A notícia da terra a um clique de você.
News Veículos
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

01/08/2013 09:44

Scania aposta no conceito Streamline para manter liderança entre pesados

Vendas de caminhões com serviços agregados começam em agosto

Automotive Business
DivulgaçãoDivulgação

Empenhada em manter a liderança de vendas de pesados, segmento em que detém 34% de participação de mercado com emplacamentos de 8.958 caminhões (acima de 45 toneladas de capacidade máxima de tração) de janeiro a junho deste ano, 10,5% a mais do que o mesmo intervalo de 2012, a Scania aposta em um novo conceito de solução de transporte adicional ao seu mix rodoviário de cabines G, R e R Highline. Apelidado de Streamline, trata-se de uma nova gama de produtos com mudanças estéticas e melhorias no sistema de direção que garantem redução do consumo de diesel, combinada a um amplo pacote de serviços de assistência ao motorista.

Veja Mais
Ford apresenta o Mustang Black Shadow E Blue Edition para A Europa
Volkswagen apresenta a picape Amarok 2017

“A proposta da Scania é entregar o melhor do produto e de serviços juntos. Não queremos mais vender só o veículo. Hoje, o nosso modelo R 440 já é o pesado mais emplacado do ano com 5.261 unidades. Não iremos substituir nenhum de nossos caminhões, mas agregar uma linha mais rentável para o segmento de rodoviários. O R 440 com o conceito Streamline vai ser ainda mais econômico, confortável e disponível do que já era antes, além de ter ganhado mudanças no design de exterior e de interior”, explica Eronildo Santos, diretor de vendas de veículos da Scania no Brasil.

Para ter acesso a gama Streamline, que já começa a ser negociada nas mais de 110 concessionárias da Scania a partir de agosto, mas que só chega aos clientes após dois meses da encomenda, em meados de outubro, será preciso desembolsar um valor até 8% mais caro que os rodoviários convencionais. O modelo mais barato Streamline, o caminhão com cabine G 320, 4x2, com motor de 360 cavalos, terá preço a partir de R$ 380 mil. “O investimento inicial é compensando pela economia de combustível ao longo da vida útil do veículo”, justifica Santos.

A linha Streamline foi desenvolvida na Suécia, país sede da empresa, mas já está sendo fabricada na planta brasileira da Scania, em São Bernardo do Campo (SP). Com mais de 60% de componentes nacionais, poderá ser financiada pelo BNDES/Finame. As opções de motorização vão de 360 até 620 cavalos de potência. As configurações de roda são 4x2, 6x2 ou 6x4.

Durate a aquisição, o cliente, apesar de induzido, não precisará adquirir um pacote de serviços de manutenção. Segundo Santos, o objetivo é chegar a 100% das vendas dos Streamline com pacotes de manutenção flexível. Mas o executivo admite que este patamar tende a ser atingido aos poucos, ao passo que os frotistas descobrirem as vantagens do novo conceito de transporte. Atualmente, 35% dos caminhões Scania são vendidos com algum tipo de contrato associado. O diretor estima que a nova gama Streamline conseguirá responder por 30% das vendas dos caminhões rodoviários Scania até o fim do ano.

ECONOMIA DE COMBUSTÍVEL

O principal fator que levará o frotista a desembolsar mais dinheiro para ter um Streamline é a redução do consumo de diesel. Em pesquisa realizada pela NTC & Logística, dentre os custos de uma transportadora, o do combustível é o maior, chega a 38,4%.

A Scania garante que os novos caminhões Streamline estão 4% mais econômicos que os similares Euro 5 da marca. Isso porque ganharam uma série de melhorias. A começar pela quarta geração da caixa automatizada Opticruise, de série em toda gama, que no modo econômico troca as marchas com mais rapidez e eficiência, colaborando sozinha para uma redução de 2% no consumo. O piloto automático Ecocruise, que ajusta o desempenho do motor de acordo com o peso da carga e do implemento tracionado tanto nas subidas quanto nas descidas, ajuda a gastar 1% a menos de diesel. Completam a somatória o novo sistema lubrificante da caixa automatizada, com 0,4% de redução, e os novos desenhos aerodinâmicos da grade frontal e do quebra-sol, com mais 0,6%. Comparados aos mesmos modelos Euro 3, os caminhões Streamline economizam até 15% de diesel, de acordo com cálculos da empresa.

SERVIÇOS

A Scania deixa claro que não basta ter um caminhão econômico se o motorista não souber guiá-lo de forma eficiente. “Não adianta estar na vanguarda dos lançamentos de veículos e de serviços caso o maestro esteja desafinado no seu trabalho. As transportadoras precisam entender que ganham substancialmente ao investir no treinamento da equipe”, comenta Santos.

E é aí que o conceito de produto mais serviço, da linha Streamline, ganha importância. A Scania oferece duas soluções para auxiliar o frotista: o programa de treinamento de motoristas e o “Driver Support”, equipamento eletrônico de série instalado no painel do caminhão que dá dicas em tempo real da condução. Ambos podem ensinar a economizar até 10% do diesel e reduzir o desgate de peças. O frotista pode contar ainda com um consultor de desempenho da concessionária Scania para apontar melhorias possíveis na direção.

Para aumentar o seu diferencial no pós-vendas, a Scania oferece também pacotes de manutenção flexíveis para a gama Streamline. São quatro no total: o Premium, que contempla todas as manutenções preventivas e corretivas, o Trem de Força, focado no bom funcionamento do motor e do câmbio, o Standard, que inclui somente as revisões, e, o mais simples, o Compacto, apenas para troca de óleo.

“Com todos esses diferencias de produtos e de serviços, não tenho dúvidas de que os caminhões Streamline são os mais completos, rentáveis e econômicos já ofertados pela Scania ao longo de seus 56 anos no Brasil”, conclui Santos.

Na previsão do diretor de vendas, o segundo semestre da Scania, que terá apenas a nova linha como novidade, não deve superar o primeiro, quando conseguiu pular da sexta para quarta posição no ranking das fabricantes de caminhões. Se somadas as vendas de semipesados (669 unidades) e pesados (8.959), a marca chegou a 9.627 caminhões emplacados de janeiro a junho, o que representa um salto de 103,7% sobre o mesmo período de 2012. “O primeiro semestre foi muito forte com as taxas de juros do PSI Finame abaixo da inflação e desempenho forte da economia. No segundo, com a Fenatran, a concorrência vai apertar.”




Não tem nada a ver motores Scania é um e Volks é outro. Oque acontece é que a Volks comprou parte da acoes.

Em 3 de março de 2008 o grupo Volkswagen anunciou a compra de participação acionária adicional na Scania que elevou os seus direitos de voto para 68,60%, passando desta forma a ser o acionista controlador da empresa.

Os motores são diferentes em cada marca. ok
 
josiel silva em 20/08/2013 14:27:04
nossa... Scania mesma coisa que volks? nada a ver, esse entende bem de caminhão!!!
 
junior félix em 01/08/2013 14:56:54
Isso mesmo Fabio Resende, o cara compara scania com volkswagen, da para perceber que ele entende muito de caminhão! kkkkkkkkkkkk
 
angelo rodrigues em 01/08/2013 12:50:59
Caro Marcos Wild, a sua afirmação não está correta. Apesar da Volkswagen deter a maior parte do capital da Scania, os produtos são diferentes. A Scania é responsável pela fabricação de seus produtos, fazendo-o de para choque a para choque e tem a sua rede de distribuição totalmente independente.
 
Fabio Rezende em 01/08/2013 10:39:26
Lembrando que os Caminhões SCANIA é o mesmo Volkswagen, só muda a marca.
 
Marcos Wild em 01/08/2013 10:12:33
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.