A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

26/07/2013 10:43

Corredor da Afonso Pena poderá ser transferido para três vias da Capital

Leonardo Rocha
Avenida Mato Grosso pode ficar menor para veículos com corredor de ônibus (Foto: Marcos Ermínio)Avenida Mato Grosso pode ficar menor para veículos com corredor de ônibus (Foto: Marcos Ermínio)

A Prefeitura estuda três opções para transferir o corredor do transporte coletivo, que seria instalado na Avenida Afonso Pena. Como o canteiro central da via será tombado como patrimônio histórico e cultural, a Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação não poderá realizar intervenções, o que obriga a transferência do corredor de õnibus para outro local.

Veja Mais
Carro capota após colisão no cruzamento da Bahia com a Barão do Rio Branco
Motorista escapa de capotamento com ferimentos leves

Esse foi um dos destaques da reunião, por meio de conferência, do prefeito Alcides Bernal (PP) com representantes da Caixa Econômica Federal e Ministério das Cidades (videoconferência) para discutir os projetos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) da Mobilidade Urbana.

 

Os ônibus, que passariam a circular na avenida Afonso Pena, podem ser transferidos para um corredor que pode ser instalado na Rua 15 de Novembro, Barão do Rio Branco ou Avenida Mato Grosso.

De acordo com o secretário de Infraestrutura, Transporte e Habitação, Semy Ferraz, a Avenida Afonso Pena está passando um processo de tombamento histórico e cultural e a prefeitura precisa ter outras opções para esta área. “Temos que fazer o estudo para analisar as possibilidades, a Barão do Rio Branco não segue direto, teria que fazer adaptações, a 15 de Novembro é uma opção, assim como a (Avenida) Mato Grosso”, ressaltou ele.

Semy ponderou que no próximo dia 30 de julho serão entregues outras documentações à Caixa Econômica e que esta equipe de trabalho deve se reunir a cada 30 dias para discutir o projeto. “Temos a fase de documentação, licenças que precisam ser liberadas e depois a abertura de licitação, esperamos que até fevereiro as obras sejam iniciadas”, ressaltou ele.

A prefeitura terá R$ 179 milhões para investimentos em mobilidade urbana, destes R$ 120 milhões com recursos próprios, alcançado por meio de empréstimo junto a Caixa Econômica, e contrapartida de R$ 59 milhões do Governo Federal.

Obras – Segundo o secretário de obras, a prefeitura irá construir novos viadutos, pavimentar e recapear vias para melhorar o fluxo do trânsito e implantar corredores exclusivos de ônibus, que serão colocados nas principais vias da cidade, além de ter três macro corredores que chagarão nos Terminais Aero Rancho, Coronel Antonino e Guaicurus.

Veículos não terão espaço de circulação reduzido na Afonso Pena (Foto: Marcos Ermínio)Veículos não terão espaço de circulação reduzido na Afonso Pena (Foto: Marcos Ermínio)
Secretário participou de reunião para discutir PAC da Mobilidade Urbana na Caixa (Foto: Marcos Ermínio)Secretário participou de reunião para discutir PAC da Mobilidade Urbana na Caixa (Foto: Marcos Ermínio)



Porque não fazem na Marechal (ida), Maracajú (vinda) e na Euclides (Mão dupla)? Elas vão mais longe do que as outras opções disponíveis, são mais largas do que a 15 e precisa de menos intervenções do que a Barão.
 
Guilherme Arakaki em 26/07/2013 18:01:55
Senhor Rafael Santos tem todo o meu apoio. Em Campo Grande dá-se mais valor as vaidades do que a praticidade. Querem mostrar uma cidade verde sendo que o trânsito é infernal. Que se reduza aquele canteiro inútil da Afonso Pena, se quiserem que a cidade ande para a frente e não fique congestionada.
 
Jorge Souza em 26/07/2013 17:06:04
Muitos viadutos em Campo Grande por favor!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Isso já devia ter sido planejado há 20 anos atrás!!!!!!!!!!!!!! Viadutos cruzando de norte a sul e de leste a oeste da cidade!!!!!!!!!! Ainda dá tempo, antes que seja tarde demais...................
 
Jorge Souza em 26/07/2013 16:59:19
É desculpa para desviar grana do recurso federal, vão colocar uma placa linda escrita assim "Construido com Recurso Federal do PAC , BRASIL UM PAÍS DE TODOS, Custo da Obra: 10 milhões e meio". Mas na real vão gastar 1/5 declarado e o resto vai pro bolso da gurizada esperta.
 
Julio Cezar em 26/07/2013 16:40:34
A faixa da direita da Mato Grosso(sentido parque) tem três pistas mais estacionamento, poderia virar corredor de ônibus nos dois sentidos.
a faixa da esquerda (sentido centro) seria exclusivo de carros no sentido centro e a Antônio Maria Coelho exclusiva de carros no sentido parque.
 
PAULO BORGES em 26/07/2013 16:23:44
Por que não faz um sincronismo de semaforo nessas ruas? É um sinal vermelho atrás do outro, se fosse sincronizado reduziria muito o congestionamento, o transito precisa fluir, não fica engessado do jeito que tá.
 
Guilherme Kroll de Lima em 26/07/2013 15:54:17
Aprovo o corredor na Barão e na 15, são as melhores opcões.
 
Ricardo Sadyama em 26/07/2013 15:24:14
Gostei da sugestão do bruno salazar, teríamos mais uma oportunidade de planejar a cidade e não podemos esquecer que um dos mentores do tombamento da afonso pena, na década de 80, foi um dos planejadores de campo grande.
 
jose souza e souza em 26/07/2013 13:55:17
Outro ponto que não se pode desprezar é a conveniência de "vias rápidas em mão única" paralelas à avenida que sofreria a intervenção. Foi a solução adotada em Curitiba para se absorver o impacto das avenidas de canteiro que, uma vez implantadas nelas os corredores exclusivos a ônibus, reduziram drasticamente o espaço dos veículos. A considerar a necessidade de uma ligação direta entre a "Cabeça de Boi" e o Parque dos Poderes, ambas as avenidas não têm "ruas paralelas" em todo seu percurso. Quanto à Afonso Pena, as paralelas 15 de novembro e o conjunto "Barão do Rio Branco-General Odorico Quadros" sofrem interrupção no limiar do Shopping Campo Grande. Já a única paralela à Mato Grosso nestas condições é a Antônio Maria Coelho; sua "contramão" natural, a Abraão Rahe, não passa da Santa Casa.
 
Marcel Ozuna em 26/07/2013 13:20:50
COM TRANSPORTE COLETIVO EFICIENTE MUITOS CARROS DEIXARIAM DE ATORMENTAR O TRÂNSITO,A PREFEITURA NÃO PODE TER MAIS GASTOS É SÓ FAZER O CORREDOR RETIRANDO AO LONGO DA AVENIDA VEÍCULOS QUE FICAM DIA INTEIRO ESTACIONADOS,E SEM FISCALIZAÇÃO NÃO PAGAM MAIS DE UMA HORA O PARQUÍMETRO QUE É UM DINHEIRO TAMBÉM QUE NÃO SE SABE COMO É INVESTIDO.AFONSO PENA É PARA TRÂNSITO E NÃO PARA PASSEIO,2 FAIXAS MAIS O CORREDOR EXCLUSIVO, SERÁ ÓTIMO COM CUSTO MINIMO,E CONDUTORES QUE ACHEM ROTA ALTERNATIVA.TEM CARRO DEMAIS QUE VAI PARA LUGAR NENHUM.
 
Luiz Carlos Santos Messias em 26/07/2013 13:12:02
Implantar corredor de ônibus na Afonso Pena não é de todo inviável. Mesmo com o tombamento do canteiro (e se isso implicar em que nada mais se modifique por lá), as calçadas à margem direita da mão de cada pista são uma opção, embora pior. Mas isso, claro, implicaria no fim do estacionamento na Afonso Pena, até porque na atual situação os ônibus ocupam praticamente 2 pistas inteiras para circular, e um corredor exclusivo a eles forçaria a fusão das 2 faixas mais à direita.
Já se a opção for pela Mato Grosso, a tendência de se acabar com o estacionamento é a mesma. A menos que se construa a 4ª faixa na pista centro-parque e a amplie na pista em que já existe (parque-centro). E a Mato Grosso não acessa o corredor da Duque de Caxias, o que demandaria o prolongamento daquela até a Orla Morena.
 
Marcel Ozuna em 26/07/2013 13:10:12
O canteiro da Afonso Pena não é nem nunca foi problema, o problema é a inventação de moda pra roubar dinheiro, isso sim, o problema do transito de Campo Grande não são os ônibus e sim a falta de capacidade da Agetran que ao invés de melhorar a situação, piora mudando mão de rua que não precisa, colocando sistema onda verde que não funciona, enfim, só querem mudar alguma coisa para ter de onde desviar, afinal sem obra não há desvio de verba. Contratem pessoas competentes que o problema é resolvido em um ano sem gastar tanto dinheiro do contribuinte.
 
MAXIMILIANO RODRIGO ANTONIO NAHAS em 26/07/2013 13:03:30
é só proibir o estacionamento na faixa da afonso pena... pronto! está feito seu corredor de ônibus. Eles querem mesmo é gastar e desviar dinheiro federal.
 
Fernando Junior em 26/07/2013 12:43:02
E la vai mais dinheiro nessa afonso pena. 1° o recapeamento, depois quebraram para fazer a ciclovia, agora vão quebrar tudo de novo pra fazer essa mudança.Se for contar o custo dessa avenida afonso pena daria pra recapear a cidade inteira........
 
marcio dias em 26/07/2013 12:33:09
Mas vocês gostam é de reclamar e tumultuar, antes estavam reclamando que o canteiro deveria ser tombado, agora reclama que ele vai ser tombado, daqui a pouco começam a reclamar dos ônibus estão passando em ruas diferentes das que o senhores gostariam que estivem circulando, pois bem deixem as pessoas que estão fazendo o estudo de viabilidade trabalharem e para de ficar palpitando e tumultuando as obras e projetos que estão em andamento, só sabem criticar AFF!.......
 
Vanderlei arruda em 26/07/2013 12:27:45
Nada pode ser melhorado nessa cidade porque tudo aqui é patrimônio histórico. Porque não tomba a cidade logo e constrói uma nova do lado?
 
BRUNO SALAZAR em 26/07/2013 11:36:54
De que adianta aquele jardim lindo na afonso pena e o trânsito ser inviável? Poderiam muito bem construir mais uma pista, mantendo as árvores, é possível sim. A principal avenida da cidade é estreita, torta, sem nível, as três pistas viram duas quando tem ônibus e camionete do lado, mais os carros estacionados. O canteiro com ciclovia é maior do que o espaço para carros. Poderiam muito bem modificar a via preservando o meio ambiente.
 
Rafael Santos em 26/07/2013 11:32:25
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions