11/11/2018 15:39

Com 2 horas de exame, candidatos confessam "chute" na prova de exatas

Muitos estudantes já começam a deixar as salas onde são aplicadas as provas do segundo dia do Enem

Izabela Sanchez e Liniker Ribeiro
Estudantes deixam as sala da Uniderp após duas horas de prova (Foto: Paulo Francis)Estudantes deixam as sala da Uniderp após duas horas de prova (Foto: Paulo Francis)

Último dia de provas, o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) teste, neste domingo (11) os conhecimentos dos alunos ligados às ciências da natureza e a matemática. O Exame teste, também, a resistência e o cansaço ao ler as questões. Limite mínimo de tempo para deixar as salas, alguns estudantes já começam a sair dos locais de prova após duas horas de início.

A maioria, conforme comentaram os alunos, analisa que a prova deste domingo está mais difícil do que a primeira, que testou conhecimentos das ciências humanas e sociais, além da redação.

Este ano também é a primeira vez em que os estudantes têm mais meia hora para responder as questões. Ainda assim, muitos arriscam o famoso “chute”. Muitos estudantes que realizaram a prova na Uniderp já são vistos saindo das salas.

É o caso da esteticista Valeska Brandão, 23. Para ela, a prova deste domingo foi mais difícil que a primeira. “No começo eu li bastante, mas como não me preparei muito para as questões de matemática confesso que algumas foram no chute”, contou. Ela já cursou dois anos de faculdade de jornalismo e agora espera conseguir uma bolsa para terminar os estudos ou iniciar um novo curso.

Advogado, Pedro Batistoti, tem 26 anos e teve que “puxar da memória” muitos conhecimentos questionados na prova. Ele é formado em Direito pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e quer ingressar de novo na Universidade para cursar ciências contábeis.

“Achei um pouco difícil. Como já tem muito tempo que eu concluí o ensino médio, algumas coisas já saíram da mente. A prova de exatas acaba sendo um pouco mais complicada. Não foi bem no chute que respondi, foi mais por indução, com base no que lembrei da época da escola”, comentou.

O estudante do segundo ano do ensino médio, Lucas Modesto de Matos, 17, prestou pela primeira vez o Exame, uma forma de treino. “Até a questão 50 li tudo, mas depois disso, com a mente mais cansada, acabei chutando algumas questões”, confessou.

imagem transparente