A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

28/08/2012 19:58

Velho problema, filas duplas causam transtornos ao trânsito da Capital

Nyelder Rodrigues e Elverson Cardozo
Nas saídas dos colégios, é fácil flagrar grande filas de carros em fila dupla (Foto: Rodrigo Pazinato)Nas saídas dos colégios, é fácil flagrar grande filas de carros em fila dupla (Foto: Rodrigo Pazinato)

Não é novidade o problema que os horários de entrada e saída de colégios, principalmente os particulares, causam ao trânsito em Campo Grande.

Veja Mais
Carro capota após colisão no cruzamento da Bahia com a Barão do Rio Branco
Motorista escapa de capotamento com ferimentos leves

Em frente aos portões destas escolas, sejam elas de Educação Infantil, Ensino Fundamental, Médio ou cursinho pré-vestibular, o que mais vemos são filas duplas.

A partir daí, começa um festival de irregularidades. Além dos carros parados no meio da rua, desembarcando ou embarcando crianças e adolescentes, há vários veículos estacionados em locais ilegais, como guias rebaixadas, faixa amarela e acessos aos deficientes físicos.

Muitas vezes, o fluxo destas vias fica congestionado, se não totalmente parados, por causa das irregularidades que atrapalham quem nada tem a ver com a situação.

Mesmo constando no Código Brasileiro de Trânsito a proibição de diversas destas práticas, que se repetem sem fiscalização diariamente nas ruas da Capital, alguns motoristas acreditam que o problema não está nesta conduta.

Para o professor Fábio Martins, de 36 anos, o problema não está nas filas duplas. “Tem outras coisas prioritárias, a própria fiscalização”, comentou, ao dizer que já foi multado indevidamente.

Mas, para evitar novos transtornos, ele estaciona em uma rua transversal à Alagoas na hora de levar e buscar o filho de 1 ano e 7 meses. A situação poderia mudar se uma faixa da rua fosse destinada ao embarque e desembarque de estudantes, opinou o professor.

Cintia Urbanski, de 38 anos, também estaciona em uma rua paralela para buscar a filha Isadora, de 8 anos. A professora sugere que as direções das escolas, para evitar as filas duplas, intercalem a saída e entrada dos estudantes, por turma ou série. “Melhoraria, mas isso também vai muito da educação”, finalizou.

Próximo dali, na rua Goiás, em frente à escola Máxima, a cena se repetia: filas duplas e o trânsito tumultuado, como acontece todos os dias. A fisioterapeuta Daniele Sá, de 32 anos, acabou estacionando o carro na rampa de acesso a deficientes físicos, bem no cruzamento.

Ela comentou que a situação é complicada e quase não há vagas nos horários de pico. Para a fisioterapeuta, transformar a via em mão única resolveria parte dos problemas.

Trabalhando há 8 anos como vendedora de água de coco na esquina do colégio, Elisangela Rodrigues, de 32 anos, confirma o tumulto relatado pelos pais e diz que as filas duplas são constantes. “Não tem lugar para estacionar”, disse.

Segundo a vendedora, a situação piorou depois que uma cooperativa de saúde localizada na região resolveu proibir seus funcionários de estacionar o carro dentro da empresa.

Um festival de erros: veículo mal estacionado, parado na faixa amarela, sobre a faixa de pedestres, e em fila dupla. Algo diário na CapitalUm festival de erros: veículo mal estacionado, parado na faixa amarela, sobre a faixa de pedestres, e em fila dupla. Algo diário na Capital
É comum ver carros estacionados em frente aos colégios, mesmo nas guias rebaixadas, de acesso à deficientes, e em faixas amarelasÉ comum ver carros estacionados em frente aos colégios, mesmo nas guias rebaixadas, de acesso à deficientes, e em faixas amarelas



A falta de organização no trânsito é geral. Os problemas são maiores quando se trata de local onde o fluxo é grande e com os veículos em movimento, por exemplo, na saída para Rochedo, em frente o José Abrão, ali precisa de uma rotatória urgente, ou pelo menos uma atenção por parte das autoridades. Nas imediações do conjunto acontecem acidente constantemente.
 
Jair Camilo Diniz em 29/08/2012 11:12:31
Caro amigo Claudinei! As multas devem ser pagas pelos condutores infratores e não pela escola, pois a mesma disponibiliza o serviço de ensinar, educar, cabe aos interessados na hora de matricularem seus filhos, verificar se terão problemas com o trânsito no local.
 
Cassiano Jorge em 29/08/2012 10:44:34
Prezado Sr. Moacyr Neto,

Concordo que muitos pais tem má conduta, mais outros motoristas alheios a rotina da escola também extrapolam. Na frente do ABC, por exemplo, ainda vai acontecer uma tragédia, pois muitos motoristas não param na faixa de pedestres quando as crianças, mesmo acompanhadas dos pais, tentam atravessar. Em relação a Agetran, ela tem culpa por omissão. O problema é antigo!!!
 
Mracelo Gomes em 29/08/2012 10:43:59
Na escola Nova Geração tem pais tao folgados que mesmo quando tem vaga, eles param em fila dupla, estes merecem multas pesadas, pois so assim respeitam.
 
Fabio Wollmeister em 29/08/2012 09:37:03
Levando-se em consideraçao o grande número de veículos circulantes no trânsito de Campo Grande a própria escola com recurso próprios deveria obrigatoriamente dispor de um espaço interno dentro de sua área para que o alunos pudessem ser dispensados ou recolhidos de uma forma mais segura e evitando assim muitos transtornos ao tao ja problemático trânsito.Obs: As multas devem ser pagas pela escola.
 
claudinei santos em 29/08/2012 09:09:37
É muito fácil resolver este problema, é só a agetran passar nas escolas e sair multando os condutores que estão em fila dupla, um a um, e repetir a ação no outro dia, no terceiro dia, não terá nem um único veículo em fila dupla. As pessoas só aprendem quando pesa no bolso, está comprovado.
 
Cassiano Jorge em 29/08/2012 09:09:26
Sempre falo e questão de educação meu filho estuda no Osvaldo Tognine a escola fez um acesso na calçada onde os pais deveria usar para deixar seus filhos, mas tem sempre um desses pais mal educados que estacionam seus veículos ou ficam parados e ainda metem a mão na buzina para chamar seus filhos, normalmente são os que tem os carros mais caros, já teve porrada entre usuários.
 
joao braz em 29/08/2012 08:12:37
Esses infratores dão um péssimo exemplo aos filhos, q com certeza serão condutores amanhã. Essa geração atual precisa ser penalizada pagando pesadas multas, quem sabe aí aprende a respeitar as normas de conduta e dão um bom exemplo aos próprios filhos.
 
jorge oliveira em 29/08/2012 08:12:15
O transito de CG é horrivel. param em fila dupla ligam o alerta e acham que estão certos. Sinal fica verde e só andam qdo levam uma buzinada atras. Depois ficam magoados qdo pessoas de foras falam que isto ocorre em Campo Grande piada mesmo. E outra coisa são tres faixas nas avenidas a do meio é de fluxo rapido não lento é para o transito fluir. Por favor ensinem isto a todos.
 
Marcos da Silva em 28/08/2012 10:47:16
Quando a educação e o bom senso não funcionam o melhor é a punição. Multa nestes que desrespeitam a lei.
 
Mário Rosa em 28/08/2012 10:11:02
Se a reportagem chegasse 10 minutos antes de abrir o portão para a saída nessa escola, veria um pai com uma tucsoncc que fica parado, na faixa de pedestre, com meio fio amarelo, sentado no capo esperando os filhos saírem. Belo exemplo para eles.
 
Marco Antonio em 28/08/2012 08:40:23
Agora eh culpa da AGETRAN?

Nao eh falta de educação dos pais q por comodidade n podem estacionar à uma quadra de distancia.
 
Moacyr Neto em 28/08/2012 08:26:00
Quem prestar mais atenção, verá que na frente das escolas particulares o tipo de infração é mais comum. Na frente dessas escolas só param "carrões".




DIREÇÃO DEFENSIVA SEMPRE!!!
 
Luciano Silgueiros em 28/08/2012 08:22:10
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions