A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

22/10/2012 16:37

Duas pessoas ficam feridas em acidente na Via Parque

Gabriel Neris e Helton Verão
Acidente entre moto e veículo Gol deixou duas vítimas na Via Parque, em Campo Grande (Foto: Pedro Peralta)Acidente entre moto e veículo Gol deixou duas vítimas na Via Parque, em Campo Grande (Foto: Pedro Peralta)

Acidente na tarde desta segunda-feira (22) envolvendo carro e moto deixou duas pessoas feridas na Via Parque, sentido Parque do Sóter/Shopping Campo Grande. As vítimas estavam numa motocicleta Honda Titan, que colidiu no veículo Gol.

Veja Mais
Motociclista bate em muro de loja ao tentar ultrapassar veículo no Centro
Para polícia, motorista ainda 'não se tocou' sobre multas mais caras

O carro estava sendo conduzido por Rosimeire de Almeida, 38, funcionária pública. Ela diz que não havia notado nada de diferente no percurso e durante uma curva sentiu o impacto na lateral do veículo.

“Estava indo na via do meio e quanto vi ele tinha colidido comigo”, comentou.

A Titan era pilotada pelo autônomo Alexandre Anderson Riccó, 38. Na garupa da motocicleta estava a esposa dele, Shirley Larisca Riccó, 37, artesã. O casal sofreu escoriações. Curiosamente, o piloto faz aniversário hoje.

Três viaturas do Corpo de Bombeiros foram acionadas para prestar socorro e encaminhar o casal para a Santa Casa de Campo Grande. Segundo os bombeiros, o rapaz reclamava de dores no ombro e na mão esquerda.

Um rapaz identificado como Luiz Carlos disse que viu o acidente e relatou que se não freasse a tempo poderia acontecer uma tragédia. Segundo a testemunha, a motocicleta estava a sua frente quando houve a colisão e teve que frear bruscamente para evitar o atropelamento.




Era de se esperar isso acontecer uma vez. Os motoristas aqui costumeiramente fecham as curvas, em vez de manter religiosamente a faixa. Sem olhar no retrovisor (e menos ainda pensando em ponto cego) não percebem que pode ter um veiculo no lateral, e que este não pode ter como desviar, já que bater no meio fio é capotamento na certa.
Repara que a pintura das faixas nesta cidade some principalmente nas curvas, exatamente por esta falta de consciencia. Quase ninguem nesta cidade acaba uma curva na mesma faixa onde começou a curva, infelizmente. É preciso o transito ficar tão movimentado que São Paulo para eles aprender...
 
Marcos da Silva em 22/10/2012 16:59:31
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions