A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

13/09/2012 07:08

Fiscalização da Lei do Descanso dos caminhoneiros é adiada por 6 meses -

Francisco Júnior
Em seis meses, deverá ser publicada uma lista das estradas que devem atender aos critérios da nova lei. (Foto: Minamar Júnior)Em seis meses, deverá ser publicada uma lista das estradas que devem atender aos critérios da nova lei. (Foto: Minamar Júnior)

Publicada no Diário Oficial da União de hoje (13) A resolução que determina a suspensão por até 180 dias do cumprimento da Lei do Descanso dos Caminhoneiros.

Veja Mais
Só metade dos motoristas estão se adequando a jornada, diz pesquisa
No dia que lei entra em vigor, caminhoneiros prometem paralisação em todo país

A medida foi aprovada durante reunião ontem do Contran (Conselho Nacional de Trânsito), que concluiu que é necessário, primeiro, fazer um mapeamento das rodovias federais e depois partir para a fiscalização.

Em seis meses, deverá ser publicada uma lista das estradas que devem atender aos critérios da nova lei. O trabalho, segundo a Resolução nº 417, será coordenado pelos ministérios dos Transportes e do Trabalho e Emprego. O adiamento do cumprimento da nova lei foi definido a partir dos primeiros dias desta semana em que a medida passou a valer.

Na prática, os responsáveis pela fiscalização do cumprimento da lei constataram que as rodovias brasileiras não estão preparadas para a execução da nova norma.

Uma das situações identificadas foi a ausência de locais de parada para repouso dos caminhoneiros. A medida, segundo o governo, visa a reduzir os riscos de acidentes de trânsito.

A nova lei estabelece o tempo de direção e descanso dos motoristas profissionais em pontos de parada nas vias federais.

Em nota publicada ontem, o Ministério das Cidades informa que a medida foi tomada pelas dificuldades relacionadas aos pontos de descanso destinados aos motoristas. “O Ministério das Cidades esclarece que a recomendação do Contran se deu pela dificuldade, no contexto atual, de cumprimento do tempo de descanso em grande número de vias federais, por carecerem de pontos de parada que garantam a segurança do motorista profissional”, diz o texto.

A resolução é assinada pelo presidente do Contran, Julio Ferraz Arcoverde, e mais oito dirigentes do órgão. (As informações da Agência Brasil)




É porisso e por tantas outras é que as nossas autoridades, ficam brincando de fazer leis para não serem cumnporidas. há poucos dias, os caminhoneiros pararam o brasil e ninguém fez
nada,. porque fizeram uma lei e não deu as conbdições humanas para os caminhoneiros.é muito triste.
 
valmir barbosa em 13/09/2012 10:58:00
E isso que dá,o governo federal coloca um Ministro sem conheçimento algum em transporte e logistica com uma equipe sem algum preparo,não entende o problema ,que está nas pessimás condições oferecidas para categoria que já sofre com tantas discriminações e ainda inibe eles de trabalharem,todo esse gasto para verem isso,e nós pagamos a conta.
 
tulio scarpa em 13/09/2012 08:55:00
Nosso país está sendo conduzido por pessoas interessadas em expor publicamente suas "brilhantes" pesquisas acadêmicas, feitas com revisões bibliográficas e totalmente desvinculadas da realidade. Essa lei parece estória do Pinduca, onde cada um inventa o que quer e os outros que aguentem. Francamente, está ridículo esse vai e vem da aplicação da lei: ou implementa ou revoga!
 
Gustavo Ribeiro em 13/09/2012 04:39:14
Nesse interim muita gente vai merrer na estrada vítima de caminhoneiro "rebitado".
 
Ronaldo Pissurno em 13/09/2012 03:42:36
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions