14/03/2019 15:10

Casal furta peças de equipamento em clínica e prejuízo é de R$ 80 mil

Imagens de câmeras de segurança flagraram ação; dupla foi vista um dia antes na unidade

Liniker Ribeiro
Casal suspeito de furto. homem com máscara hospitalar e no telefone (Foto: Divulgação)Casal suspeito de furto. homem com máscara hospitalar e no telefone (Foto: Divulgação)

Câmeras de segurança de uma clínica de diagnósticos, localizada na Avenida Fernando Côrrea da Costa, no Centro da Capital, flagraram um casal que se passou por cliente do estabelecimento, na manhã desta quinta-feira (14), para furtar peças de um equipamento de ultrassom. Ao todo, quatro “transdutores” - dispositivos que transformam um tipo de energia em ondas de ultrassom – avaliados em R$ 80 mil, foram levados.

Segundo o administrador da empresa, a Matter Diagnósticos, a clínica abre pontualmente às 6h, tendo o casal chegado cerca de quinze minutos depois. Pelas imagens, a mulher entra primeiro na unidade, seguida do homem que, inclusive, utiliza uma máscara hospitalar no rosto.

Se passando por cliente, o casal chega a retirar uma senha de atendimento e aproveita o momento em que funcionários se organizavam para os atendimentos, para ter acesso a sala onde o aparelho HS60 estava. O homem é o primeiro a ir até o local, mas volta e convida a mulher para acompanha-lo. Na sala, a dupla retira quatro transdutores de dentro do aparelho, entre eles um 4D, um linear e um transvaginal.

“Parece que eles vieram justamente atrás disso. Na sala também tinha uma TV, impressora, tudo novo, mas arrancaram a capa do equipamento e levaram apenas os transdutores”, ressalta César Monteiro, administrador da clínica.

Ainda segundo ele, imagens das câmeras de segurança comprovam que o casal já havia ido ao local sondar a rotina de trabalho. “Os dois estiveram ontem à tarde na clínica, mas estava muito cheio”, complementou.

Depois de deixar a sala, o casal chamou a atenção de uma funcionária, que chegou a olhar o local para ver se algo havia sido levado, mas não sentiu falta das peças. Somente às 7h, quando uma outra funcionária chegou, é que o furto foi identificado. Segundo César, o equipamento está em uso na unidade há apenas sete meses. Os transdutores foram colocados na mochila do rapaz.

O caso foi registrado como furto na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro de Campo Grande e será investigado.

imagem transparente