A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

20/07/2012 19:00

Três anos após acidente, Rayssa quer ser juíza e punir criminosos do trânsito

Paula Vitorino
Rayssa conclui que é preciso punir com mais rigor. (Fotos: Minamar Júnior)Rayssa conclui que é preciso punir com mais rigor. (Fotos: Minamar Júnior)

Três anos e três meses após o acidente, a jovem que se tornou um símbolo das vítimas do trânsito em Campo Grande, Rayssa Favaro, de 22 anos, vê com revolta que a imprudência continua nas ruas e os autores estão cada vez mais seguros na certeza de quem ficaram impunes.

Veja Mais
O dia em que a vida parou e Virgínia perdeu um filho e o marido
Mal a vida adulta começou, um acidente mudou os planos

“Eu quero ser juíza para punir com rigor quem comete, principalmente, infrações no trânsito”, diz, com objetividade. Para ela, a punição mais severa a infratores é a única forma de reduzir a violência no trânsito. Rayssa já pensa na volta aos estudos no próximo ano, cursando de início apenas uma matéria.

A jovem teve a carreira de estudante de Direito interrompida pelo acidente no dia 21 de abril de 2009, quando seu veículo ficou destruído após ser atingido no cruzamento da Bahia com a avenida Mato Grosso.

Diante de tantos noticiados, tendo em comum na maioria dos casos a combinação de jovens, bebida e alta velocidade, Rayssa avalia que virou quase uma “moda” e desabafa: o sentimento de estar jogando palavras ao vento, depois de tantas entrevistas contando sua história.

“Parece que meu acidente e a minha vida ter acabado não serviram de nada. Continua todo mundo se matando por aí. E o pior é que não se matam sozinhos, estão por aí matando outras pessoas”, alerta.

Carro da jovem ficou destruído após acidente. (Foto: Arquivo)Carro da jovem ficou destruído após acidente. (Foto: Arquivo)

Ela ainda confessa que fica com “mais raiva ainda” quando ouve e vê que mais motoristas continuam bebendo e dirigindo.

A mãe, Nara Favaro, lembra que a maioria das pessoas só passa a pensar nas conseqüências depois que sente a dor de um acidente.

“Mas depois que acontece não adianta chorar, ficar arrependido, tem que pensa antes”, frisa.

Para quem foi vítima, como a jovem, ainda fica a sensação de que por causa de um ato inconsequente a vida inteira de uma pessoa pode ser mudada.

Falta de limites- Para a família, o sentimento de impunidade e a espera por uma decisão da Justiça é uma das maiores angustias, que só perde para a espera na recuperação da jovem. Ela ainda luta para voltar a andar sozinha, falar e fazer coisas simples da rotina, como escrever e comer.

“Eu conto cada dia. Não controlo mais meu peso, não durmo, passei por problemas de depressão e pressão”, diz o pai, Valter Favaro, que na época do acidente era superintendente da Polícia Rodoviária Federal.

A família espera por uma data para o julgamento do caso, que ainda não tem previsão.

Em abril deste ano, quando a tragédia completou três anos, a família entrou também com processo civil por reparação de danos morais.

Rayssa diriga um Fiat Uno pela rua Bahia, quando teve o veículo atingido pelo Honda Civic dirigido por Marcelo Olendzki Broch, que seguia pela avenida Mato Grosso. A colisão jogou os carros a 36 metros do ponto de impacto.

Enquanto esperam o julgamento, a mãe afirma que nada vai apagar o sofrimento vivido pela família, mas que espera "que seja feita a Justiça".

Rayssa acredita que seu acidente teria acontecido de qualquer forma, mas se a legislação fosse mais severa o caso pelo menos já teria sido julgado.

“Eu preciso estar vivo ainda pra ver o fim desta batalha”, diz o pai com bom humor. Lembrando os inúmeros casos semelhantes de impunidade, a família ressalta que a punição tem que começar também de dentro da casa.

“Se eu fizesse um arranhão no carro do meu pai ele não deixava encostar nele por um bom tempo, então tinha medo de fazer as coisas erradas na rua”, diz.

Outro ingrediente, aponta Rayssa, é o poder. “O cara se acha o tal, pega um carrão e vai para as ruas se aparecer, acha que pode fazer tudo e não vai acontecer nada”, diz.

Para Rayssa, a sensação de poder que o carro dá a muitos jovens acaba favorecendo tragédias no trânsito.Para Rayssa, a sensação de poder que o carro dá a muitos jovens acaba favorecendo tragédias no trânsito.

Recuperação - Rayssa sofreu traumatismo craniano por conta do impacto. Ela sofreu o que a medicina chama de lesão axonal difusa no tronco cerebral-hipotalamo. Ficou 69 dias em coma.

Como a lesão sofrida não é muscular e, sim, cerebral, a rotina de tratamento consiste em treinos para melhorar o equilíbrio, exercitando a independência da jovem nos movimentos do dia a dia, além de exercícios físicos e cognitivos.

Ela sofre de ataxia, o que provoca “tremedeiras” nas mãos e dificulta o equilíbrio nos movimentos. A jovem já passou por quatro cirurgias, mas ainda precisa fazer outra no pé, que ainda não tem previsão.

Nos últimos meses, Rayssa já conseguiu avançar nos movimentos e andar sozinha no andador. A musculatura está mais forte com a ajuda da musculação. Ela também treina a escrita e outras atividades para exercitar o cognitivo.

Ela também luta contra a balança, já que a perda de peso é uma das orientações médicas para a melhora clínica, pois quanto mais leve estiver melhor para praticar os exercícios.

Rayssa realiza o tratamento do Hospital SARAH, em Brasília. Ela viaja a cada seis meses para o local. A família agora pretende iniciar em conjunto outro tratamento que é feito em clínica do Rio de Janeiro, no entanto o tratamento não é gratuito e custa cerca de R$ 5 mil.




Esse inresponsavel filhinho ´papai cometeu esse acidente deveria no minimo estar bancando as despesas ja que a justiça ainda nao colocou ele no lugar onde ele deveria estar atras das grades,,, mas infelismente no Brasil justica só existe pra pobre ,, se fosse um ciclista analfabeto tava la atras das grades, triste mas é verdade ,,, filhinho de papai tem costa larga nada acontece apronta e fica de boa por ai ,,, vamos dar basta nisso chega de impunidade,,,
 
Rosilene carvalho em 26/12/2012 20:20:20
Força Rayssa! Que Deus te ilumine cada dia mais! Nosso país precisa de pessoas como você, perseverante...
 
Katia Beatriz em 21/07/2012 11:52:52
RAISSA, veja como é o nosso destino, seu pai trabalhava fiscalizando e punindo os infratores e bandidos nas estradas, e você foi atingida por um infrator dentro da cidade.
Mas siga em frente, você é destemida, e com certeza realizará seus desejos.
Se for possivel, trabalhe para que só possa comprar um veículo, quem for habilitado e provar capacidade de dirigir, não basta ter dinheiro.
 
VALDIR VILLA NOVA em 21/07/2012 11:26:26
so sentindo na pele para podermos punir esses criminosos, que matam alejam, desemparam familias .que siga e concretize esse seu objetivo linda.nao deixe passar impune essas situaçoes quando cairem em suas maos.porque so quando um ente querido de um magistradoo desse for ceifado , ele vai querer punir o infrator.
 
rafaela mendes em 21/07/2012 11:13:23
Rayssa, força que Deus te abençõe a vc e sua família e que vc consiga seguir seus objetivos e ponhas esses tipos de canalhas na cadeia onde é o lugar deles parabéns que deus permanessa sempre em nossas vidas.
 
norma sueli zanuncio em 21/07/2012 09:29:21
Rayssa contínui com essa força garra vontade de viver vencer de de fazer justiça, só sobre pena da lei é que pode inibir um pouco esses crimes tão violentos cometidos no trânsito torso para que você conclua seus estudos e se torne magistrada pois estamos precisando de pessoas como.
 
maria da conceição cerqueira em 21/07/2012 08:37:05
Acompanhei todo seu drama, hoje fico muito feliz pela sua pronta recuperação. Torço muito pqara que você consiga alcançar seu objetivo de ser uma juiza, e quiçá até lá, os nossos parlamentares tenham o bom senso de mudar este nosso código penal arcaico que tem mais de 72 anos e já não atende mais os anseios da sociedade contemporânea. Infelizmente o proprio judiciário fica refém deste atual código
 
João Márcio Escobar em 21/07/2012 08:18:45
Deveria também processar a FIAT. O Uno ficou amassado como se fosse de papel. Se fosse outro carro, de outra fabricante, de repente, o acidente teria lesionado bem menos.
 
José Nunes em 21/07/2012 08:09:08
Torcemos e oramos por você Rayssa. Desde pequena vc sempre se mostrou vencedora. Não temos dúvidas que realizarás todos os seus projetos de vida. Que Deus te abençoe!!! Abçs a seus pais!
 
Eduardo Dionizio em 21/07/2012 07:00:00
Cara Rayssa, sua vida não acabou. Você está viva, e isso é o mais importante. Muitos não tiveram, vamos dizer, sua "sorte"! Estão no cemitério! Sua família está aí para te ajudar. Eu acredito que você é capaz de fazer tudo o que desejar. Seus sonhos são objetivos reais e você irá alcança-los, porque você nasceu predestinada para fazer o bem! Um abraço!
 
Paula Lutero em 21/07/2012 06:02:31
Suas palavras nunca serão ao vento. Uma jovem com a sua força de vida, tem força nas palavras! Temos todos que trabalhar por um trânsito mais racional.
 
Juarez Goncalves em 21/07/2012 04:04:50
Rayssa você está totalmente correta e tem muita garra e coragem, porém o sistema não funciona como você está pensando, espero que consiga seus objetivos.
 
Lúcio Xarão em 21/07/2012 01:18:14
Linda! nós amamos muito vc! força vc vai conquistar TUDO que Deus tem pra vc!
 
Julyane Batistoti em 21/07/2012 01:08:13
Rayssa, nos dias de hoje os jovens continuam bebendo, dirigindo veículos e achando que podem acelerar muuuuiitoooo... è culpa do GOVERNO, a Lei Seca não é fiscalizada, por isso ainda acontecem acidentes como o seu. Torço por vc e sua família. Falta a POLÍCIA acordar e fiscalizar para que as Leis sejam cumpridas, nem precisaria de penas duras no Judiciário, basta a POLÍCIA cumprir o que diz a LEI..
 
Lucas Vale em 20/07/2012 11:38:31
Graças a Deus ela está viva, e tem a chance de tentar fazer alguma coisa para reverter essa tragédia em que o trânsito se transformou na nossa cidade. Minha irmã, que queria ser enfermeira e cuidar de vítimas de acientes (essa era a paixão dela), não sobreviveu para realizar seu sonho, graças a um inconsequente infeliz, que dirigia alcoolizado, em alta velocidade, e deixou 3 filhos órfãos!!!
 
Carolina Weber Prieto Leite em 20/07/2012 10:47:20
Rayssa, desejo que você continue assim, com garra, com determinação, com coragem, otimista e com esperança que um dia tudo vai melhorar e você alcançara seus objetivos e seus sonhos.
Agora, essa luta que a família está passando, tinha que ser acompanhada pelo autor disso tudo, acompanhando ela no hospital, pagando as despesas médicas, hospitalares e de medicamentos. J U S T I Ç A J Á.
 
Adenilson Rebeque em 20/07/2012 09:31:04
Força RAYSSA, quem passou tudo o que você passou, ninguém segura. Estamos todos precisando de exemplos de superação, gde abraço.
 
SANDRO R REIS em 20/07/2012 08:43:38
Força Rayssa, nunca abandone os seus objetivos.
Favaro e Nara continuem com os incessantes esforços, pois em algum momento a vitória virá.
 
Nivardo Jovito Rocha em 20/07/2012 07:59:39
Parabéns raissa, siga em frente, com dedicação, que você vai conseguir realizar seus sonhos, e a vc valter, força, e paciência, parabéns, se deus quiser conseguiremos vitória. paz e amor................
 
celio roberto jd barcelona em 20/07/2012 07:46:45
Também sofri um acidente de transito.Foi grave.Porém com muito menos complicações como o da Rayssa.Não houve trauma neurologico.Fui atropelado por um carro oficial do Estado e luto há quase 7 anos para conseguir tratamento.Os poderes Executivo e Judiciário poderiam minimizar esse sentimento de impunidade.Mas para que facilitar,se é possível complicar.Muita Força a Rayssa e sua Família.
 
Joel Strasinski em 20/07/2012 07:40:54
Oi Rayssa é isso mesmo minha amiga, com a proteção de DEUS voce voltará a estudar concluir seu curso e nos presentear sendo uma grande magistrada.




NEI SALVIANO
 
NEI SALVIANO em 20/07/2012 07:21:38
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions