A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 18 de Outubro de 2019

20/12/2011 16:30

À frente do seu tempo

Por Renato Giusti*

O Brasil vem passando por grandes transformações nas últimas duas décadas. Com a estabilidade econômica e política, o País recuperou a credibilidade internacional, conquistou o título de grau de investimento pelas agências de avaliação, botou de pé um plano de crescimento de longo prazo, e cada vez mais tem recebido investimentos estrangeiros. Além disso, vai sediar grandes eventos que não só aumentam a exposição do Brasil, e abrem novas oportunidades de investimento, principalmente em infraestrutura.

Com o novo status conquistado, o país transformou-se em um canteiro de obras: estradas, aeroportos, complexos esportivos, centros comerciais, hospitais, escolas, obras de saneamento, ruas, praças, centros de lazer e a sonhada casa própria para milhares de famílias brasileiras.

Nesse contexto, a indústria brasileira do cimento tem importante papel a desempenhar, no sentido de oferecer suporte necessário para a melhoria da habitação e da infraestrutura e, consequentemente, para o crescimento sustentável do País. Em um país tradicionalmente construído em concreto, a indústria fez expressivos investimentos, como amplamente divulgado, se preparando para atender às novas demandas.

Mas o aumento da capacidade de produção não é a única prioridade do setor. A indústria brasileira de cimento é reconhecida internacionalmente por seu excelente desempenho energético e ambiental e pela reduzida emissão de gases de efeito estufa. Essa posição é fruto de um grande esforço das empresas que realizam, há anos, ações para reduzir emissões, contribuindo no combate às mudanças climáticas, levando a nossa indústria a ser reconhecida mundialmente como a mais ecoeficiente.

Somente em 2010, a indústria brasileira de cimento, com apoio técnico da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), destruiu em seus fornos cerca de 1 milhão de toneladas de resíduos, por meio da tecnologia de coprocessamento. Desse total, mais de 50% dos resíduos tinham poder calorífico e foram aproveitados como combustível, além de preservarem as reservas de combustíveis fósseis.

Outra atividade do setor é investir em novos processos construtivos à base de cimento, sistemas industrializados capazes de aumentar a eficiência, a rapidez nas construções, a redução de custos e, sobretudo, a sustentabilidade das edificações. Um exemplo foi o sistema industrializado adotado em São Luiz do Paraitinga, cidade histórica a 178 km de São Paulo que foi atingida por uma forte enchente em 2010. Lá adotou-se o sistema parede de concreto monolíticas – formas de PVC de encaixe simples com função de acabamento e que são preenchidas com concreto e aço estrutural. Essa solução permitiu a entrega das casas em menos de seis meses.

A transferência da tecnologia dos pavimentos de concreto para importantes obras rodoviárias e urbanas por todo o país, é outra das atividades importantes e permanentes.

E em todas elas a participação da Associação Brasileira de Cimento Portland, que completa 75 anos em 2011, tem sido fundamental.

Desde sua criação, a Associação trabalhou para melhorar a qualidade do cimento, do concreto, dos processos produtivos e construtivos, bem como para transferir constantemente as tecnologias, ampliando assim o conhecimento, por meio de cursos, palestras, eventos, feiras etc. Isto é, capacitar faz parte do DNA da ABCP.

Sempre em parceria com a indústria e instituições diversas, a ABCP mantém um laboratório de ensaios completo e moderno que presta serviços ao setor cimenteiro, à indústria coligada de materiais de construção e aos consumidores. Além disso elabora pesquisas e projetos e mantém uma equipe de profissionais – arquitetos, engenheiros, geólogos e químicos, entre outros – à disposição do mercado para consultoria e suporte a grandes obras da engenharia brasileira. Por isso somos reconhecidos nacional e internacionalmente pela excelência de nossos serviços o que nos leva a ganhar prêmios, tornando-nos benchmarking de outros setores.

Não menos importante tem sido, ao longo de décadas, a contribuição da ABCP para a prática da qualidade no que se refere ao emprego do cimento e do concreto e de seus sistemas segundo as normas brasileiras, colaborando com o bem estar da sociedade.

Somos uma entidade de excelência que merece ser conhecida, criada para promover o uso do cimento.

Afinal é edificante e prazeroso cuidar com dedicação e rigor do aperfeiçoamento do mercado da construção civil, da melhoria da qualidade de vida da população e do desenvolvimento do Brasil.

E tudo isso sempre em parceria com toda a cadeia da construção, porque ninguém faz nada sozinho.

Por tudo é difícil esconder o orgulho que nos invade e envaidece e essa postura de compromisso com o desenvolvimento do nosso País, o tempo não modificará nos próximos 75 anos que virão.

*Renato Giusti, engenheiro, é presidente da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP)

Projeto de lei pretende punir quem ocultar bens no divórcio
Quem milita na área do Direito de Família está, infelizmente, mais do que acostumado a se deparar com inúmeros expedientes para fraudar o direito à m...
Internet, Vínculos e Felicidade
A cada dia estamos passando mais tempo em celulares e computadores. Tanto que muitas vezes, quando maratonamos seriados, até a televisão pergunta: "t...
Origem espiritual da Profecia
Em minha obra Os mortos não morrem, transcrevo estudos abalizados e relatos interessantíssimos sobre a realidade da vida após o fenômeno chamado mort...
As mulheres e Einstein
Fato incomum: 1.900 mulheres discutindo agronegócio, de questões mercadológicas a tendências de tecnologia, sustentabilidade, gestão, diplomacia ambi...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions