A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

22/09/2014 08:56

PRF aposta em fiscalização dupla para flagrar quem acelera após o radar

Aline dos Santos
PRF pode reforçar fiscalização em rodovias. (Foto: Marcelo Calazans)PRF pode reforçar fiscalização em rodovias. (Foto: Marcelo Calazans)

Aplicada pela PRF (Polícia Rodoviária Federal) no Rio Grande do Sul, a dupla fiscalização pode chegar também às rodovias federais que cortam Mato Grosso do Sul. A estratégia é colocar radares em sequencia, com distância de 5,10 ou 20 quilômetros. O alvo é o condutor que dá a tradicional segurada ao avistar a fiscalização, mas logo em seguida volta a exceder o limite de velocidade.

Veja Mais
Blitze multam 79 pessoas e flagram 22 motoristas sem carteira
PRF, PM e Agetran fazem duas blitze em 300 m para "pegar" motociclista

“Pode acontecer, não está descartado. Porque a fiscalização tem a capacidade de ser dinâmica”, afirma o policial rodoviário Régis Carvalho, que participou na última quinta-feira da blitz na BR-262, durante a abertura da Semana Nacional do Trânsito.

Ele explica que para os carros a velocidade máxima permitida é de 110km/h. No entanto, o limite pode cair de acordo com as placas de sinalização. Nas rodovias do Estado, a tecnologia já ajuda a flagrar os mais apressados. O radar móvel capta a velocidade quando o veículo está a dois quilômetros de distância. Somente o registro fotográfico, é feito quando o condutor avista o dispositivo. “Para que a placa saia com boa definição”, afirma.

O excesso de velocidade é uma preocupação diante dos acidentes que mataram 171 pessoas neste ano nos 3.671 quilômetros de rodovia federais . “No nosso Estado tem pouca rodovia duplicada e a invasão da pista contrária é causa frequente de morte. É nossa preocupação”, diz o policial. Em 2014, foram 2.261 acidentes, 60% do que foi registrado em todo o ano passado.

Respeito de ocasião – O mau comportamento dos condutores já foi contatado em uma operação diferenciada em novembro do ano passado, na BR-163. O motorista era abordado na fiscalização e recebia orientações como não ultrapassar em local proibido e não exceder o limite de velocidade.

Após a fiscalização, o trajeto foi acompanhado por policiais em helicóptero, que avistaram, justamente, as infrações sobre o qual o condutor foi alertado pouco antes. Os motoristas foram, mais à frente, convidados a assistirem palestra educativa.

No Rio Grande do Sul, foram multados 34.426 condutores entre 18 de agosto e 14 de setembro. Segundo o jornal Zero Hora, o número indica crescimento de 20.690 infrações em relação ao mesmo período de 2013.




Muito mais eficiente do que 2 ou 3 radares, e facil de implantar aqui no MS por causa do relativo pequeno numero de entradas e saidas nas BRs, é "controle de trajeto": um camera depois da principal entrada, e mais um um pouco antes da proxima grande saida. Ambos com sistema de leitura automatica de placas (OCR), e conectados via internet. Ai, identificando a placa em 2 pontos, e sabendo a distância entre as cameras, dá para calcular a velocidade média. Se este está acima da velocidade permitida, estava correndo demais em algum lugar no trecho e recebe multa. Inclusive é muito mais seguro do que usar radares, pois com este tipo de radar não adianta as pessoas dar aquele pisada no freio que pode causar acidente com quem está atras. E não recebe multa quem só pisou fundo ao ultrapassar.
 
Marc Boncz em 22/09/2014 11:58:12
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions