A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

27/07/2014 07:12

Inaugurada há 2 anos, Lúdio Coelho tem só 1 radar e graves acidentes

Zana Zaidan
Em alta velocidade, condutores perdem controle ao passar por curva da Lúdio Coelho (Foto: Marcelo Calazans)Em alta velocidade, condutores perdem controle ao passar por curva da Lúdio Coelho (Foto: Marcelo Calazans)

Luiz Carlos Santos Messias, 46 anos, é policial militar, lotado há 22 no BPTran (Batalhão de Polícia de Trânsito) de Campo Grande, mas é como cidadão, morador do bairro Oliveira há outros 18, que ele relata a falta de respeito dos motoristas aos limites de velocidade na avenida Lúdio Coelho. Somente neste ano, foram duas mortes na via, ambas porque os condutores corriam demais, por isso, o pedido é por mais redutores de velocidade. Hoje, há um para toda a extensão da avenida.

Veja Mais
Bêbado, motociclista morre após pilotar na contramão e bater em muro
Acidente entre moto e ônibus congestiona trânsito na Lúdio Martins

Enquanto a velocidade máxima permitida é 50 Km/h, carros e motos andam a pelo menos 80, constatou o Campo Grande News. Um dos pontos mais críticos, conta o cabo Messias, é a curva logo após a rua Antônio João Ribeiro, para quem está no sentido Centro-bairro. Neste trecho, muitos perdem o controle da direção.

“Ontem mesmo, uma motociclista perdeu, bateu no meio fio da ciclovia e foi arremessada. Ela foi parar para um lado, a moto bem no meio da ciclovia”, acrescenta. Messias testemunhou o acidente porque andava de bicicleta no local, por volta das 16 horas, e por poucos metros não foi atingido.

 

Cilcista, Messias pede mais redutores de velocidade na avenida (Foto: Marcelo Calazans)Cilcista, Messias pede mais redutores de velocidade na avenida (Foto: Marcelo Calazans)

Ciclista, ele nunca teve carro ou moto, e pedala até o trabalho, na avenida Afonso Pena. “Sempre pulei fora justamente por achar perigoso. Mas, como ciclista, tenho medo de andar, mesmo na ciclovia”, afirma.

O único radar fica antes da rua Petrópolis, para quem está no sentido Centro-bairro. “Precisamos de mais. O motorista reduz quando se aproxima do radar, e depois acelera sem dó”, defende.

Também usuário da ciclovia, o professor de educação física Adelson Antônio Dezen, 53 anos, recomenda cautela para quem passa pelo local. “Precisa ter muito cuidado, principalmente para atravessar a rua. Mesmo na faixa vermelha (da pintura que sinaliza que trata-se de ciclovia), ninguém respeita. E não passam correndo, passam voando”, opina.

Solicitações – Conforme a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), a avenida Lúdio Coelho lidera os pedidos de instalação de semáforos, radares e redutores de velocidade.

A reportagem tentou entrar em contato com o diretor da agência, Jean Saliba, mas até o fechamento deste texto não conseguiu posicionamento ou previsão para instalação dos equipamentos.




Os motoristas abusam da velocidade porque sabem que não há nem remota possibilidade de fiscalização na avenida. FALTA FISCALIZAÇÃO!!!! É só reparar: a maioria nem usa cinto de segurança! Por outro lado, o limite de velocidade na via (50 km/h) é descabido. Qual foi o critério para definir esse limite? Seria mais razoável elevar (e fiscalizar) o limite para 60 km/h e reduzir a velocidade permitida próximo das travessias de pedestre.
 
Luiz Pereira em 27/07/2014 22:40:45
QUERO PARABENIZAR PELA REPORTAGEM, E DIZER QUE FOI FEITA UMA LIGAÇÃO PARA O CAMPO GRANDE NEWS SOBRE OS RISCOS DA AVENIDA LUDIO MARTINS COELHO, E FIZERAM ESSA BOA MATÉRIA. SOU PM DE TRÂNSITO E DIGO AOS SENHORES CONDUTORES QUE QUEM SOFRE COM SUA ALTA VELOCIDADE SÃO AS PESSOAS QUE FICAM APÓS SUA MORTE POIS SOFREM A SUA FALTA E VC NÃO PENSA NISSO QUANDO ESTA COM O PÉ NO ACELERADOR.
 
Luiz Carlos Santos Messias em 27/07/2014 20:36:18
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions