A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

06/07/2012 15:08

MP denuncia motorista embriagado que matou motociclista de 19 anos

Nadyenka Castro

Ele foi denunciado por homicídio doloso e tentativa de homicídio, ambos qualificados, e ainda por dirigir sob efeito de álcool

Motociclista foi parar entre ponto de ônibus e muro. (Foto: Mariana Lopes)Motociclista foi parar entre ponto de ônibus e muro. (Foto: Mariana Lopes)

O MPE (Ministério Público Estadual) denunciou à Justiça pelos crimes de homicídio e tentativa de homicídio - ambos qualificados pelo recurso que dificultou a defesa da vítima -, e ainda por dirigir embriagado, Rubinho da Silva de Souza, 24 anos, que no dia 10 de junho deste ano, em Campo Grande, matou o motociclista Luiz André Gonzales dos Santos, 19 anos.

O acidente aconteceu à tarde, no bairro Vida Nova, no cruzamento das ruas Timbau e Maratá. Local, onde, de acordo com denúncia do promotor de Justiça Fernando Martins Zaupa, Rubinho, que conduzia um Gol, não obedeceu a sinalização de parada obrigatória e atingiu a moto pilotada por Luiz André e que tinha como passageira Thaynara Antônia de Oliveira.

Com o impacto entre os veículos, a motocicleta foi parar entre o ponto de ônibus e o muro de uma residência. Luiz André foi arremessado e caiu em frente ao portão da casa, morrendo no local. Taynara sobreviveu e foi encaminhada em estado grave à Santa Casa. “A violência do impacto fora tamanha que projetou as vítimas para vários metros do local”, diz promotor na denúncia.

De acordo com documento do MPE, exame de alcoolemia comprovou que Rubinho havia ingerido bebida alcoólica antes do acidente e também dirigia em ziguezague, por isto foi denunciado pelo crime de embriaguez. O exame apontou 0,96 miligramas de álcool.

Consta na denúncia: "... o denunciado dirigia em estado de embriaguez, de forma anormal, a fazer zig-zags pela via pública, colocando em risco a incolumidade das pessoas que transitavam pelo local".

O homicídio e a tentativa qualificados tornam os crimes hediondos, situação que aumenta a pena, em caso de condenação, e dificulta a progressão de regime.

O promotor pediu ainda a suspensão da CNH (Carteira Nacional de Habilitação) de Rubinho, que está preso. Nesta semana, o desembargador Francisco Gerardo de Souza negou habeas corpus em caráter liminar para Rubinho.




Parabéns ao MPE e ao Judiciário do Mato Grosso do Sul, especialmente no combate aos crimes de trânsito.
 
Adriano Roberto dos Santos em 06/07/2012 06:03:13
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions