28/06/2019 10:35

Ministra diz que entrou em contato com polícia e vai acompanhar caso de abuso

Damares disse que vai fazer um esforço para ir à cidade conversar pessoalmente com a delegada responsável por investigar o caso

Viviane Oliveira e Leonardo Rocha
Damares durante entrega de veículos ao Conselho Tutelar em Campo Grande (Foto: Marina Pacheco) Damares durante entrega de veículos ao Conselho Tutelar em Campo Grande (Foto: Marina Pacheco)

A Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, em agenda em Campo Grande nesta manhã, afirmou que entrou em contato com a Polícia Civil de Rio Verde de Mato Grosso, distante 207 quilômetros de Campo Grande, e vai acompanhar os casos de abusos na cidade envolvendo uma professora.

Damares disse que vai fazer esforço para ir à cidade conversar pessoalmente com a delegada responsável pela investigação. “Vamos acompanhar de perto esse caso. Uma criança deve ser protegida na creche. A instituição deve ser um lugar de proteção e não de perigo”, disse.

Conforme a ministra, levantamento realizado pelo Ministério mostra que 80% dos abusos sexuais contra crianças acontecem dentro de casa, lugar que também deveria ser de proteção. “Nessa situação envolvendo a creche, as vítimas são crianças de 2 a 5 anos. Mas já sabemos de outros fatos no Brasil de estupros de bebês”, lamentou. Ela citou um caso de Curitiba em que um bebê de oito meses sofreu abuso.

“Sobre essa questão, precisamos esquecer nossas diferenças partidárias, religiosas e fazer um grande pacto no Brasil. As nossas creches precisam ser lugares aliados e não que tragam perigo para nossas crianças. Temos que saber como pessoas como essa mulher (a professora investigada) se aproximam de nossas crianças”, afirmou. Segundo a ministra, vínculos familiares precisam ser resgatados também, porque as famílias estão destituídas.

Na Capital, Damares vai entregar veículos para os conselhos tutelares de cinco municípios e aproveitar para fazer visitas a órgãos de atendimento a crianças e adolescentes e também para se reunir com o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB).

Caso - A professora de 45 anos foi presa na tarde de terça-feira (25) sob suspeita de abusar de pelo menos onze crianças. Após a prisão dela, outros pais procuraram a Polícia Civil denunciando os casos de abusos sexuais.

Conforme a delegada Andressa Vieira, as crianças serão ouvidas em depoimento especial. Ela explica que nesses casos é feita uma representação ao juiz local e os depoimentos tomados no fórum, em sala especial e por psicólogos e assistentes sociais, com transmissão por vídeo para o juiz e o promotor da infância. A mulher segue presa temporariamente e, por questões de segurança, o nome dela não será divulgado.

imagem transparente