A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 26 de Setembro de 2018


16/04/2018 09:47

Tática das seleções também na pauta da arbitragem na Copa da Rússia

Entre os critérios de escolhas dos árbitros, segundo a Fifa, estão o entendimento das regras e a capacidade de entender o jogo e as táticas diversas adotadas pelos técnicos

Paulo Nonato de Souza
O mineiro Sandro Meira Ricci será o único árbitro brasileiro na Copa da Rússia (Foto: Divulgação)O mineiro Sandro Meira Ricci será o único árbitro brasileiro na Copa da Rússia (Foto: Divulgação)

O Comitê de Arbitragem da FIFA selecionou 36 árbitros e 63 árbitros assistentes, representando 46 países diferentes para a Copa do Mundo FIFA 2018 da Rússia. Segundo a entidade, a escolha dos árbitros e auxiliares levou em conta as habilidades, a personalidade, o nível de entendimento das regras e a capacidade de entender tanto o jogo quanto as táticas diversas adotadas pelas seleções.

O mineiro de Poços de Caldas, Sandro Meira Ricci, como árbitro, o paulista de Marília, Emerson de Carvalho, e Marcelo Van Gasse, natural de Valença (RJ), como auxiliares, são os brasileiros no quadro de arbitragem da Copa da Rússia. Inacreditavelmente, considerando a pouca tradição no futebol, os Estados Unidos terão mais representantes: quatro, sendo dois árbitros e dois bandeirinhas.

Além do Brasil, 20 países enviarão à Copa trios de arbitragem (um juiz e dois auxiliares): Arábia Saudita, Irã, Uzbequistão, Senegal, México, Argentina, Paraguai, Chile, Uruguai, Colômbia, Alemanha, Rússia, Espanha, França, Itália, Sérvia, Turquia, Polônia, Eslovênia e Holanda.

Os preparativos para a Copa 2018 começaram em setembro de 2014 não apenas para as 32 equipes participantes, mas também para o grupo inicial de 53 trios de árbitros da FIFA de todo o mundo. A escolha do último grupo de árbitros selecionados para atuar na Copa do Mundo da FIFA de 2018 na Rússia foi baseada nas habilidades e personalidade de cada árbitro, bem como no nível de compreensão do futebol e na capacidade de ler o jogo e as várias táticas empregadas. por equipes.

Nos últimos três anos, seminários preparatórios foram realizados para árbitros e árbitros assistentes com foco no fair play, protegendo os jogadores e a imagem do jogo, bem como consistência e uniformidade. Os selecionados oficiais da Copa do Mundo da FIFA participarão de outro seminário dedicado por duas semanas na segunda quinzena deste mês de abril, no centro técnico da Associação Italiana de Futebol, em Coverciano, na Itália. Serão divididos em dois grupos, que também incluirão candidatos ao VAR (Árbitro Assistente de Vídeo).

Após este seminário, o Comitê de Arbitragem da FIFA anunciará os nomes dos árbitros selecionados para atuarem como VARs durante a Copa do Mundo da FIFA. O processo de seleção levará em consideração a experiência de árbitro de vídeo do candidato em ligas nacionais, competições da FIFA e seminários de arbitragem da FIFA desde o início do projeto VAR em 2016.

Até o início da Copa do Mundo, em junho, os árbitros selecionados, árbitros assistentes e VARs serão monitorados e apoiados pela arbitragem da FIFA individualmente para garantir que eles estejam totalmente preparados. Após o seminário em Coverciano, todos participarão de um seminário preparatório final na sede dos árbitros da Copa do Mundo da FIFA em Moscou, que começará dez dias antes do início do torneio. Este seminário também cobrirá o VAR.

Durante a Copa do Mundo da FIFA de 2018, os árbitros selecionados irão operar em uma variedade de funções: árbitros, árbitros assistentes, quarto árbitros, árbitros assistentes de reserva e árbitros de vídeo.

imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.