A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

28/08/2012 15:24

Motoristas fazem conversão errada na Ceará e alegam falta de opção

Mariana Lopes
Na rua Manoel Inácio de Souza os motoristas são obrigados a seguiram pela Ceará (Fotos: Minamar Júnior)Na rua Manoel Inácio de Souza os motoristas são obrigados a seguiram pela Ceará (Fotos: Minamar Júnior)

A falta de opção para virar à esquerda na avenida Ceará é motivo de muitas reclamações dos motoristas campo-grandenses. Desde a rotatória com a Rua Joaquim Murtinho, até depois da avenida Mato Grosso, a conversão neste sentido é proibida.

Veja Mais
Mototaxistas e taxistas se juntam e percorrem Afonso Pena contra Uber
Homem que morreu atropelado tinha 51 anos e foi identificado pela mãe

O trecho compreende sete cruzamentos, praticamente todos com semáforo e placas que informam a proibição de virar à esquerda ou que prosseguir pela via é sentido obrigatório.

Mesmo com as placas visíveis, o motorista de uma Hilux, que seguia pela Ceará, ignorou a sinalização e virou à esquerda. “Eu sei que não pode, mas não nos dão opção, então temos que fazer errado mesmo”, argumenta o condutor de 53 anos, que não quis se identificar.

Partindo da rotatória da Rua Joaquim Murtinho, os próximos cruzamentos com a Ceará são das ruas Ricardo Brandão e 15 de Novembro. Em seguida, o trajeto segue embaixo do viaduto da avenida Afonso Pena. Em todo trajeto não há como motoristas converterem à esquerda.

O próximo cruzamento é com a rua da Paz, que agora é mão única no trecho até a Rua Zezé Flores (sentido bairro). A alternativa para os motoristas que pretendem acessar a via no sentido oposto é converter à direita pela Rua da Paz, virar à esquerda na José Gomes Domingues e novamente à esquerda na Piratininga. Em seguida pegar a Ceará e, em seguida, à direita na Rua da Paz, sentido Centro, que continua como mão dupla.

Uma quadra à frente está a rua Piratininga, onde é proibido virar também à direita. Neste cruzamento, a placa de sentido obrigatório limita a opção dos motoristas. A rua seguinte é a Euclides da Cunha, que repete a dinâmica da rua da Paz.

Até chegar à avenida Mato Grosso, os motoristas passam ainda pelas ruas Manoel Inácio de Souza e Antônio Maria Coelho, onde a conversão à esquerda ainda é proibida.

Na Ceará com a 15 de Novembro o jeito é seguir reto e subir a Afonso Pena à direitaNa Ceará com a 15 de Novembro o jeito é seguir reto e subir a Afonso Pena à direita
Sirley Justi acha que o trecho precisa de mais informações e mais acessos à direitaSirley Justi acha que o trecho precisa de mais informações e mais acessos à direita

“Quem não conhece essa região e não sabe que é preciso dar a volta nas quadras para conseguir atravessar a Ceará, acaba dando uma volta enorme. Acho que precisa de mais informações e mais acessos à direita”, pontua o motorista Sirley Justi, de 54 anos.

A Prefeitura justifica, através da assessoria de imprensa, que a estratégia da implantação dos laços de quadras (como no exemplo da Rua da Paz) é a fluidez do trânsito. Sobre a ideia de colocar um semáforo com três tempos a alegação é de que isso diminui a agilidade dos carros.

A orientação é que os motoristas façam as queixas relacionadas ao trânsito de Campo Grande pelo número 118. Outra opção é mobilizar um abaixo assinado dos moradores e encaminhar a um vereador pedindo alterações, segundo a assessoria da Prefeitura de Campo Grande.




O grande problema do brasileiro chama-se preguiça. Não custa nada entrar na rua da Paz e voltar pela Piratininga. Mas o maldito brasileiro gosta de desafios e de sempre dar um jeitinho nessa droga de país.
 
Jorge Souza em 29/08/2012 12:42:03
As opções existem, o que falta é determinação da prefeitura, que é a responsável pelo transito urbano de sinalizar as ruas com antecedência como manda as leis de transito. incluzivel quando ha interrupção de via. Sinalizando a esquerda e a direita as vias de acesso para o contorno da situação criada quer seja definitiva ou transitória.
 
Luís Eloy Alves da Costa em 29/08/2012 07:49:55
"Não nos dão opção" é bem coisa de motorista de Campo Grande mesmo! Em qualquer grande cidade do mundo os laços de quadras são usados, falta sinalização, mas sem dúvida fazer conversão à direita é muito mais seguro do que cruzar uma via como a Ceará. A av. Zahran é um exemplo de que nem estreitando canteiros e colocando semáforos a conversão à esquerda é segura.
 
Rafael Santana em 29/08/2012 07:22:02
Engraçado...
Todos os dias para "atravessar" a Ceará, subo pela rua da Paz e desço pela Piratininga e nunca morri por fazer isso ao invés de ficar fazendo m... no trânsito...
 
WALERIA BARROS em 28/08/2012 10:20:23
É um erro mesmo, proibir estas conversões. Pessoalmente nunca preciso fazer (nem moro, nem trabalho na região) mas pensar que proibir determinada conversão resolve é illusão. Obrigar fazer balão é muito pior que por semaforo tres tempos: força um fluxo grande de veicuos por tres ruas residencias, afetando assim a segurança dos moradores. Ruas laterais só para transito de destino!
 
Marcos da Silva em 28/08/2012 10:00:54
Um condutor de veículo com 53 anos´de idade , diz que não opção para fazer a coisa certa... Opção tem sim.. o que voce condutor de 53 anos não não tem é resonsabilidade mesmo... um dia alguem da familia dele pode ser vitima de um condutor que faz uma conversão errada e provoca o óbito ou invalidez será que ela continuará fazendo isso.. PENSE NISSO SENHOR CONDUTOR DE 53 ANOS.
 
José Pereira em 28/08/2012 09:47:10
O que falta em Campo Grande é planejamento urbano e fiscalização, pois quando falta isso o próprio motorista cria suas regras, o que na maioria das vezes infligem as leis acaba em acidente.
 
Paulo Roberto em 28/08/2012 09:47:01
Na rua Amazonas existem ilhas, onde o condutor respeita como rotatória e que dá opções de conversões à esquerda com o trânsito fluindo normalmente.

FICA DICA!

DIREÇÃO DEFENSIVA SEMPRE!!!
 
Luciano Silgueiros em 28/08/2012 08:38:42
Não acho que existam justificativas para conversão errada. Eu passo 2 vezes ao dia neste cruzamento e sempre dou a volta na quadra para cruzar a Ceará. Tem sempre alguém fazendo conversão errada lá, por várias vezes quase me atingiram. Com a mudança dos sentidos das ruas agora ando algumas quadras a mais. Não me importo, faz parte da educação e bom senso no trânsito.
 
Andreia Regis em 28/08/2012 08:30:30
Vejo isso todo dia. É FALTA DE DUCAÇÃO MESMO.Vai andar so 300 metros a mais.
 
Emersom Floriano em 28/08/2012 08:20:38
Concordo com a falta de educação de muitos condutores mas o que realmente precisamos é de engenheiros que entende de transito porque em muitos casos aqui em Campo Grande podemos notar falhas em nossas sinalizações vamos qualificar engenheiros de transito
 
Alexandre Brito em 28/08/2012 07:53:08
E por causa desses engraçadinhos acidentes acontecem, e geralmente quem acaba se ferindo é quem está certo, OBEDECENDO A LEI.

Realmente a Ceará não tem muita opção, mas se a partir de agora cada um obedecer a sua própria lei o trânsito de Campo Grande vai ficar ainda mais infernal.
 
Juliana Maciel em 28/08/2012 07:42:22
sr. weliton. no brasil não existe mais essa coisa de ROTATORIA , isso é coisa de ENGENHEIRO DO INTERIOR COMO AQUI, oque falta em CAMPOGRANDE MS nossa linda cidade, não é prefeito, É GENTE CIVILIZADA, lamentavelmente tenho que dizer isso sou daqui, mas O POVO CHUCRO TEM NES CIDADE.
 
LOURENÇO CARVALHO em 28/08/2012 07:17:08
Basta por uma placa com a informação de laço de quadra para os desavisados.
 
Rogerio Moralles em 28/08/2012 06:31:57
Falta sinalizaçao de contorno as quadras, os motoristas de Campo Grande não sabem fazer esse tipo de contorno, que ja andou em outras capitais sabe fazer cortono em quadras. Acredito que se instalar placas com este tipo de informação ira acabar esses problemas.
 
Eliane Nantes em 28/08/2012 06:15:39
Já pensaram se a moda pega? cada um elaborando a sua propria lei... e isto já está acontecendo!
 
edson chaves em 28/08/2012 05:55:12
Volta enorme? 400m uma volta enorme?
 
Uriá de Mello Soares em 28/08/2012 05:49:00
Falta de opção ou falta de educação, faça uma volta no quarteirão e esta resolvido, tem opção sim o que falta é respeito
 
Carlos Marchi em 28/08/2012 05:08:04
O que falta nesses cruzamentos são placas orientando como fazer essa "alça" de quadra, em Curitiba é muito utilizado isso e lá possuem as placas orientando os motoristas como fazer. E claro temos que ter orientação, quando a rua da paz virou mão unica não havia sequer uma faixa orientando o novo sentido, por dias vi as pessoas trafegando na contra-mão.
 
Ricardo Astord Sanches em 28/08/2012 05:01:59
Falta de educação = Falta de opção : É este agora o significado?
Cadê a multa dele? se bem que o trânsito do MS não adianta, o cara paga a multa e faz de novo. Mas que faltou a agetran alí, faltou!
 
Dora Soares em 28/08/2012 04:54:18
O que realmente falta é educação para o trânsito. É preciso eliminar vícios antigos que em muito prejudicam o fluxo de veículos e contribuem enormemente para o aumento do número de acidentes. As pessoas precisam adaptar-se à nova realidade que é implantada pelo Poder Público, e assim evitar tbém qquer tipo de penalização. Pois qdo isso ocorre o classificam como máquina de arrecadação, o q não é.
 
jorge oliveira em 28/08/2012 04:48:59
ENTÃO, PARA UMA VIA COM TRANSITO RÁPIDO E INTENSO, BEM QUE PODERIA HAVER ALGUMAS ROTATÓRIAS PARA QUE SE RETORNE OU ENTRE A ESQUERDA.... PORÉM, NÃO HÁ NECESSIDADE DE FAZER ERRADO, SENDO QUE TEMOS A OPÇÃO DE ENTRAR A DIREITA DAR VOLTA NA QUADRA E CONTINUAR SEM COMETER INFRAÇÕES E ATRAPALHAR O TRÂNSITO. O QUE FALTA É EDUCAÇÃO!!!!!
 
Wilson Braga em 28/08/2012 04:17:41
Falta de opção!? Perder dois minutos é tão prejudicial assim?
 
Rafael Carvalho em 28/08/2012 04:09:00
"Falta de opção" é uma desculpa bem esfarrapada. É só dar a volta na quadra, no máximo em duas quadras. Isso aí é preguiça misturado com o jeitinho brasileiro de afundar o país. Depois vem gente reclamando que falta sinalização.
 
Carlos Silva em 28/08/2012 04:09:00
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions