A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

24/10/2013 16:18

Maioria das vítimas graves e mortos no trânsito tem de 18 a 25 anos

Aline dos Santos e Graziela Rezende
Grupo faz mapeamento de acidentes graves. (Foto: Marcos Ermínio)Grupo faz mapeamento de acidentes graves. (Foto: Marcos Ermínio)

O perigo ronda a faixa etária de 18 a 25 anos no trânsito de Campo Grande. O risco é maior se for homem e motociclista. Os dados são do GGIT (Gabinete de Gestão Integrada de Trânsito), que divulgou nesta quinta-feira a pesquisa “Análise dos Acidentes de Trânsito Graves e Fatais”, que tem como base o ano de 2012.

Veja Mais
Agetran recua, de novo, e limite em radares volta a velocidade de 50 km/h
Mototaxistas e taxistas se juntam e percorrem Afonso Pena contra Uber

Das pessoas que perderam a vida em acidentes pelas ruas da cidade, 32% tinham entre 18 e 25 anos. Ou seja, 40 das 126 vítimas que morreram no ano passado. Dos mortos, 86% são homens e 14% mulheres. 

Das 906 vítimas graves, 35% também contavam com idade de 18 a 25 anos. Ao todo, 325 pessoas. Essa faixa etária reponde por uma parcela maior do que soma dos total de vítimas graves com idade de 26 a 40 anos, que chegou a 316 pessoas. Das vítimas graves, 79% são homens.

Se for considerado somente os motociclistas que sofreram ferimentos graves, a maioria, 296 dos 759, tinha entre 18 e 25 anos . O principal tipo de acidente grave tendo motociclistas como vítima é de colisão transversal. Os dois principais fatores de risco são velhos conhecidos: álcool e velocidade.

A frota em Campo Grande era de 453.531veículos no ano passado, sendo 129 mil motocicletas. Comandante da Bptran (Batalhão de Polícia de Trânsito), o tenente-coronel Jonildo Teodoro, avalia que os jovens são vítimas da inexperiência e da pressa. “São 80% dos que se envolvem em acidentes. Os jovens são afoitos. Saem sempre atrasado, passam no sinal vermelho”, afirma.

Responsável pelo setor de psicologia do Detran (Departamento Estadual de Trânsito), Renan da Cunha Soares Júnior, avalia que é preciso pensar na formação do condutores antes que os jovens cheguem para obtenção de CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

Os locais de acidentes na cidade foram georreferenciados. “Vamos atacar os pontos críticos e sinalizar as vias”, afirma a diretora-presidente da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Kátia Moraes Castilho. (Matéria editada às 11h10 do dia 25 para correção de informação)




O maior problema é a falta de educação das pessoas no transito. Hoje mesmo eu ia passando pela faixa de pedestre e um dos carros parou, o outro que vinha ultrapassando o outro pela direita, meteu o Fiat Uno em cima de mim e ainda me "mostrou o dedo". Coitado sem educação e provável vítima de transito no futuro.
 
Gilberto Ozuna em 25/10/2013 10:46:19
Eu acho que o correto seria a GGIT informar tambem quantos dos acidentes com motociclistas tiveram veiculos envolvidos como a outra parte, não to querendo defender ninguem não, mas fica facil dizer que a culpa é dos jovens motociclistas quando nada é dito sobre a outra parte envolvida, se o motociclista bate no poste, muro ou veiculo estacionado, a culpa é 100% dele, porem as vezes o motociclista é vitima, os motoristas de carro não respeitam motociclista e dirigem alcoolizados muito mais do que o pessoal que dirige moto, a grande diferença é que além dele estar mais protegido, portanto as vezes nem comunica o acidente, a policia só para motociclista, dando então uma falsa impressão de que se não existisse moto não haveria acidente,levante os dados de maneira decente e aí traçamos o perfil
 
MAXIMILIANO RODRIGO ANTONIO NAHAS em 25/10/2013 10:32:18
A população futura será de pessoas idosas... pq será???? na verdade os jovens estão se matando, é mto triste ver essas estatísticas negativas a cada dia aumentando e nada podemos fazer, na hora do exame prático fazem tudo certinho, dias depois estão com a habilitação e fazem besteiras com proporções sem tamanho, deixando viúvas, filhos e pais sofrendo, passou da hora de ter leis mais severas pra crime de trânsito.
 
Ricardo Barros - Instrutor e Examinador de trânsito em 24/10/2013 22:55:24
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions