A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

31/05/2015 08:29

Fórum radicaliza e vai guinchar carros estacionados em vagas preferenciais

Alan Diógenes
Mesmo sendo multados, motoristas ainda continuam estacionam em vagas preferenciais. (Foto: Fernando Antunes)Mesmo sendo multados, motoristas ainda continuam estacionam em vagas preferenciais. (Foto: Fernando Antunes)
Diretor administrativo do Fórum solicitou à Agetran que guinche veículos estacionados irregularmente. (Foto: Fernando Antunes)Diretor administrativo do Fórum solicitou à Agetran que guinche veículos estacionados irregularmente. (Foto: Fernando Antunes)

Apesar de serem multados, vários motoristas ainda continuam estacionando em vagas destinadas a veículos oficiais, idosos e deficientes. Em frente ao Fórum de Campo Grande, isso não é diferente. Para resolver o problema, a administração do órgão tomou uma medida radical: por meio da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), a partir de agora, irá guinchar os veículos que estiverem nestes locais e encaminhar ao pátio do Detran (Departamento Estadual de Trânsito).

Veja Mais
Motociclista bate em muro de loja ao tentar ultrapassar veículo no Centro
Para polícia, motorista ainda 'não se tocou' sobre multas mais caras

O diretor administrativo do Fórum, Paulo César Pereira de Freitas, explica que a decisão foi tomada porque as multas não estão surtindo efeito. “Já tínhamos alertado várias vezes à população, mas não adianta. Os motoristas são multados, mas não retiram os veículos das vagas, ou seja, não adianta nada”.

Paulo elenca uma série de irregularidades que os motoristas cometem. “Tem gente que apresenta o cartão de deficiente, sem ser deficiente, ou seja, pega o documento de um parente para usar a vaga. As viaturas que trazem presos para os depoimentos precisam parar em fila dupla porque as vagas com faixa amarela destinadas aos veículos oficiais, sempre estão ocupadas”, afirma.

A advogada Gilcleide Maria dos Santos Alves, 65, que tem deficiência física, está sempre no Fórum. Ela diz que a falta de respeito das pessoas a incomoda bastante. “Todo mundo sabe que é errado, mas continua fazendo. Brasileiro é folgado mesmo. Sempre quando chego, as três vagas para deficientes em volta do Fórum estão ocupadas”, garante.

 

Advogado é contra cobrança do parquímetro. (Foto: Fernando Antunes)Advogado é contra cobrança do parquímetro. (Foto: Fernando Antunes)
Sérgio disse que vagas para idosos e deficientes, algumas vezes, ficam vazias e são desperdiçadas. (Foto: Fernando Antunes)Sérgio disse que vagas para idosos e deficientes, algumas vezes, ficam vazias e são desperdiçadas. (Foto: Fernando Antunes)

Para Sérgio Ricardo, 36, que guarda motos há 8 anos em frente ao Fórum, não há necessidade de guinchar os veículos, apenas a multa resolveria. “Tem gente que estaciona um pouquinho achando que o atendimento no Fórum vai ser rápido. Só que as vezes demora, e a pessoa fica mais tempo na vaga. Porque não é toda hora que tem idosos ou deficientes estacionando e as vagas ficam vazias, sendo desperdiçadas”, argumenta.

A professora Aparecida Conceição de Araújo, 40, defende outra forma de combater o problema. “Acredito que a remoção dos veículos seja uma forma muito radical. Ao invés disso, deveriam aumentar o valor da multa, porque só sentindo no bolso que o povo para de fazer o errado".

Mas a administração do Fórum já decidiu: o condutor que estacionar em vagas destinadas a veículos oficiais, idosos e deficientes vai ser multado em R$ 53,20, perderá três pontos na Carteira de Habilitação e pode ter o carro removido ao pátio do Detran.

Parquímetro - Outra situação bem comum é de motoristas estacionarem ao redor do Fórum sem pagarem o parquímetro. Alguns justificam dizendo que a falta de vagas na cidade faz com que isso aconteça.

“Particularmente sou contra o estacionamento regulamentado, para mim o parquímetro não passa de um caça níquel. A gente paga, mas não tem retorno nenhum se segurança. Se roubarem ou furtarem meu veículo, quem vai arcar com o prejuízo”, destaca o advogado Walter Luiz Ayala, 55.

Motorista acredita que medida foi radical e defende aumento no valor da multa. (Foto: Fernando Antunes)Motorista acredita que medida foi radical e defende aumento no valor da multa. (Foto: Fernando Antunes)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions