22/02/2019 11:36

Justiça deve decidir o que fazer em relação a tios que agrediram crianças

Irmãos de 4, 3 e 1 ano continuam no abrigo sob proteção. Termo Circunstancial de Ocorrência deve ser entregue à justiça ainda nesta sexta-feira.

Mirian Machado
Fotos mostram menina de 3 anos com olho roxo (Reprodução)Fotos mostram menina de 3 anos com olho roxo (Reprodução)

O TCO (Termo Circunstancial de Ocorrência) dos tios de 34 e 36 anos –acusados de torturarem os três sobrinhos de 4, 3 e 1 anos- já será encaminhado para a justiça nesta sexta-feira (22). Segundo a delegada da DPCA (Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente), Marília de Brito, afirmou que o caso está sendo investigado como Maus Tratos e que não cabe indiciamento. O caso agora fica à disposição da justiça.

O TCO acumula fotos de antes das agressões, durante e depois das crianças. Ambas continuam em um abrigo. Até que o caso seja julgado pela justiça as crianças devem permanecer sob proteção.

Caso- O caso veio à tona no dia 4 deste mês, após denuncias feitas ao Conselho Tutelar de que as três crianças estavam sofrendo maus-tratos por parte dos tios na Vila Marli.

Uma das crianças, uma menina de 3 anos, estava com olho roxo e uma aparente queimadura próxima da boca. Eles mantém a versão de que a menina teria caído do sofá. Quanto à queimadura próxima a boca, a mulher diz que é uma ferida em razão de uma doença. O menino de 4 anos tem alguns machucados, mas segundo a delegada não são recentes.

Em depoimento prestado à psicóloga, elas teriam confirmado que agressão foi cometida pelo tio, que tem a guarda provisória desde o ano passado.

A conselheira tutela Miriam Falcão disse que, em novembro, o menino de 4 anos e duas meninas, de 3 anos e 1 ano, haviam sido entregues aos tios depois que constataram que estavam sendo agredidas pela madrasta. Antes, a mãe delas, usuária de drogas, havia perdido a guarda para o ex-marido, pai das crianças.

Ainda conforme a conselheira o que chamou atenção é que a menina de 3 anos tinha falha nos cabelos e a tia disse que seria por conta de alopecia, doença inflamatória que provoca queda dos fios, principalmente em períodos de estresse.

A promotoria foi acionada e determinou o acolhimento em abrigo. As crianças ainda seriam submetidas a exame de corpo de delito.

No dia seguinte à denúncia os tios compareceram à DPCA acompanhados por um advogado para prestar depoimento.

imagem transparente