A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

15/03/2015 08:35

Desde concessão da rodovia, número de mortes na BR-163 caiu 45%

Ricardo Campos Jr.
Trecho da BR-163 em Campo Grande (Foto: Alcides Neto)Trecho da BR-163 em Campo Grande (Foto: Alcides Neto)

A partir da concessão da BR-163 em Mato Grosso do Sul para a CCR MS Via, que administra a pista desde abril de 2014, o número de mortes nessa rodovia federal caiu, segundo levantamento feito pela PRF (Polícia Rodoviária Federal) a pedido do Campo Grande News. Somente nos dois primeiros meses desse ano, houve redução de 45% na quantidade de óbitos, passando de 20 para 11 casos.

Veja Mais
Caminhoneiro envolvido em acidente fatal na BR-163 vai ser pai este mês
Acidente entre carretas mata um e interdita tráfego na BR-163

Nesse período é comum o aumento no fluxo de veículos por conta do final das férias e feriado de carnaval, tanto que o número de acidentes teve aumento de 7% no primeiro bimestre deste ano com relação ao mesmo período de 2014, saltando de 243 ocorrências para 261.

Ainda conforme os dados da PRF, em abril, primeiro mês da rodovia sob administração privada, houve 14 mortes na estrada. A partir daí foram registrados 11 óbitos em maio, cinco em junho, oito em julho, nove em agosto, dois em setembro, um em outubro, nove em novembro e três em dezembro, mês que bate com as festas de Natal, Ano Novo, além do início das férias escolares.

Conforme a CCR, desde que o serviço ao usuário começou a funcionar em outubro houve 16 acidentes com mortes, uma redução que segundo a empresa foi de 30,4%.

Explicações – Para o inspetor da PRF Tércio Baggio, a privatização deixa a rodovia mais segura, mas é apenas um dos fatores que podem ter contribuído para a redução. “Quando fazemos qualquer tipo de análise, temos que levar em conta cinco aspectos: punição, engenharia de trânsito, engenharia de veículo, educação para o trânsito e socorro”, explica.

Nesse sentido, a CCR contribui para dois desses pilares, primeiro resolvendo os problemas estruturais da rodovia e fornecendo atendimento aos condutores em caso de batidas. Com relação à punição, a mudança na lei de trânsito encareceu as multas. Quem é flagrado ultrapassando em faixa contínua, será autuado em R$ 1915.

“A lei dos caminhoneiros também ajudou. Existem os efeitos a longo prazo”, explica. No tocante à engenharia do veículo, a obrigatoriedade de airbag e freios ABS para os automóveis fabricados a partir do ano passado também contribui conferindo maior segurança aos condutores e passageiros, ainda que a norma seja recente e deva melhorar ainda mais os índices ao longo do tempo. “Não dá para taxar apenas uma causa para a redução”, completa.

Serviços – O gestor de interação com o cliente da CCR, Keller Rodrigues, disse ao Campo Grande News que a empresa, logo que assumiu a concessão, começou obras para melhorar sinalização, pavimentação e recuperação da rodovia de um modo geral, o que ajudou a tornar o tráfego mais seguro.

Entretanto, foi a partir de outubro que o atendimento ao motorista começou a funcionar. “Certamente essa presença contribuiu na melhora dos índices. Temos boletins de informação, serviços de socorro mecânico e resgate”, explica.

Segurança ainda mais efetiva deve vir ao término das obras nos primeiros 80 quilômetros de duplicações na BR-163, previstos para serem entregues em outubro. A expectativa é que toda a estrada esteja com duas pistas em cinco anos.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions