A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

01/04/2013 12:38

Polícia confirma racha em tragédia e indicia jovem por homicídio doloso

Paula Maciulevicius
“Ele fez sinal com a mão logo na avenida Afonso Pena, onde dá acesso à Duque de Caxias”, fala o delegado Tiago Macedo sobre depoimento de testemunhas. (Foto: Marcos Ermínio)“Ele fez sinal com a mão logo na avenida Afonso Pena, onde dá acesso à Duque de Caxias”, fala o delegado Tiago Macedo sobre depoimento de testemunhas. (Foto: Marcos Ermínio)

Testemunhas afirmaram à Polícia que os motoristas envolvidos no acidente que terminou na morte do condutor Marcos Vinícius Henrique de Abreu, de 22 anos, ocorrido na noite deste domingo, na avenida Duque de Caxias, estavam disputando racha. O outro motorista foi preso e indiciado por homicídio doloso (com intenção de matar).

Veja Mais
Família nega que morto em acidente estivesse participando de racha
Testemunha afirma que veículo que bateu em poste estava participando de racha

Os militares da Aeronáutica que prestaram os primeiros socorros às vítimas relataram à Polícia que momentos antes do acidente, estavam atrás dos envolvidos e viram quando o condutor do C3, Ryan Douglas Werner Vieira, 20 anos, chamou Marcos Vinícius, que dirigia o Polo, para um “pega”.

“Ele fez sinal com a mão logo na avenida Afonso Pena, onde dá acesso à Duque de Caxias”, conta o delegado plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro, Tiago Macedo dos Santos.

O acidente foi por volta das 21h deste domingo, envolvendo um Polo Sedan e um C3. No primeiro veículo estava o estudante de Engenharia Mecatrônica, Marcos Vinícius, e a namorada dele, Letícia Souza Santos, 23 anos. O carro foi atingido na lateral pelo C3, onde estavam os estudantes de Engenharia Ryan Douglas e o amigo Hugo Nantes Milan, ambos de 20 anos.

Pela alta velocidade, depois da batida, Marcos Vinícius perdeu o controle da direção e bateu derrubando o poste de energia. O carro ficou dividido. (Foto: Samuel Magela)Pela alta velocidade, depois da batida, Marcos Vinícius perdeu o controle da direção e bateu derrubando o poste de energia. O carro ficou dividido. (Foto: Samuel Magela)

Pela alta velocidade do veículo, depois da batida, Marcos Vinícius perdeu o controle da direção e bateu, derrubando o poste de energia elétrica da avenida Duque de Caxias. Com o impacto no poste, o carro ficou dividido ao meio.

Bombeiros prestaram socorro às vítimas e Marcos Vinícius ainda foi levado para a Santa Casa com vida, mas não resistiu a gravidade dos ferimentos e morreu à 1h da madrugada.

Indiciamento - Ryan foi indiciado por homicídio doloso, lesão corporal grave em relação à namorada de Marcos que era passageira do Polo e racha. O jovem estava alcoolizado, o teste do bafômetro constatou 0,20 mg/l.O valor, descaracteriza crime, mas segundo o delegado é levado em consideração. “Esse elemento influenciou na tomada de decisão, na conduta e foi determinante na causa do acidente”, reforçou o delegado.

Em depoimento à Polícia, Ryan deixa transparecer o racha, mas nega ter praticado. Conforme o delegado, ele admite ter bebido, visualizado o veículo e que houve a colisão. “A velocidade e, sobretudo os vestígios materiais denotam que houve colisão provocada por ele”. A Polícia apreendeu uma caixa térmica, gelo, copo e uma lata de cerveja vazia no carro de Ryan.

Para o indiciamento, o delegado explica que foi levado em consideração o somatório das condutas do motorista. “O fato de ele estar embriagado e em alta velocidade em uma via controlada por radar que indica 50 km/h”. 

Dinâmica do acidente – O C3 bateu na lateral do Polo e depois ainda atingiu uma caminhonete S10 que trafegava à frente dos veículos. Segundo a Polícia, o C3 vinha na faixa central, enquanto o Polo seguia pela direita, na pista preferencial e de carros oficiais.

O caso envolveu todo trabalho de investigadores da Depac Centro. A Polícia ouviu a namorada de Marcos Vinícius quando chegava ao hospital. Letícia confirmou que o namorado dirigia em alta velocidade porque estava sendo seguido.

“Ela declarou que um veículo escuro e porte médio, o C3, empreendeu perseguição ao veículo do namorado e o motorista acelerou temendo algum mal”, relatou o delegado.

A Polícia ouviu nove testemunhas entre policiais, vizinhos e motoristas. A investigação vai agora para a 7ª Delegacia de Polícia Civil.




É triste, mas é verdade. O rapaz falecido estava praticando racha. Ele morreu, foi uma vida em início que se perdeu. Mas poderia ter sido vidas inocentes, que estavam cumprindo a lei e respeitando as demais. É muito triste quando as pessoas não pensam nas consequências dos seus atos. Deus nos proteja.
 
Fátima Maria Ribeiro Dos Santos em 01/04/2013 23:55:28
Ainda bem que que se ferraram sozinhos, quem procura acha. se estivessem matados ou atropelados aguém em menos de uma semana já estariam na rua dirigindo e fazendo de seus veículos uma arma.Tem que fazer a familia dele pagar o poste que ele danificou.
 
Manoel dos santos em 01/04/2013 19:16:10
Graças a DEUS nenhum pai de família trabalhador morreu inocentemente, em relação aos jovens que cada um arque com as consequências!!!
 
Paulo Rabelo em 01/04/2013 17:40:45
Aqui em Campo Grande os condutores em geral superam os limites da barbárie. Basta observar a velocidade e o compartamento dos "profissionais" de taxi, mototaxi e moto entregadores. Não respeitam semáforo com o sinal vermelho, não acionam a seta para indicar a intenção de mudar de faixa etc. etc. etc. Sugiro aos agente s de trânsito que façam a aferição da velocidades dos taxista do aeroporto; trafegam em altíssima velocidade e "furam" todos os sinais vermelho; exceto os que têm radar...
 
Dalmanto Dellano Dias em 01/04/2013 17:38:46
Radar, Quebra-Mola não adianta nada... o que falta é consciência de cada um... quando cada um tiver consciência vai acabando com essas brincadeiras que acontecem em nossas ruas.
 
Moacyr Neto em 01/04/2013 17:13:16
Ele era o filho da minha professora de matemática do ano passado,ele deu aulas pra minha sala,ele era muito legal,ele está num lugar melhor agora,que Deus o tenha !!!
 
Guilherme Arruda em 01/04/2013 16:37:09
Eu vi logo depois do acidente, e agradeço a cada minuto da minha vida a Deus...Estava com meu filho no carro, e fico pensando se estivesse passando ao lado desse idiota no momento, imagina o que poderia ter acontecido, o carro dele cortou no meio..........Graças a Deus que não feriu nenhum inocente, glorifico a vida mais ainda, agora sera que a tia vai falar que ele não fazia esse tipo de coisa?????????????Lamentavel ......pagou o erro, a idiotisse com a propria vida..............
 
Lenita santos em 01/04/2013 16:09:22
Luiz, com todo respeito: vias principais devem NUNCA ter quebra molas. Pois são obstaculos perigossisimos para pessoas que não conheçam a situação (e atrapalham veiculos de serviços de resgate). Se você dirige em São Paulo, pode encontrar quebra molas nos bairros, mas você, como não paulista, não vai ser supreendido por um nas grandes avenidas. La, só se usa radar.

No entanto, o que falta aqui em Campo Grande é aumentar (e MUITO!) os radares, que inclusive deveriam ser escondidos. Com quebra molas ou radar anunciado, o povo que sabe onde tem um só diminui la. No entanto, se o povo sabe que tem radar escondido por todo que é lado, vai deixar de correr, pois sabe que pode ser multado a qualquer hora. Se não acreditar, é só olhar como que funciona em outros paises.
 
Marcos da Silva em 01/04/2013 16:02:53
Eu vi tudo, desde o início, pelo o que vi não houve perseguição. Estava de serviço de Cabo Gd do CMO, quando estacionaram no semáfaro em frente ao CMO e ambos aceleraram, como se intimidassem um ao outro, quando o C3 partiu na frente do Polo, começando o racha. Resumindo, ele encheu a cara e não pensou nas consequências
Ela quer tirar o dele da reta.




 
Jean César Alfredo da Silva em 01/04/2013 15:42:58
Com a aferição do radar frente ao CMO,pode se ver a velocidade que passaram naquele ponto,e agora família sabia o que seu querido faz quando sai de casa só para passear,e faz do carro uma arma de morte,que sirva de exemplo mais uma vez,continuarão chorando por seus filhos,as grandes avenidas devem ter o redutor de velocidade(quebra molas)pois ao lado dessa Av.tem ainda a Ludio M.Coelho,com alta velocidade.Meus pesames a família.
 
luiz carlos santos messias em 01/04/2013 14:45:38
eu estava lá e vi tudo, o Marcos estava participando de um racha sim, não estavam sendo perseguidos coisa nenhuma, inclusive na situação do racho o carro dele, saiu atras do outro e não tinha mais nenhum atras dele.TUDO MENTIRA
 
cristiane prudente em 01/04/2013 13:47:12
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions