A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

26/07/2016 12:45

Geridos pelo Estado, radares do Parque dos Poderes ainda funcionam

São dez medidores ativos; na cidade, há ao menos 60 radares operados pela Perkons, contratada pela Prefeitura, desligados

Chloé Pinheiro
Lombadas eletrônicas do Parque dos Poderes funcionam normalmente nesta terça-feira. (Foto: Marina Pacheco)Lombadas eletrônicas do Parque dos Poderes funcionam normalmente nesta terça-feira. (Foto: Marina Pacheco)

Se você comemorou o desligamento dos radares de Campo Grande, é melhor pensar de novo antes de pisar no acelerador. Há, pelo menos, dez lombadas eletrônicas funcionando normalmente na cidade. 

Veja Mais
Agetran se omite sobre calote em empresa de radares
Dívida da prefeitura com empresa de radares ultrapassa R$ 2,5 milhões

O Detran (Departamento Estadual de Trânsito) informou nesta terça-feira (26) que continua fiscalizando normalmente o trânsito na região dos Parque dos Poderes. Os dez equipamentos que estão sob responsabilidade do órgão estão distribuídos nos dois sentidos das avenidas Desembargador José Nunes da Cunha, do Poeta e Presidente Manoel Ferraz.

Enquanto isso, a situação dos radares administrados pela gestão municipal segue incerta. A Perkons, empresa responsável por 66 deles, suspendeu seus serviços por falta de pagamento ontem e diversos pontos da capital estão sem fiscalização.

A reportagem tentou insistentemente obter informações da Prefeitura e da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), que não comentam o caso e não informam quais medidores estão funcionando ou se há previsão para retomada do trabalho. 

Entenda o caso - Ontem, todos os radares administrados pela Perkons, contratada pela Prefeitura desde 2010, foram desativados por funcionários da empresa. Em nota oficial, a corporação afirmou que está sem receber desde agosto do ano passado -- uma dívida que chegaria a pelo menos R$ 2,5 milhões.

A Agetran foi informada via ofício em sete de julho que, caso o pagamento não fosse realizado em 15 dias, o serviço seria suspenso. Segundo a empresa, não houve nenhuma manifestação da Prefeitura sobre o assunto e, por isso, não houve alternativa a não ser desligar os equipamentos. 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions