ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  05    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Pastor ficará preso por tempo indeterminado após torturar mulher em cárcere

Segundo a polícia, o pastor se trancou com a mulher no quarto e com uma tesoura, ameaçava “furar os olhos” dela

Por Anahi Zurutuza | 13/03/2020 13:01
Em camburão, pastor foi levado ao Fórum para passar por audiência de custódia (Foto: Marcos Maluf)
Em camburão, pastor foi levado ao Fórum para passar por audiência de custódia (Foto: Marcos Maluf)

O pastor Jesus Dalnivo Coelho Gorgs, de 40 anos, passou por audiência de custódia na manhã desta sexta-feira (13), um dia depois de torturar e manter a mulher em cárcere, e ficará preso preventivamente. Ou seja, por tempo indeterminado.

Gorgs chegou a ser levado ao Fórum de Campo Grande, mas depois ficou decidido que a juíza Jacqueline Machado, da Casa da Mulher Brasileira, analisaria a legalidade da prisão dele. O pastor responde pelos crimes cárcere privado qualificado, ameaça, lesão corporal dolosa (violência doméstica), registro não autorizado de intimidade sexual e divulgação de cena de estupro ou nudez.

Segundo a polícia, ele se trancou com a mulher no quarto e com uma tesoura ameaçava “furar os olhos” dela. Ao casal que pertence à Assembleia de Deus, mesma congregação a qual o pastor pertencia até ontem, ele prometeu matar a mulher e se suicidar, conforme o depoimento dos dois como testemunhas. Agressões e ameaças foram transmitidas ao vivo no Facebook.

Nessa quinta-feira, ele prestou o primeiro depoimento com a Bíblia na mão. Jesus Gorgs disse que a vítima o drogava com Rivotril (remédio com efeito sonífero) e anfetaminas havia quatro meses para poder “colocar o amante dentro de casa”. O agressor afirmou ainda que a briga com a mulher começou quando ele viu o homem com quem a esposa supostamente tem um caso sair do quarto do casal.

Tudo aconteceu em sobrado na Rua Cláudia, no Giocondo Orsi, bairro de classe média de Campo Grande. A Polícia Militar foi chamada no fim da manhã e por volta das 15h, o Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) decidiu invadir o quarto onde Jesus mantinha a mulher refém. Ele foi desarmado e preso. A vítima levada para hospital.

Gorgs foi expulso da Assembleia de Deus, mas segundo o pastor João Bosco Martins já tinha o título quando chegou à congregação, por isso, perdeu o “cargo”, mas talvez possa continuar sendo líder religioso em outro templo. “Ele foi excluído do nosso rol de membros, pode processo disciplinar e tentar retornar, mas na questão dele especificamente, acho difícil”.