13/02/2019 08:43

Ilhada pela chuva, moradora não consegue sair de casa e perde consulta

Situação do bairro Nova Lima é problema antigo da Capital. Chuvas alagam as ruas e falta de asfalto só piora a situação

Izabela Sanchez e Bruna Kaspary
Na Rua Guilherme de Almeida, durante a manhã desta quarta, parte do alagamento ainda persiste (Foto: Henrique Kawaminami)Na Rua Guilherme de Almeida, durante a manhã desta quarta, parte do alagamento ainda persiste (Foto: Henrique Kawaminami)
Dora ficou ilhada e perdeu a consulta médica (Foto: Henrique Kawaminami)Dora ficou ilhada e perdeu a consulta médica (Foto: Henrique Kawaminami)

O imenso volume de chuva que caiu em Campo Grande na madrugada e manhã desta quarta-feira (13) – que já acumulou 73,2 mm – alagou ruas, levou asfalto e inundou unidades de saúde. No bairro Nova Lima, região norte da cidade, não foi diferente. Com a rua completamente alagada e tomada pela chuva, teve até moradora que perdeu consulta médica na manhã desta quarta.

É o caso de Dora do Carmo, 52, que ficou sem poder realizar os exames que estavam marcados. A água na Rua Guilherme de Almeida, contou, chegou até o portão. “Você quer passar em dia de chuva, tem que praticamente tirar a roupa. A situação melhorou um pouco, antes a água entrava em casa”, conta.

A rua é de terra batida e há anos – e gestões – os moradores aguardam a chegada de pavimentação. Quem também vive ali é a costureira Maurina Praga, 56, que vive na rua há 27 anos.

Lama, muita lama no bairro Nova Lima, onde falta asfalto (Foto: Henrique Kawaminami)Lama, muita lama no bairro Nova Lima, onde falta asfalto (Foto: Henrique Kawaminami)

“A vida toda teve esse problema, acredito que é porque falta asfalto na rua. Há promessas de chegar asfalto, mas é igual ganhar na loto. Sempre diz que vem, mas nunca chega né”.

Na Rua Jerônimo de Albuquerque, obras da concessionária de água e esgoto Águas Guariroba, que realiza ligações de esgoto, foram desfeitas. O cascalho colocado pela empresa foi levado pela chuva e agora a rua exibe diversos buracos. No local, motoristas transitam com cautela e dificuldade.

Cascalho foi levado pela água e deixou fissuras abertas no asfalto da Rua Jerônimo de Albuquerque (Foto: Henrique Kawaminami)Cascalho foi levado pela água e deixou fissuras abertas no asfalto da Rua Jerônimo de Albuquerque (Foto: Henrique Kawaminami)

Chuva - Nos últimos dois dias já choveu quase metade do esperado em um mês para Campo Grande, e a expectativa é que chova ainda mais até o final do mês. Meteorologista, Natálio Abrãao afirma que nas últimas duas horas choveu 45,4 mm.

De terça para esta quarta o volume acumulou 73,2 mm, o que corresponde a 42,7% do esperado em um mês. A expectativa ainda é que a chuva continue até o dia 21. A previsão é de chuva para todo o dia tanto em Campo Grande quanto na maior parte de Mato Grosso do Sul.

imagem transparente