A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

05/05/2014 16:39

Trânsito matou 25% a mais na Capital em abril, maioria é motociclista

Lidiane Kober
Nas ruas da Capital, morreram seis motociclistas no mês passado (Foto: Simão Nogueira)Nas ruas da Capital, morreram seis motociclistas no mês passado (Foto: Simão Nogueira)

Em abril deste ano, acidentes de trânsito mataram 25% a mais do que no mesmo período de 2013 em Campo Grande. Foram 10 óbitos contra oito e os motociclistas foram as principais vítimas. Os dados deixam em alerta autoridades do setor e o apelo é pela conscientização sobre os riscos de abusar da velocidade e da associação álcool e direção.

Veja Mais
A 6 dias para fim do mês, mortes no trânsito já igualaram a abril de 2013
Motociclista "dorme" no trânsito e morre após colidir em carreta

Dos 10 mortos nas ruas da Capital, seis são motociclistas, dois ciclistas e dois pedestres. Em abril do ano passado, quatro condutores de motos foram a óbito. “É grande o potencial de vítima grave e fatal entre os motociclistas”, frisou Ivanise Rotta, chefe da divisão de Educação da Agetran (Agência Municipal de Trânsito).

Entre as vítimas deste ano, está o jovem Rafael Caldeira, de 22 anos. Ele morreu no último dia 18, após colidir a moto em uma árvore por volta das 5h da manhã, na Rua do Rosário com a Doutor Meireles, no bairro Monte Castelo, em Campo Grande.

De acordo com a Polícia de Trânsito, a vítima perdeu o controle do veículo depois de fazer uma curva e bateu em uma árvore. O rapaz chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros e Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência), mas não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho do hospital.

O caso se enquadra na maioria dos acidentes fatais. “A grande parte ocorre fora do horário do rush, acontece nas madrugadas, quando o motorista se sente livre para correr, se sente no controle da situação”, analisou Ivanise. “Infelizmente, a sociedade ainda não compreendeu que não é seguro desrespeitar a velocidade permitida”, completou.

De olho em reforçar o cumprimento das regras de trânsito, ela citou que, em caso de acidente a 50 km/h, as chances de vida são bem maiores. “Já a 60 km/h o óbito é quase inevitável”, frisou, com base em dados nacionais. “Com velocidade menor, é possível desviar e o tempo de frenagem é maior”, acrescentou.

Outro item de risco, segundo Ivanise, é a associação de bebida e direção. “O condutor perde consideravelmente os sentidos, os reflexos”, explicou. Também preocupa a Agetran o alto índice de motociclistas sem habilitação. “Do ponto de vista público, vamos aumentar a fiscalização e é importante a conscientização da sociedade”, emendou.

De janeiro até abril, morreram 36 pessoas nas ruas de Campo Grande contra 34, no primeiro quadrimestre do ano passado. Nos 12 meses de 2013, foram 116 vítimas fatais, das quais 70 foram motociclistas. “Essa é uma realidade nacional e mundial”, comentou Ivanise sobre o perigo na condução de veículos de duas rodas.




A verdade é que as pessoas que recebem suas CNH não são totalmente preparadas. Parte do problema é o órgão que as emite. A outra parte seria das pessoas que se aventuram a dirigir/pilotar veículos motorizados para os quais não possuem capacidade intelectual e/ou sensibilidade para entender a dinâmica do trânsito.
No tocante ao comentário do Maximiliano devo dizer que a blitz para motoqueiro é necessária: a maioria pilota de forma imprudente, muitos sem a CNH e grande parte dos crimes é feita utilizando esse meio de transporte.
 
Juvenal Coelho em 06/05/2014 09:08:42
Fala em "aumentar" a fiscalização, tem que TER a fiscalização, porque isso praticamente não acontece, piloto moto a + de 6 anos e NUNCA fui parada em uma blitz, ando quase 30km por dia e nunca fui parada, tenho habilitação mas e os que não tem e que também nunca foram parados e ainda se gabam por isso. ACORDA AGETRAN.
 
Vanessa Campos em 06/05/2014 08:54:54
Então, maioria das VITIMAS são motociclistas, me desculpem a palavra mas não tenho outro sinonimo para utilizar, mas a imbecil da nossa policia tem que ver que tá morrendo motoqueiro por que as pessoas que dirigem carros, caminhonetes, caminhões e onibus, não respeitam motocicleta, bicicleta e pedestre, o dia que colocarem alguem que pensa na frente da nossa policia talvez diminua o numero de mortes em nosso transito, mas enquanto eles continuarem com o pensamento que tem que parar só moto nas blitz vai continuar morrendo pois eles estão averiguando a consequencia e não problema.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 05/05/2014 17:02:29
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions