela foi atropelada no dia 19 na avenida Afonso Pena, em frente ao Shopping Campo Grande. A mulher morreu no hospital.

De acordo com a chefe de Divisão de Educação da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Ivanise Rotta, era de se esperar que a nova estatística trouxesse uma realidade ainda mais assustadora.

A média em anos anteriores, quando só se contabilizava morte no local, era de cinco óbitos durante o mês de maio em Campo Grande. A nova estatística segue orientação da OMS (Organização Mundial de Saúde) e prevê que sejam traçadas ações para preservar vidas.

Estrela no asfalto quer sinaliza vida perdida no trânsito. (Foto: João Garrigó)Estrela no asfalto quer sinaliza vida perdida no trânsito. (Foto: João Garrigó)

Chão de estrelas – O adolescente Douglas, o senhor Osvaldo, a dona Irotildes, a menina Kauanny, o jovem Anderson. Mortos no trânsito, eles vão virar estrela dourada no asfalto cinzento de Campo Grande.

De caráter simbólico, a iniciativa da Agetran pretende sensibilizar motoristas, motociclistas e pedestres. “É para sensibilizar a pessoa. Para saber que no caminho dela, uma vida se perdeu. Que isso traga uma reflexão, que ela tome mais cuidado”, salienta Ivanise. No ano passado, 55 pessoas morreram no local do acidente em Campo Grande.

Para o órgão de trânsito, o grande desafio é que o motorista coloque o pé no freio. Conforme Ivanise Rotta, a maioria dos acidentes com morte envolve excesso de velocidade.

Ela lembra que a velocidade máxima permitida no perímetro urbano é de 60km/h. Porém, a informação não parece ser de domínio público. “Tem gente que reclama que foi multado na Afonso Pena, mas que estava em velocidade de passeio, a 80km/h, 100km/h”.

Inaugurado no último dia 11, o Placar da Vida marca os dias sem morte no trânsito de Campo Grande e faz parte do projeto mundial “Década de Ação pela Segurança Viária”.




Gente!!! vamos abrir o olho a cidade não tem sinalização adequada, não é possível que os motoristas da cidade sejam em sua maioria despreparados, multar não resolve é preciso reverter esse dinheiro em melhorias efetivas no trânsito. Quase todos os semáforos da cidade são discincronizados, a gente anda e para anda e para, é um absurdo, não tem sinalização no asfalto dividindo as vias, tem ruas sem semáfaro, quando tem, não tem onda verde (essencial nas grandes cidades p/ o trânsito fluir), não tem guard-rail, (Cadê a Lei Magaly Picarelli), fora os buracos que obrigam o motorista fazer desvios perigosos, e por aí vai. Abram o olho, não é possível que só os motoristas sejam ruins de volante, se for assim, as nossas auto-escolas e o Detran são ruins tbm.
 
Denise da Silva em 26/05/2011 08:40:28
Será que a culpa e somente do condutor e dos motoristas? aonde está a onda verde, a sinalização de pistas e asfalto... Esse anda e pára, anda e pára em quase todas as vias públicas da cidade com certeza contribui para esses acidentes, não basta só aplicar multas é preciso e urgente investir com inteligência no trânsito. Temos que desconfiar que alguma coisa não está funcionando direito, ou será que Campo Grande só tem gente ruim de volante? Lógico que não, a prefeitura tem que melhorar muito os semáforos da cidade. Nem guard-rail tem nas beiras de corrégos, esqueceram a Lei da Magaly Picarelli?
 
Denise T. da Silva em 26/05/2011 08:31:33
Bom dia,
Parabéns pela iniciativa seja de quem for, pelos comentários acima é visível que as pessoas estão incomodadas, pois essas estrelas podem representar um CLICK e fazer ver o quanto a irresponsabilidade de uns tira a vida de muitos.
Minhas netas, minha filha que dirige já sentiu arrepios, isso é muito bom, e o que parece fantasia ou ilusório faz a reflexão ser maior, realmente é preciso mostrar o mal que muitos condutores fazem a si e aos outros.

É preciso agora mostrar a punição severa e fazer valer a lei em sua plenitude, só pra lembrar: a lei seca que vigora não está existindo, os postos continuam pela madrugada, com som alto, bebidas e jovens que hoje se esqueceram de viver, querem apenas se afogar, conversas sem nexo, muita bebidas, músicas exageradas e que nada dizem, sem contar o perigo aos transeuntes, motoristas, com fumo, alcool, tudo junto em um local extremamente inflamável...Essa é outra área que precisa da placa NÃO MATE, NÃO MORRA enorme, e PROIBIDO com desenho explicativo.

Parabéns pelas estrelas que tanto brilham no céu como no chão e na imagem de quem sente na pele a dor da perda!

Loadir
Motorista consciente
Campo Grande - MS
 
Loadir Aparecida Silva em 26/05/2011 08:11:47
É triste saber que a nossa capital é uma das mais violentas no trânsito.Acredito que só através da educação teremos motoristas que sejam capazes de respeitar as leis de trânsitos.O trabalho que vem sendo realizado p. chefe de Divisão de Trânsito é importantíssimo porque a lei da educação é a repetição.Oxalá essas ações sejam compartilhadas!
 
Mercedes Brito em 26/05/2011 07:24:04
Tenho certeza de que para a familias que perderam alguém querido pela violência do trânsito de Campo Grande, essa na verdade está sendo a estrelinha da impunidade. Pois é revoltante você passar pelo local onde você perdeu alguém da sua familía e ele esteja simbolizado no chão por uma estrela amarela, enquanto quem lhe tirou a vida de maneira tão violenta está livre, sem estar pagando nada pelo o que fez e tendo o direito de continuar livre para ter o convivio com a sua familia.
 
Luciene Mello em 26/05/2011 07:17:21
sou a favor das estrelas, mas acho que todo acidente de trânsito principalmente com vitima deveria ser obrigatório o teste do bafomêtro, meu irmão foi uma vitima de acidente no trânsito, ele faleceu, e todos que estavam no local falam que o condutor da camionete que o atropelou estava alcoolizado, mais não passou por exame nenhum, mais um que ficará impune. Eternas saudades de KAIO RAMON ISRAEL TORQUATO
 
Mara Cristina Israel Torquato em 26/05/2011 06:52:13
Não adianta estrelas, placar da vida ou educação no trânsito. A maioria das pessoas aqui não são educadas, não têm consciência, cortesia e não sabem dirigir como se deve. Portanto, o que vai resolver é fiscalização pesada, reciclagem de muitos motoristas e multa, mas muita multa mesmo, seja por qualquer falha pequena.
 
Thiago Kalunga em 25/05/2011 12:36:38
Eu não entendo a cegueira e a dificuldade de nossas autoridades em não enxergar o óbvio, o que sensibiliza motorista e motociclista irresponsável e inconsequente não é estrelinha no chão, é punição mais punição real e severá, não estas multinhas de R$ 100,00 e distribuição de cestas básicas...
 
Marco Aurélio em 25/05/2011 12:24:35
Desse jeito como anda as coisas...o asfato vai virar um verdadeiro céu...
temos que tomas conciência que apartir do momento de saimos de nossas casas, temos que ter responsabilidades, que nao adianta (estrela, nuvens, sol, lua...) enquanto cada um souber que a falta de faz, colocando assim vidas em perigo.
 
BEATRIZ SOUZA em 25/05/2011 10:33:07
parabens a quem teve essa brilhante idéia de desenhar uma estrela em cada local onde houve uma acidente com vitima fatal, eu acho que vale a pena mesmo porque eu passei na avenida inter-lagos onde existe uma estrela e fiquei muito comovida, e acredito que todos os motoristas que passarem por um local desses vão ter mais cuidados e com isso muitos acidentes serão evitados com certeza.
 
maria aparecida c. mota em 25/05/2011 09:54:50
O problema todo mundo ja conhece, o filinho de papai sai fazendo arruaça por ai e pensa, "De Boa qualquer coisa chamo minha mamãe", como o caso do filho sem vergonha daquele vice prefeito que atropelou um motociclista que estava trabalhando e fugiu com a mamãe, ai outros pensam, é só eu pagar uma fiança e levo meu carro pra casa e não dá nada.
Se as autoridades não abrirem os olhos os filhos de diretores, prefeitos, vereadores, deputados podem ser parte dessa estatística, ou eles pensam que só pobre pode morrer atropelado, ou bater o carro.
 
Oswaldo Benites em 25/05/2011 09:40:57
Eu tenho uma pergunta: A tinta usada pra esse desperdício de dinheiro público e efetividade de fachada é a mesma usada pra pintar sinalização horizontal, dessas refletivas, visíveis à noite? Se for, fiquem sabendo desde já: essa tinta fica extremamente escorregadia quando molhada, pois leva em sua composição materiais que a fazem escorregadia. Sendo assim, a prefeitura, via Agetran, está contribuindo pra aumentar o número de acidentes com motociclistas. Por que vai ser passar sobre uma estrela dessas em tempo de chuva e ganhar o chão... Valeu, prefeito, valeu, Agetran... Que bola fora, hein?
 
Daniel Francelino em 25/05/2011 09:36:58
Estrelas são astros celestes, não astros no asfalto!!!! Nas lápides nos cemitérios, estrela é o início da vida, o fim da vida é a cruz, que incoerência e falta de criatividade!!!!
 
Daniela Christine em 25/05/2011 08:37:33
A Cidade vai ficar linda com asfalto amarelo!!!! com tanta estrelinha assim....temos q dar idéia de colocar sol, lua e outros astros pra não ficar uma coisa uma coisa monótona.
 
carlos alberto em 25/05/2011 06:19:28
um veicolo a 60Km horario, em um segundo percorre 16m. o tempo que demora o pé ir do acelerador ao freio, mais o meno é um segundo, a te parar, sem capotar, vae masso o meno outros 50 metro. (Se uma criança correr de uma bola,ou de um gato?)
 
fausto furlan em 25/05/2011 04:41:26
Essa campanha é muito boa no sentido de ser eficaz na sensibilização. Para ser sincera, estou me sentido meio arrasada por ter passado por duas estrelas hoje. Ler essa matéria e ver que várias pessoas morreram só neste mês e por causa da imprudência do trânsito faz muita gente refletir sobre a falta de responsabilidade em conduzir um carro.
 
Joaquim Tomaki em 25/05/2011 02:09:32
A AGETRAN poderia aproveitar a foto para multar este pálio branco que está fazendo um conversão proibida. O fusion vai fazer a mesma coisa, mas não da para ver a placa.
 
Marco Arthur em 25/05/2011 01:03:02
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions