31/07/2017 12:03

"Fininho" foi julgado pelo PCC e teve a morte filmada após trair facção

A vítima, que fazia parte do PCC (Primeiro Comando da Capital), foi julgada pela facção e condenada à morte após passar seis dias em cárcere privado

Viviane Oliveira e Guilherme Henri
Dos dezoito envolvidos, doze foram presos, quatro adolescente apreendidos e dois estão foragidos (Foto: João Paulo Gonçalves) Dos dezoito envolvidos, doze foram presos, quatro adolescente apreendidos e dois estão foragidos (Foto: João Paulo Gonçalves)

Doze pessoas estão presas e quatro adolescentes apreendidos suspeitos de participação na morte de Mauro Éder Araújo, 31 anos, conhecido como "Fininho". A polícia Civil ainda procura por mais dois que estão foragidos. Os restos mortais de Mauro Éder foram encontrados no dia 21 de julho, em meio a mata fechada, às margens da estrada vicinal que dá acesso ao balneário Atlântico, na saída para Três Lagoas, em Campo Grande.

A vítima, que fazia parte do PCC (Primeiro Comando da Capital), foi julgada pela facção e condenada à morte após passar seis dias em cárcere privado. Mauro teve a execução filmada e as imagens foram divulgadas na internet.

Em coletiva de imprensa nesta manhã (31), o delegado Márcio Obara, titular da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídios), contou que as investigações começaram após desaparecimento da vítima no dia 29 de maio.

“Após três semanas de diligências, os suspeitos foram presos. Eles contaram que a vítima foi morta porque traiu o PCC passando informações sobre transação de drogas para o comando vermelho - facção rival”, segundo a polícia.

Antes de ser levado para ao local de execução, Mauro Éder foi mantido em cativeiro por seis dias em casas, em diferentes bairros para não chamar a atenção dos vizinhos. A vítima era mantida em cárcere privado sempre, por pelo menos três integrantes da fação. Em cada imóvel diferente, era feito o interrogatório do rapaz.

Revólver calibre 32 foi usado para matar a vítima (Foto: João Paulo Gonçalves)Revólver calibre 32 foi usado para matar a vítima (Foto: João Paulo Gonçalves)
Local onde o corpo foi encontrado no dia 20 de julho (Foto: Lucas Junot) Local onde o corpo foi encontrado no dia 20 de julho (Foto: Lucas Junot)

Durante as investigações, foi localizada na casa de um dos autores, 68 quilos de maconha, o que resultou em quatro pessoas presas por tráfico de drogas, uma delas pelo envolvimento direto com o homicídio de Mauro.

A arma do crime foi localizada com um dos suspeitos, durante a prática de outro crime. O vídeo da execução foi feito por um dos integrantes da facção. Nas imagens, que não foram divulgadas pela polícia, a vítima aparece de joelhos sendo executado com tiro na cabeça. Apenas a mão do autor do disparo aparece. Ninguém fala nada nas imagens.

Estão presos: Claudimon Moreira da Silva, 36 anos, Joceli Lima dos Santos, 23 anos, Luan Avila Santana, 20 anos, Luis Alberto de Jesus Ramos, 23 anos, André Abner Correa de Arruda, 20 anos, Israel Rodrigues Lopes, 23 anos, Maycon Erickson Dias Ponsolle, 23 anos, Luan Laftan da Silva Queiroz, 21 anos, Diego Alcunha Medina, 23 anos, Cristhian Thomas Vieira, 28 anos, Glaucia Maria Padim, 31 anos, Miguel Angelo Sanches Benitez, 19 anos. Os dois que estão foragidos são Carlos Henrique de Oliveira Arguelho, 39 anos e Leonardo Caio dos Santos, 28 anos. Os adolescentes tiveram a identidade preservada. Diego e Luan Ávila confessaram participação direta no homicídio. 

Os presos foram indiciados por associação criminosa, cárcere privado, corrupção de menores e homicídio doloso qualificado.

imagem transparente