A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

19/02/2013 14:39

Veículo capota em cruzamento da Arthur Jorge e Pernambuco

Gabriel Neris e Helton Verão
Meriva capotou no início da tarde desta terça-feira após mãe deixar filhos na escola (Foto: Luciano Muta)Meriva capotou no início da tarde desta terça-feira após mãe deixar filhos na escola (Foto: Luciano Muta)

Um veículo Meriva capotou no início da tarde desta terça-feira (19) no cruzamento da rua Arthur Jorge com a Pernambuco, no bairro São Francisco, em Campo Grande. Apesar do susto, ninguém se feriu.

Veja Mais
Mototaxistas e taxistas se juntam e percorrem Afonso Pena contra Uber
Homem que morreu atropelado tinha 51 anos e foi identificado pela mãe

O Meriva seguia pela Arthur Jorge, sentido bairro, enquanto o Corolla estava na Pernambuco. Testemunhas contaram que o condutor do Corolla avançou sobre a sinalização de Pare e atingiu o Meriva, que capotou duas vezes na via.

José Henrique dos Santos, de 45 anos, motorista do Corolla, contou que havia um carro na frente e passou o cruzamento. Ele avançou com o veículo, achando que não tinha ninguém e quando percebeu os carros se chocaram. O carro é de uma prestadora de serviço.

O condutor, motorista há 22 anos, reclama que existe a necessidade de um semáforo no cruzamento. Outra reclamação é a presença de vários veículos estacionados próximo ao cruzamento, atrapalhando a visibilidade dos motoristas.

O Meriva era conduzido pela enfermeira Vanessa Kool, de 29 anos. Ela relatou que havia deixado os dois filhos, de um e cinco anos de idade, na escola. Vanessa contou que dirigia entre 50 e 60 km/h, quando viu o Corolla no cruzamento, achou que o outro motorista iria parar o carro.

A mulher concordou com José Henrique sobre a necessidade de um sinaleiro no local. “Sempre falamos que aqui precisa de um semáforo”.

Funcionários de uma drogaria que funciona em frente ao cruzamento também pedem por uma melhor sinalização no local. “A visibilidade é ruim devido aos carros estacionados. Colocaram um semáforo na esquina anterior, poderiam ter colocado aqui também”, disse José Neri, de 19 anos.

“A noite é terrível, e a iluminação é fraca. Se durante o dia acontece isso, imagina a noite quando a visibilidade é menor”, diz a operadora de caixa Ivanila Santini.




Concordo com a Renata, existem muitas ruas em Campo Grande que deveriam ser mão única. Além disso há muitos cruzamentos mal sinalizados.
 
Fernando Sales em 19/02/2013 18:25:21
Esse cruzamento é um perigo, onde osta a AGETRAN que não coloca um semafóro. Trabalho proximo e todo dia vejo um acidente, não é possível que a cidade tenha tento barbeiro assim, esso é falha na engenharia da via.
 
Juarez Goncalves em 19/02/2013 16:49:41
Sou moradora nessa região, e na minha opinião o que mais precisa nessa Arthur Jorge é virar mão única. A 25 de Dezembro desce e a Arthur Jorge sobe só isso...sinceramente pra mim ir pra minha casa que é na rua São Paulo, eu pego a Padre João Crippa porque a Arthur Jorge está intransitável, cheio de semáforos, toda esquina tem q párar, o transito não flui e ainda vive acontecendo acidentes.
 
Renata Santos em 19/02/2013 15:24:08
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions