A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

28/10/2011 11:21

MS precisa de R$ 1,2 bi para recuperar sete pontos críticos em estradas

Ângela Kempfer
Pior situação estã na MS-306Pior situação estã na MS-306
Melhor condição foi encontrada na BR-060.Melhor condição foi encontrada na BR-060.

Realidade divulgada pela 15ª Pesquisa CNT de Rodovias 2011 mostra que Mato Grosso do Sul precisa de, pelo menos, R$ 1,2 bilhão para recuperar 7 trechos críticos nas rodovias que cortam o Estado e mais R$ 146 mil para conservação.

Veja Mais
Governo licita pavimentação de mais 233 km em duas rodovias de MS
Em pouco mais de um ano, malha rodoviária de MS será ampliada em 17,5%

Em Mato Grosso do Sul, apenas 2,6% da malha é considerada em ótimo estado de conservação, índice bem menor que a média do Centro-Oeste, que foi de 6,7%.

Outras 24,6 são consideradas boas aqui no Estado, 40,6%, regulares, 28,5%, ruins; e 2,8% estão em péssimas condições.

No total foram avaliados 4 mil quilômetros entre rodovias federais e estaduais.

A pior situação foi verificada em 103 quilômetros da MS-306, onde a pavimentação é avaliada como ruim e a sinalização como péssima, assim como a geometria – que inclui itens como pista simples de mão dupla, faixa adicional de subida, pontes e viadutos, entre muitas outras variáveis.

As melhores condições estão em duas estradas federais, em 276 quilômetros da BR-158 e em outros 73 da BR-359, na região de Alcinópolis.

Nos trechos que precisam de recuperação, a pesquisa recomenda a reconstrução de 18 quilômetros totalmente destruídos, além da restauração de 568 km com trincas, buracos, ondulações e afundamentos e a manutenção de trecho de outros 1.580 km pelo Estado.

O estudo é realizado por 17 equipes e coordenado pela CNT e pelo Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte, como forma de verificar o que afeta o conforto e a segurança de quem trafega pelas estradas do País. Aqui no Estado, o grupo passou por 8 estradas sob responsabilidade do governo estadual e 12 federais.

No item sinalização, são conferidas as condições das faixas, visibilidade e legibilidade de placas. Da malha analisada em Mato Grosso do Sul, só 4% tiveram sua sinalização classificada como de ótimo estado; 13,3% como bom; 42,5%, regular; 25,2%, ruim e 15%, péssimo.

A pesquisa foi realizada junho a agosto deste ano. Novamente, o Sudeste do País é a região que apresenta as melhores condições de rodovias, 24,6% são classificados como em ótimo estado. Em seguida aparece a Região Sul, com 19,7% do total de 16.199 km analisados como em ótimo estado. O Norte tem o pior desempenho, possui 0,8% das estradas avaliadas como ótimas.

No Centro-Oeste, a média é 6,4% em ótimas condições; 22,7% em bom estado; 35%, regulares; 26,7%, ruins; e 9,1% em péssimo estado.




Concordo com o Thiago Souza, deveriam duplicar pelo menos as três principais rodovias, que são a que vem de Três Lagoas, que vem do Mato Grosso e de Presidente Prudente. Já ajudaria muito na redução de acidentes.
 
Lincoln Ricardo em 29/10/2011 12:19:43
Uma pergunta. por que não duplicam essas estradas, ja que vão mexer pelo menos acabaria um pouco com os acidentes frontais. será que um investimento um pouco maior nao seria melhor....
 
thiago souza em 28/10/2011 06:18:24
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions