A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

10/02/2015 17:54

Criação de banco de dados é meta de nova direção do Gabinete de Trânsito

Flávia Lima
Beth Felix assume direção do Gabinete de Trânsito. Vice presidência fica com tenente-coronel Renato Tolentino. (Foto:Divulgão)Beth Felix assume direção do Gabinete de Trânsito. Vice presidência fica com tenente-coronel Renato Tolentino. (Foto:Divulgão)

A criação e gerenciamento de um banco de dados para registro de ações e coleta de dados estatísticos é uma das prioridades da diretora-presidente da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Beth Felix, que na manhã desta terça-feira (10) assumiu também o comando do Gabinete de Gestão Integrada de Trânsito (GGIT).

Veja Mais
Mototaxistas e taxistas se juntam e percorrem Afonso Pena contra Uber
Homem que morreu atropelado tinha 51 anos e foi identificado pela mãe

O GGIT troca de comando a cada dois anos e a direção é sempre alternada entre a Agetran e o Batalhão de Polícia Militar de Trânsito (Bptran), tanto que a vice-presidência passou para o comandante do Batalhão, tenente-coronel Renato Tolentino, que há dois anos comandava o órgão.
O objetivo do GGIT é promover a integração do sistema de trânsito de Campo Grande, respeitando a autonomia das diversas instituições do campo da educação e segurança no trânsito.

Segundo a nova diretora do órgão, o objetivo de elaborar um sistema de armazenamento de informações é facilitar na elaboração de relatórios e na própria divulgação de dados referentes, por exemplo, ao número de acidentes no trânsito em um determinado período. “Hoje é preciso ligar em cada órgão do setor para pedir informações. Através desse banco tudo ficará centralizado no Gabinete e poderemos divulgar os dados solicitados com mais rapidez”,

O banco também irá auxiliar na criação de campanhas de trânsito. “Através dele poderemos consultar todas as ações que já realizamos na área, sem correr o risco de repetições”, afirma Beth.
Além da criação desse diretório de dados, Beth diz que pretende fortalecer a gestão do Gabinete promovendo uma maior integração dos órgãos que coordenam o trânsito da Capital.

As campanhas educativas também deverão ser intensificadas, já que na opinião de Beth Felix, a conscientização dos motoristas e da população é a única maneira de diminuir o número de acidentes. Neste início de ano ela destaca as campanhas de Volta às Aulas e a acolhida aos universitários, onde foram realizadas palestras nas universidades alertando os jovens sobre os perigos de ingerir bebida alcoólica e dirigir.

Criação

O Gabinete de Gestão Integrada de Trânsito foi idealizado por Beth em 2010, quando ela atuava no Detran (Departamento Estadual de Trânsito). A proposta do Gabinete é integralizar as ações de todos os órgãos, secretárias e entidades relacionadas ao trânsito, de forma a otimizar os recursos para o setor. “A ideia é fazer ações conjuntas para que não ocorram ações isoladas com o mesmo objetivo”, explica.

Pelo menos 50 entidades compõem o GGIT, como Ministério Público Estadual, sindicato de profissionais das auto escolas, Assetur e Sest/Senat. Todas participam das reuniões periódicas do grupo, que agora terão palestras com temas pertinentes e atualizados quanto a problemática do trânsito.
Também a partir de hoje, o Gabinete vai comemorar a data de sua criação em 22 de novembro e a intenção é realizar, nesse período, uma semana de campanhas e ações educativas.

Obras

Em um balanço dos dois meses à frente da Agetran, Beth Felix destacou projetos e obras já em andamento na Capital, entre elas a revitalização do entorno do Mercadão e a modernização de 210 semáforos na região central de Campo Grande. As obras desse projeto tem início nesta quarta-feira (11) e está orçada em R$ 13 milhões oriundos do programa Pró-Transporte.

A modernização consiste na revitalização da estrutura física semafórica da avenida Eduardo Elias Zahran, contemplando a troca de cabeamento, aterramento, grupo focal, colunas e braços. Também está prevista a implantação de fibra ótica para a Central de Controle Operacional Semafórica; a instalação de defensas metálicas nas avenidas Ernesto Geisel, Fernando Corrêa da Costa, Olavo Vilela de Andrade (antiga Interlagos) e rua Albatroz.

O trabalho terá início no cruzamento da rua 13 de Maio com a avenida Zahran. Para manter a fluidez do trânsito na região, equipes de agentes de fiscalização darão apoio no local da obra. A previsão é que dentro de 60 dias a avenida esteja com sincronismo, facilitando o tráfego na região.

Além dessa obra, Beth revelou as mudanças pelas quais passará o projeto referente a rotatória da Avenida Mato Grosso com a Via Park. Depois de muita polêmica e paralisações, as obras programadas para começar em 2014 ainda não saíram do papel. O processo de licitação, aberto ano passado, foi interrompido devido a impugnações feitas por empresas interessadas no processo.

O projeto previa a instalação de oito semáforos e de duas alças de acesso para conter o fluxo de veículos que prejudica o trânsito na região, especialmente dos motoristas que seguem sentido Centro. O projeto, que seria implantado pela Seintrha (Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação) passou para as mãos da Agetran e segundo a diretora-presidente do órgão, sofreu uma reformulação.

Ela explica que a rotatória permanecerá no local e vai ganhar semáforos controlados que serão instalados não apenas na região da Via Park, mas em toda a extensão da Avenida Mato Grosso, dentro do projeto de revitalização semafórica. Outra novidade é que todo o entorno da rotatória será revitalizado. Um novo estudo foi feito e a Agetran decidiu ampliar o projeto, fazendo obras de acessibilidade nas ruas e calçadas próximas a rotatória.

Todo o projeto terá um gasto de R$ 1.372.991,81, já liberados pelo Detran em 2014.




Com o intuito de dar total veracidade a citação da criação do GGIT quero enfatizar que a ideia partiu do Comando da então CIPTRAN, numa reunião ocorrida na antiga sede da AGETRAN, com a minha presença e as presenças do Rudel (diretor-presidente da AGETRAN na época) e da Beth Félix. Ressaltar que o GGIT é exemplo para o país e foi construído a várias mãos e com a participação decisiva de pessoas memoráveis que saúdo na pessoa da Vera da AGETRAN. Parabenizo a Beth e o TC Tolentino por terem assumido tão relevante incumbência de humanizar o trânsito da capital, tornando-o mais seguro. Só para dar um exemplo pragmático do GGIT basta mencionar a Campanha Pedestre, Eu Cuido! liderada pelo DETRAN que tinha na presidência o Santos Pereira. Cel PM ALIRIO VILLASANTI - Ex Cmt do BPTRAN
 
AlirioVillasanti em 10/02/2015 21:33:30
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions