A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

26/04/2014 08:18

Sem cinto de segurança, sargento do Exército ficou ferido em colisão

Francisco Júnior e Luciana Brazil
A frente do carro ficou destruída. (Foto: Cleber Gellio)A frente do carro ficou destruída. (Foto: Cleber Gellio)

A vítima do acidente, ocorrido na madrugada de hoje (26), na Avenida Mascarenhas de Mascarenhas de Moraes, no Bairro Coronel Antonino, foi identificado como Douglas Emiliano da Silva, 21 anos. Ele é terceiro sargento do Exército.

Veja Mais
Motociclista sofre várias fraturas após colidir moto em poste
Carro capota após colisão no cruzamento da Bahia com a Barão do Rio Branco

O rapaz dirigia um veículo Celta que colidiu de frente com um poste próximo ao cruzamento da Rua São Luiz Gonzaga, região do Terminal General Osório. Como ele não usava cinto de segurança, com o impacto, foi arremessado e bateu o rosto contra o para-brisa do carro. O sargento sofreu vários ferimentos e foi encaminhado em estado grave para a Santa Casa.

Um rapaz que estava no banco do passageiro sofreu ferimentos leves, segundo Corpo de Bombeiros, mas recusou atendimento e deixou o local.

A delegada Anne Karine Sanches, plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário), foi ao local da batida junto com a perícia para apurar as circunstâncias do acidente. Segundo ela, dentro do carro foram encontradas duas garrafas de vodka. A delegada vai investigar se o motorista dirigia embriagado.

 

No veículo foram encontradas garrafas de vodka. (Foto: Cleber Gellio)No veículo foram encontradas garrafas de vodka. (Foto: Cleber Gellio)
Motorista sofreu ferimentos graves. (Foto: Cleber Gellio)Motorista sofreu ferimentos graves. (Foto: Cleber Gellio)

A frente do veículo ficou destruída. A perícia constatou que antes de se chocar contra o poste de luz, o Celta bateu contra o poste de sustentação de um semáforo que tem naquele trecho da avenida.

Por conta do acidente, uma pista da avenida no sentido centro, próximo ao terminal de ônibus, teve que ser interditada, deixando o trânsito conturbado.

Policiais da BPTran (Batalhão de Trânsito) estão no local orientando os motoristas.

 

 

Maria Helena chora ao lembrar da filha. (Foto: Cleber Gellio)Maria Helena chora ao lembrar da filha. (Foto: Cleber Gellio)

Lembranças – O acidente chamou a atenção de quem passava pelo local. Entre os populares que parou para ver o que havia acontecido, estava Maria Helena, 57 anos, mãe da assistente social Khédma Karim de Souza, 32 anos, morta em um acidente trânsito ocorrido no dia 16 de fevereiro deste ano. O motorista do carro que bateu na moto em que a vítima era passageira estava embriagado.

Diante da cena, a mulher lembrou do acidente da filha e se emocionou. “ Minha filha era linda, linda. Ela deixou dois filhinhos”, desabafou.

Motociclista sofre várias fraturas após colidir moto em poste
O motociclista Rolson Ribeiro, 34 anos, sofreu várias fraturas após colidir a motocicleta que pilotava contra um poste, por volta das 4h deste doming...
Motorista escapa de capotamento com ferimentos leves
Acidente aconteceu na rua Fernão Dias. Motorista bateu em carro estacionado....



É Senhor Sargento,com essas duas garrafas de vodka em seu carro está difícil dar uma explicação coerente para esse acidente.Álcool é incompatível com direção e o Sr.sabe muito bem disso.Confirmado essa posição,pega muito mal para o sargento Douglas Emiliano da Silva,por se tratar de uma autoridade,que devia dar bom exemplo para a meninada que tem idade semelhante a sua (ou mais)que andam igual a malucos alcoolizados dirigindo (bêbados)nas ruas de Campo Grande.Se for confirmado, nossa cidade precisa é de bons exemplos, jamais de maus exemplo,principalmente quando esse mau exemplo parte de uma autoridade.Conheço a Avenida Mascarenhas de Moraes e é somente andar com velocidade compatível,uso de direção defensiva,que jamais vai enfiar a cara num poste. Tem coisa errada aí sargento. Explique..
 
JOÃO ALVES DE SOUZA em 26/04/2014 19:33:55
Agora, o sargento irresponsável vai ocupar uma vaga no hospital e custar um bom dinheiro aos cofres públicos. O pior é que dirigir embriagado e não usar cinto de segurança são rotina no trânsito da capital. Duvida? Repare nos motoristas, a qualquer hora do dia, em qualquer lugar da cidade: no mínimo um terço está sem cinto. Fiscalização? Não existe!
 
Luiz Pereira em 26/04/2014 09:02:44
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions