21/05/2019 16:59

Em atraso, verba federal para obra no Anhanduí será repassada em junho

Sobre pleito de R$ 22 milhões para recapeamento, a pasta federal prometeu "agilidade"

Mayara Bueno
Trecho da Rua Yokoama, em obras de recapeamento. (Foto: Assessoria Prefeitura de Campo Grande).Trecho da Rua Yokoama, em obras de recapeamento. (Foto: Assessoria Prefeitura de Campo Grande).

O Ministério do Desenvolvimento Regional se comprometeu a enviar R$ 4 milhões à Prefeitura de Campo Grande em junho. O recurso é para a obra da recuperação do leito do Rio Anhanduí, que deveria ser enviado nos meses de março e abril.

Nesta terça-feira (dia 21), o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad, o secretário de Infraestrutura, Rudi Fioresi, e a coordenadora de projetos do município, Catiana Sabadin, se reuniram com o secretário-executivo do ministério, Antônio Carlos Futuro.

“Disseram que regularizam o pagamento até mês que vem”, afirmou Catiana. Apesar do atraso, a obra continua e a ida da equipe do município foi para garantir a regularização e assim evitar a paralisação da intervenção.

Outro assunto tratado, cuja promessa foi de agilidade na liberação, é verba de R$ 22 milhões destinados ao recapeamento de algumas vias da cidade. O recurso é fruto de emenda parlamentar da bancada federal de Mato Grosso do Sul e será aplicado no recapeamento de 35 quilômetros da Capital. 

“É um recurso muito importante para a nossa cidade, porque além de garantir um trânsito melhor, gera economia. São ruas que têm em comum, além do tráfego intenso, o asfalto desgastado, que gera um custo muito alto com tapa-buraco, uma medida paliativa. Com o recapeamento, nós realizamos o serviço adequado para recuperação das ruas da nossa Capital”, afirmou o prefeito.

Equipe da Prefeitura de Campo Grande reunida com integrantes do Ministério do Desenvolvimento. (Foto: Divulgação/PMCG).Equipe da Prefeitura de Campo Grande reunida com integrantes do Ministério do Desenvolvimento. (Foto: Divulgação/PMCG).

Vias - Segundo o município, o recurso vai atender quatro das principais vias de acesso a alguns dos bairros mais populosos de Campo Grande.

Serão 3,1 quilômetros no Aero Rancho, começando na Avenida Campestre, cruzamento com a Avenida Gunter Hans (saída para Sidrolândia) e seu prolongamento, a Rua Santa Quitéria, até a Rua Divisão.

Está no plano refazer o asfalto da Rua Lagoa da Prata (entre a Santa Quitéria e Avenida Guaicurus) e da Rua da Divisão (entre as ruas Eva Peron e Avenida Aranha).

O mesmo serviço está programado para uma extensão de 850 metros da Ana Luiza de Souza (entre a Francisco dos Anjos e a Rua dos Gonçalves. Esta é a principal via comercial e atravessa praticamente o Bairro Pioneiros.

Outros 8,1 quilômetros de recapeamento em trechos da Paraisópolis, Júlio Verne, dos Democráticos, Professor Hilário da rocha, Vitor Meirelles e Rua Santa Santana, da Rua Júlio Verne (entre a Dr. Werneck e Avenida Gury Marques).

Também 1,450 km de recapeamento em trechos das ruas Dona Ambrosina; Levinda Ferreira; Presidente Castelo Branco e Avenida Monte Castelo, ligação da Mascarenhas de Moraes com a Rachid Neder.

Ainda de acordo com o município, há previsão de 10,6 quilômetros de vias de obras nas ruas Jeribá; Hermelita de Oliveira Gomes; Paulo Machado; Pedro Martins; Olímpio Klafke; Capiatã; Giocondo; Autnomista e Luciana.

Por fim, 8,5 quilômetros em oito vias na Avenida Capibaribe (ligação entre as avenidas Julio de Castilho e Duque de Caxias); Yokoama; Taquari; Ministro José Linhares; Presidente Café Filho; Avenida Murilo Rolim Junior e Rua dos Andradas, ligações entre as avenidas Duque de Caxias e Julio de Castilho.

imagem transparente