A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

29/10/2012 21:30

Testemunhas serão chamadas para depor sobre acidente no Jardim Seminário

Inquérito para investigar o acidente já foi instaurado pelo delegado da 2ª DP, Weber Medeiros

Nyelder Rodrigues e Nicholas Vasconcelos
Condutora perdeu o controle do veículo e acabou atropelando mãe e dois filhos. Um deles morreu (Foto: Minamar Junior)Condutora perdeu o controle do veículo e acabou atropelando mãe e dois filhos. Um deles morreu (Foto: Minamar Junior)

O delegado da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande, Weber Medeiros, instaurou nesta segunda-feira (29) inquérito para investigar o atropelamento que resultou em uma morte e duas vítimas, uma delas grave, no Jardim Seminário.

Veja Mais
É grave estado de saúde de homem atropelado no Jardim Seminário
Bafômetro indica que mulher que matou um e atropelou 2 não estava embriagada

Conforme o delegado, já foi expedido ofício para a perícia técnica solicitando os laudos feitos no local do acidente, no cruzamento das ruas do Seminário com a Marquês de Maricá.

As testemunhas do acidente também serão convocadas para prestar depoimento. Por enquanto, a linha seguida será a de homicídio culposo, mas pode mudar durante as investigações.

Acidente – Mãe e os dois filhos estavam sentados na calçada em frente de casa tomando tereré quando foram atingidos pelo carro, um Pegeout 207 preto, conduzido por Pâmela Karina Eifler Ferreira, de 26 anos.

Um dos filhos Osmar Almeida de Oliveira, de 45 anos, morreu na hora, enquanto Fernando Almeida de Oliveira, de 49 anos, ficou em estado grave e passou ontem (29) mesmo por uma cirurgia na perna. Já a mãe, Leonora de Oliveira de Almeida, de 79 anos, teve alta.

Pâmela seguia pela rua do Seminário, no sentido bairro/centro, quando perdeu o controle do veículo ao fazer uma curva. Testemunhas disseram que ela estava em alta velocidade e que o carro rodou várias vezes antes de atingir as vítimas. Já a condutora disse estar a 60 km/h.

O teste do bafômetro feito pela Polícia em Pâmela indicou que ela estava com 0,08% de álcool por litro de sangue, valor inferior ao permitido, é 0,30%, constatando que ela não estava embriagada.

Tumultuo - Após o acidente, moradores da região tentaram agredir Pâmela. Algumas pessoas preocupadas com a mulher a levaram para uma casa onde ela ficou até ser escoltada pela Cigcoe (Companhia Independente de Policiamento de Crises e Operações Especiais).

A princípio, a informação é que, por medo, ela teria fugido e se escondido na residência. Reinaldo Moraes, 50 anos, é vizinho das vítimas. Ele ajudou a socorrer Pâmela. “Ela desmaiou quando fomos retirá-la. Não a conheço, mas eu achei necessário ajudar por causa da circunstância”, afirma.

O dono da casa onde Pâmela ficou foi agredido ao tentar ajudá-la. Ele foi atingido por um soco no rosto e ficou com arranhões pelo corpo. A mulher foi retirada da casa sob gritos de "assassina". No local, estavam duas viaturas do Cigcoe, cinco motocicletas da PM, três viaturas da PM, três viaturas do Corpo de Bombeiros, um reboque da PM, uma base móvel da PM, o carro da Perícia e uma da Polícia Civil.

Veja vídeo do tumulto:




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions