A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

22/11/2012 18:33

Na mesma região, acidentes causam tumulto e expõem problemas

Nyelder Rodrigues e Luciana Brazil
Na Ceará, trânsito tumultuado após acidente. (Fotos Simão Nogueira)Na Ceará, trânsito tumultuado após acidente. (Fotos Simão Nogueira)
Perto dali, na Joaquim Murtinho, I-30 ficou danificado em acidente envolvendo outros dois veículos. Perto dali, na Joaquim Murtinho, I-30 ficou danificado em acidente envolvendo outros dois veículos.

Um acidente entre um caminhão-baú e um carro na avenida Ceará, em frente à escola Hercules Maymone,  congestionou o trânsito no local no fim da tarde de hoje. Na mesma região, na Joaquim Murtinho, um outro acidente envolveu dois veículos e provocou susto e reclamações. 

Veja Mais
Motociclista que seguia no acostamento escapa por pouco de acidente
Adolescente que colidiu em caminhão estava com moto irregular

Os dois casos são exemplos do quanto o trânsito de Campo Grande está cada dia mais complicado e da falta de policiamento nos locais. Em nenhum deles havia policiamento ou agentes de trânsito.

Por volta das 17h, o caminhão, da marca Mercedes-Benz, bateu no carro, um Fiat Uno quatro portas, conduzido por João Bosco Fernandes, de 55 anos. Não houve vítimas.

Nenhuma viatura da Ciptran (Companhia Independente de Policiamento de Trânsito) chegou ao local, nem da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) para organizar o fluxo de veículos.

O congestionamento se estendeu pela avenida Ceará, desde a região da Universidade Anhanguera-Uniderp, e atingindo também parte da rua Joaquim Murtinho, no trecho onde várias vias importantes se encontram, como a avenida Eduardo Elias Zahran.

Segundo João Bosco, ele seguia sentido bairro Tiradentes, quando teve que frear para não bater em outro veículo no sinal que fica no local, em cima de uma lombada. O caminhão não conseguiu parar e acabou batendo.

O motorista do caminhão, Sivaldo da Silva Freitas, de 28 anos, é de Guararapes (SP) e sempre vem para Campo Grande trazer carregamentos de ração canina. Ele conta que não tem seguro. Já João, que também não tem seguro, diz que estava indo comprar um novo carro. Ele estava acompanhado com a mulher, que mesmo com o acidente, seguiu para realizar a compra.

Gentileza que deu errado - Na mesma região, na Joaquim Murtinho, o motorista de um caminhão, Zindomar Correia, de 28 anos, parou para permitir a passagem de um I-30, guiado por uma motorista não idenficada, quando um Gol interceptou o caminho. A motorista se assustou e acabou jogando o carro para cima do caminhão. O I-30 ficou bastante destruído.

"A gente vai fazer uma gentileza e acaba acontecendo isso", comentou o motorista do caminhão, ao citar que o condutor do Gol sequer parou para ver o que tinha ocorrido.

A motorista não sofreu ferimentos, mas ficou bastante nervosa. O marido, Odair Santos, 40 anos, que estava  junto no veículo, contou que a mulher tem medo de dirigir, e fez hoje a penúltima aula do curso para perder o medo da direção. 

Os agentes de trânsito demoraram para chegar ao local. Fernando Decenzo, de 68 anos, que mora em frente ao ocorrido, disse que cidentes são frequentes por ali. Ele já contou doze deles no último ano.

"Tem semáforo em quase todos os cruzamentos da Joaquim Murtinho para quem vem do centro, mas não tem sinal para quem vem dos bairros. Se tivesse sinal aqui não teria acontecido a batida", lamentou Odair.

Motociclista que seguia no acostamento escapa por pouco de acidente
O flagrante na BR-163 foi enviado por uma leitora através do canal Direto das Ruas. A TV News esteve no local e constatou diversas irregularidades....
Adolescente que colidiu em caminhão estava com moto irregular
Rapaz de 16 anos ficou ferido ao furar um sinal vermelho e bater em um caminhão na manhã desta terça-feira....



Em Campo Grande não existe planejamento real nas obras que visam desobstruir o fluxo dos automóveis, que cresce dia-a-dia. O que sê vê nada mais é que a maquiagem das fatídicas "rotatórias" já existentes, que acabam criando um grande gargalo no trânsito. A sinalização que já é precária na região central, é inexistente nos bairros, induzindo os desavisados ao erro. Agetran só tem uma atribuição : fechar ruas com cavaletes para a empresa de esgoto destruir o asfalto, muitas vezes recém construído. E depois todos sabem bem como fica o serviço...e nesse interim, quem perde é o cidadão, pagando impostos que acabam escorrendo pelos ralos, pelos buracos e assim por diante. Hora de renovar a administração da Agetran, que ao meu ver deveria ser o órgão responsável pelo planejamento da malha viária.
 
Silas Ferrari Viviani em 23/11/2012 10:56:50
Disserto os policiais estavam tomando tereré...kkk, na hora do acidente, por isso niguém apareceu...os agentes de transito estavam desfilando de PUNTO, no ar condicionado....rsrs
 
Thiago Roa em 23/11/2012 10:33:04
Como sempre, a culpa não é dos condutores desatentos e irresponsáveis mas sim da falta de fiscalização. Não tem como os policiais da CIPTRAN fazerem muita fiscalização pois não param de atender esses acidentes "bobos" causados por péssimos condutores e a fiscalização eletrônica foi bastante reduzida pois os infratores fizeram aquela "linda" campanha acusando o poder público de ser uma "indústria de multas". Já está provado que o condutor só respeita as Leis se for vigiado. A irresponsabilidade só aumenta nas ruas de Campo Grande mas ninguém assume sua parcela de culpa. Uma dica: em acidentes sem vítima e onde o trânsito esteja complicado tem que retirar os veículos da via para não causar maiores problemas e tbém não precisa esperar o atendimento, registre via internet ou na CIPTRAN dpois.
 
Gladis Caramalac em 23/11/2012 10:28:20
Engraçado... Praticamente TODOS os dias os agentes de trânsito estão na rotatória da Coopharádio para "organizar" o trânsito. Mas na realidade, atrapalham e muito, pois quando eles seguram o trânsito em dois dos braços da rotatória, nos demais se formam filas enormes. Nesta semana que não tinha agentes no referido local, estava bem mais tranquilo. Logo, penso que deveria escalar esses agentes aonde realmente eles são necessários, como é o caso do local da reportagem, bem como coibir ainda mais o tráfego de caminhões nas áreas urbanas. Campo Grande não está comportando nem o fluxo de veículos de passeio, quanto mais dos pesados.
 
Rosângela Souza em 23/11/2012 10:10:07
Vamos esperar agora que o Bernal resolva os problemas no trânsito como ele mesmo havia prometido na campanha de que vai criar um trânsito fraternal. Não existe magica mas Campo Grande tem que sair da posição de primeiro lugar em acidentes nas capitais brasileiras.
 
Juarez Goncalves em 23/11/2012 09:52:28
Infelizmente os amarelinhos gostam de ficar passeando e conversando por aí, além de serem poucos para uma capital com tantos problemas de trânsito, e a Ciptran só aparece nos acidentes. "Horários de pico" se fossemos contar os pontos críticos são mais de 40, seria necessário os agentes de transito estarem nesses locais.
Garanto que o número de acidentes iria diminuir, com a fiscalização na rua os condutores respeitam mais as leis, mas como já estamos chegando nas férias escolares e de fim de ano, nossos políticos irão deixar para o próximo ano, e a tendência é piorar a cada dia que passa.
Abraço à todos!!!!
 
Pedro Sá em 23/11/2012 08:54:15
Em Campo Grande, em nenhum lugar e em nenhum período voçê avista Policial de Trânsito nas ruas. A funçâo deles é justamente fiscalizar, orientar e punir motoristas que cometem infrações de trânsito. Como o Estado é omisso neste sentido, os transgressores cometem uma série de abusos pois sabem que não serão punidos. A simples presença da policia já serve para coibir a ação deste motoristas irresponsáveis que causam enormes prejuizos a população de um modo geral e em algumas vezes resultando até em morte de inocentes.
 
Francisco Braz em 23/11/2012 01:42:08
O fluxo de carros neste trecho aumentou consideravelmente.....!!!! Há de se tomar medidas urgentes...."pra ontem..." . Para piorar, ainda tem as cegonhas paradas em frente às conncessionárias....atrapalha mais ainda......!!!!!!!!! Tá complicadoo....
 
BRUNO DUARTE em 23/11/2012 00:17:29
A reportagem está corretíssima!!! Oa agentes da AGETRAN praticamente "sumiram do mapa". Em locais onde o trânsito de nossa capital está entrando em colapso, e nos casos de acidentes, nem sinal deles!!
 
MARCELLO MENDES em 22/11/2012 22:21:40
O número de carros nas ruas triplicou nos últimos anos, mas o número de policiais e agentes de trânsito diminuiu. Até mesmo a fiscalização eletrônica diminuiu na cidade: nos anos 90, vários semáforos tinham câmeras, algo raro atualmente. Não é à toa que Campo Grande é recordista em mortes no trânsito!
 
Luiz Pereira em 22/11/2012 22:09:05
O PROBLEMA DO TRANSITO EM CAMPO GRANDE É A BURRICE DOS MOTORISTAS, TODOS INCLUSIVE MEUS FILHOS E MINHA ESPOSA, EU VIVO FALANDO. TRANSITO VC OLHA PRA FRENTE, SE TEM LOMBADA, CONGESTIONAMENTO NA FRENTE, SE VC ESTIVER ATENTO NA FRENTE, 300 OU 400 MTRS. AGORA SE VC ANDA IGUAL PORCO COM OLHO NO CHÃO, NÃO VI MAS DEVE TER SIDO ISSO QUE ACONTECEU. OUTRA COISA SE TEM UM SINAL A 500 MTRS, PORQUE ACELERAR? VAI SEGURANDO O OUTRO QUE VEM ATRÁS, VE E TAMBEM SEGURA, QUANDO CHEGA, NO SINAL TA TODO MUNDO PARANDO, NÃO TEM BATIDA. AGORA SE EU VOU IGUAL UMA BESTA CORRENDO E TENHO QUE PARAR EM CIMA, QUEM VEM ATRÁS LÓGICO ACHOU QUE EU IA PASSAR E PAU. AÍ VEM AQUELA DEM MARIDÃO A COITADINHA NÃO GOSTA DE DIRIGIR. PORQUE NÃO FICA EM CASA ...MANÉ.
 
LOURENÇO CARVALHO em 22/11/2012 21:21:27
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions