A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

02/09/2011 11:00

Primeiro júri digital do País gera economia de 2,1 mil folhas de papel

Nadyenka Castro

Julgamento é de processo com 301 páginas que agora estão digitalizadas. Em vez de receberem a papelada, jurados têm nas mãos um notebook

Cada um dos jurados recebeu um notebook. Informações também eram mostradas no projetor. (Foto: João Garrigó)Cada um dos jurados recebeu um notebook. Informações também eram mostradas no projetor. (Foto: João Garrigó)

Realizado nesta sexta-feira no Plenário do Tribunal do Júri do Fórum de Campo Grande, o primeiro júri popular totalmente digital do País já começa com saldo positivo: economia de pelo menos 2,1 mil páginas de papel.

“Como o processo tem 301 páginas e cada jurado recebe uma cópia você multiplica por sete a economia com o papel”, disse o juiz responsável pela iniciativa inédita no Brasil, Aluízio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri. Há ações penais bem maiores do que esta em pauta hoje, a qual dá início aos júris digitais.

O magistrado lembra ainda que com a digitalização das informações há também menos gastos com energia, tinta e ainda menos dano ambiental, pois as folhas iriam, em algum momento, parar no lixo.

Além disso, em vez de ser levado ao plenário pilhas de papel, vão apenas os equipamentos: sete para os jurados (um para cada) e os utilizados pela equipe do cartório. Advogados e promotores de Justiça levam os seus notebooks particulares.

Segundo Aluízio, o investimento do Poder Judiciário foi entre R$ 7 e R$ 8 mil. Além de ler o processo pelo notebook, o júri popular também tem a disposição o projetor de imagens.

O magistrado explica que na hora de selecionar as pessoas que vão compor o Conselho de Sentença é verificado se a mesma tem algum de conhecimento em informática. Servidores do judiciário ficam à disposição em caso de algum problema técnico, como aconteceu nesta manhã com um dos equipamentos.

Aluízio explica que o júri de hoje “ é o ponta pé inicial” e onde serão verificadas as falhas. O promotor de Justiça Douglas Oldegardo, explica que o MPE (Ministério Público Estadual) já utilizava os recursos audiovisuais e considera uma boa iniciativa do judiciário.

Para ele, a questão agora é não desviar o foco da questão. “O júri tem coisas a mais do que somente a tecnologia”, disse referindo a todos os ‘atos’ que são realizados no júri popular, como as explanações da defesa e da acusação, essenciais para o veredito do Conselho de Sentença.

Conforme o andamento do júri, as informação vão sendo disponibilizadas na internet, através do site do Tribunal de Justiça. A sentença, após lida em plenário, é disponibilizada na rede mundial de computadores.

A diferença entre o júri virtual e o digital, é que neste último todas as partes estão presentes no mesmo local e as informações disponibilizadas em computador.

Julgamento- É julgado nesta sexta-feira Denner Souza Ruiz, acusado do assassinato de Rafael Silva de Almeida, 22 anos, no dia 9 de janeiro deste ano, no bairro Coronel Antonino.

Em interrogatório, ele confessou o assassinato, mas disse que o fez porque pensou que seria morto por Rafael, com quem tinha desavenças.

Denner declarou que era ameaçado de morte por Rafael e quando o viu com a mão no bolso, pensou que a vítima iria atirar e por isso fez o disparo.”Não foi intenção de matar. Foi intenção medo”, falou o réu.

Cada jurado com um notebook. Funcionários do Judiciário e MPE também. (Foto: João Garrigó)Cada jurado com um notebook. Funcionários do Judiciário e MPE também. (Foto: João Garrigó)
Denner confessou que matou Rafael com um tiro. (Foto: João Garrigó)Denner confessou que matou Rafael com um tiro. (Foto: João Garrigó)
Brinquedos feitos por detentos são doados para crianças em escola
Parceria feita entre a a Semed (Secretaria Municipal de Educação) e a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) garantiu ne...
Falta de pagamento faz prefeitura suspender hemogramas na rede pública
A falta de pagamento para um fornecedor de insumos fez com que a prefeitura de Campo Grande suspendesse a partir desta quarta-feira (13) a realização...


É de enorme avanço para a busca da celeridade processual, bem como sua economia. Sendo princípios imprescindíveis de serem observados. Entendo essa tecnologia , como uma estratégia/criatividade utilizada para uma melhor presteza a sociedade em geral. Há casos atuais de Júris Populares que demoram cerca de 48h ou mais para se chegar ao seu objetivo/sentença/julgamento/encerramento, portanto é de grande relevância seguir este modelo executado como projeto piloto, nas demais comarcas brasileira. Me entusiasmei com esta notícia, pensando na hipótese de levá-la como tema para o meu TCC... em contrapartida não tenho conhecimento sobre a quantidade de material relacionado ao tema, afinal, falamos em um tema inovador. Aproveitando o ensejo, gostaria de saber se o Dr. Aluízio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri, Campo Grande - MS poderia disponibilizar de materiais referente a esse assunto, pois de verdade achei um tema ousado/produtivo para melhoria no procedimento judiciário como um todo.
Desde já,
Agradeço!

Cordialmente,
Janiele Martins, de Aracaju/Se.
 
Janiele Martins em 03/09/2011 12:34:42
Muito bom...
 
juan barros em 02/09/2011 12:43:11
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions