A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 27 de Março de 2017

11/06/2014 13:51

Grupos de teatro se mobilizam no Paço pela implantação do Sistema de Cultura

Paula Maciulevicius

Coletivos da Cultura de Campo Grande protestaram no final da manhã desta quarta-feira (11), em frente ao Paço Municipal, pela implantação do Sistema Municipal de Cultura. Na pauta de reclamações, o grupo também falou das demandas que carregam há anos, entre elas a abertura do Teatro do Paço.

Segundo o coordenador do Colégio Setorial de Teatro, Anderson Lima, a promessa de uma emenda parlamentar de R$ 500 mil feita, ainda na gestão de Nelson Trad Filho, atravessou a troca de mandatos sem resposta, assim como o programa de reforma do Teatro, fechado há mais de 20 anos. “Fizemos um pré-projeto de reforma, saiu, entrou prefeito e ninguém soube dar resposta. Tem tempo essa promessa de sentar e conversar e não dá mais para esperar”, afirmou.

Os grupos relatam que já entregaram documentos à diretora-presidente Fundac (Fundação Municipal de Cultura), Juliana Zorzo, pedindo inclusive a melhoria dos cachês para as apresentações de teatro e a assinatura do Sistema. “Até hoje ele não foi assinado. Foi um sistema criado pela sociedade civil, na época do Athayde Nery como vereador, que engloba tudo o que é de cultura. A gente tem um plano pronto para ser efetivado e não pode esperar mais uma vez”, sustenta.

Representantes dos grupos Flor e Espinho, Maracangalha, Circo do Mato, Teatral Grupo de Risco, Unicórnio, entre outros, planejam um ato poético como manifestação a ser realizado uma vez por semana no Paço até que eles sejam atendidos.

O diretor do Teatro Maracangalha, Fernando Cruz, explica que o objetivo é avançar e ir para prática. “Queremos construir essa adequação juntos. O ato principal aqui é resolver a questão de orçamento e a assinatura do sistema. Para receber recurso federal, isso tem que estar assinado”, ressalta. Conforme Fernando a verba é estimada em R$ 30 milhões para as cidades que têm o Sistema na ativa. “Seria o 1% para a Cultura mais os R$ 30 milhões. Com isso dá para reformar o Paço e ainda fazer mil coisas dentro do plano”, completa.

Os coletivos foram atendidos pelo superintendente municipal de Comunicação, Edson Godoy, que agendou uma reunião com o prefeito Gilmar Olarte (PP) para a próxima quarta-feira (18), às 17h, no gabinete.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions